Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 02 > Mais recursos federais para Samu em oito estados

Saúde

Mais recursos federais para Samu em oito estados

por Portal Brasil publicado: 15/02/2012 20h21 última modificação: 29/07/2014 09h08

O Ministério da Saúde publicou portarias que beneficiam cerca de 4 milhões de brasileiros usuários do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192). As portarias determinam o aumento dos valores de custeio do Samu e também o envio de novas ambulâncias para diferentes municípios. As medidas abrangem os estados de São Paulo, Piauí, Paraná, Paraíba, Rio Grande do Sul, Bahia, Rondônia e Tocantins.

No Piauí, a Central de Regulação de Teresina que atende aos municípios Piripiri, Campo Maior e capital, passará a receber R$ 768 mil por ano para seu funcionamento. Um crescimento de quase 240% quando comparado aos R$ 228 mil de custeio anual que a unidade recebia até ano passado. O mesmo aumento foi concedido à Central de Regulação do Samu de Londrina (PR), que atende a 21 municípios da região.

Na Bahia, a Central de Regulação de Vitória da Conquista também passará a contar com um valor de custeio anual de R$ 768 mil. Esta central do Samu é responsável pelo atendimento a 23 cidades baianas. Somados, os municípios possuem mais 780 mil habitantes. O mesmo valor de custeio está garantido para a Central de Regulação de Santos (SP), que acaba de ser habilitada ao serviço. O centro será responsável pelos atendimentos à população de Bertioga e Guarujá, além de Santos.

Já para a Central de Regulação de Apucarana (PR), que atende a 346 mil pessoas em 17 cidades da região, os recursos anuais de custeio repassados pelo governo federal aumentam de R$ 228 mil para R$ 360 mil. Esta central ainda receberá, do Ministério da Saúde, R$ 150 mil por ano para o custeio de uma ambulância de suporte básico do Samu.

As portarias publicadas esta semana também habilitam 45 novas ambulâncias do Samu, sendo 40 unidades de suporte básico e cinco de suporte avançado. Para elas, o investimento do governo federal chega a R$ 7,6 milhões.

 

Fonte:
Ministério da Saúde

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital