Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 02 > Câmara temática da Copa 2014 realiza ações de saúde no Galo da Madrugada

Saúde

Câmara temática da Copa 2014 realiza ações de saúde no Galo da Madrugada

por Portal Brasil publicado: 17/02/2012 19h40 última modificação: 29/07/2014 09h08

A Câmara Temática da Saúde para a Copa 2014 realiza o primeiro evento-teste das ações de saúde em Recife (PE), no próximo sábado (18). O objetivo é testar a capacidade de planejamento, execução, resposta e avaliação das ações de saúde no bloco carnavalesco Galo da Madrugada, no período das 8h às 17h.

O Galo da Madrugada, um dos blocos mais tradicionais do País, deve reunir uma aglomeração de mais de 1,5 milhão de pessoas em um percurso de 4,5 quilômetros. O evento-teste é uma parceria entre o Ministério da Saúde, Secretaria de Estado de Saúde de Pernambuco e a Secretaria Municipal de Recife.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, visita o posto de saúde médico avançado na rua Matias de Albuquerque, na esquina com a Rua do Sol, uma das unidades de suporte básico do esquema montado pelos gestores locais, com equipes formadas por médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

As ações do evento-teste também servirão como aprimoramento e qualificação da Força Nacional do Sistema Único de Saúde (FNSUS), criada ano passado para agir no atendimento a vítimas de desastres naturais, calamidades públicas ou situações de risco epidemiológico (surtos de leptospirose após enchentes, por exemplo) que exijam uma resposta rápida e coordenada, apoio logístico e equipamentos adequados de saúde.

“Esta é a primeira grande ação de monitoramento de um evento de massa, envolvendo as cidades-sede. Esta ação será importante para auxiliar as ações do Ministério da Saúde na organização de eventos de massa no País”, explica o coordenador da Câmara Temática da Copa 2014, Adriano Massuda.  Das 12 cidades-sede (Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo), somente Salvador e Rio não enviarão representantes para acompanhar as ações.

Ações

Serão testadas ações preventivas, assistenciais e de vigilância sanitária, como barreiras, hospitais e postos de atendimento; de aprimoramento da comunicação de risco, e de vigilância epidemiológica em caso de surto, dando resposta rápida para investigação imediata e providências urgentes.

O evento-teste vai usar o esquema de prevenção e atuação dos serviços de saúde que já feito anualmente no Carnaval pelos gestores. Porém, este ano um planejamento nos três níveis de governo vai inovar o sistema de monitoramento com a utilização de uma ferramenta de gestão de risco e de equipamentos móveis que vão transmitir os dados em tempo real para promover o acompanhamento e posterior avaliação do evento. Outra novidade é o monitoramento das redes sociais, em especial do twitter, para captação de rumores.

Para acompanhamento do evento-texto, foram formados dois grupos, o da coordenação que atuará na sala de situação montada do gabinete do Secretário de Saúde do Estado, com a participação de 36 profissionais do Ministério da Saúde – das secretarias Executivas, de Vigilância em Saúde (SVS), da Atenção Básica (SAS), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) – Secretarias Estadual e Municipal.

Outro grupo é o de atuação, que permanece em campo nos pontos definidos das áreas da vigilância e assistência, para detecção, coleta e transmissão de informação. Neste grupo estão envolvidos 151 profissionais, incluindo representantes das cidades-sede.

 

Fonte:
Ministério da Saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes

Últimas imagens

Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Arquivo/Agência Brasil
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Arquivo/Ministério da Saúde

Governo digital