Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 02 > OMS quer mais proximidade com Anvisa

Saúde

OMS quer mais proximidade com Anvisa

por Portal Brasil publicado: 03/02/2012 12h08 última modificação: 29/07/2014 09h08

A Organização Mundial da Saúde (OMS) quer entender melhor o processo de regulação sanitária feita no Brasil, além de ampliar a cooperação com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), afirmou a assistente da diretora-geral da OMS para Sistemas de Saúde, Carissa Etienne, durante visita à sede da agência em Brasília. Durante o encontro, a representante destacou que uma das maiores preocupações da organização, atualmente, é o acesso seguro aos medicamentos e a busca de fundamentos científicos que garantam qualidade aos tratamentos.

A diretora-presidente substituta da agência, Maria Cecília Brito, destacou o trabalho que tem sido feito no Brasil na área da farmacopeia para garantir padrões de qualidade e maior capacidade da indústria nacional na produção de medicamentos. Uma farmacopéia reúne informações como nomenclatura das drogas, dos medicamentos simples, requisitos de qualidade, insumos, compostos e de artigos farmacêuticos.

Ela lembrou que uma das prioridades do Brasil é desenvolver o setor de fitoterápicos, que, apesar da grande biodiversidade do País, ainda é pouco desenvolvido. “O formulário de fitoterápicos lançado no último ano foi um grande avanço nesta área. Também estamos trabalhando no nível no Mercosul para desenvolver a capacidade regional”, afirmou Cecília.

Atualmente, o Brasil possui cerca de 400 medicamentos fitoterápicos registrados e 80 empresas atuando na área. Em dezembro de 2012, o País receberá pela primeira vez o encontro internacional da entidade, que reúne especialistas em fitoterapia e homeopatia de todo o mundo.

 

Fonte:
Anvisa

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Ministério da Saúde garante que não faltará vacina de febre amarela
A pasta atualizou os dados sobre os casos de febre amarela registrados no País e garantiu que não vai faltar vacina para imunização
Secretária fala sobre aborto e tratamento das mulheres nos hospitais públicos
Fátima Pelaes detalha ações do governo para o tratamento das mulheres em hospitais públicos e planejamento familiar
Entenda o que é a dose fracionada da vacina contra febre amarela
População de municípios de São Paulo, Rio e Bahia vai receber a dose fracionada da vacina, por decisão do Ministério da Saúde
A pasta atualizou os dados sobre os casos de febre amarela registrados no País e garantiu que não vai faltar vacina para imunização
Ministério da Saúde garante que não faltará vacina de febre amarela
Fátima Pelaes detalha ações do governo para o tratamento das mulheres em hospitais públicos e planejamento familiar
Secretária fala sobre aborto e tratamento das mulheres nos hospitais públicos
População de municípios de São Paulo, Rio e Bahia vai receber a dose fracionada da vacina, por decisão do Ministério da Saúde
Entenda o que é a dose fracionada da vacina contra febre amarela

Últimas imagens

Redução é acompanhada do aumento das inciativas do Ministério da Saúde para intensificar os trabalhos de combate ao mosquito Aedes aegypti
Redução é acompanhada do aumento das inciativas do Ministério da Saúde para intensificar os trabalhos de combate ao mosquito Aedes aegypti
Foto: Andre Borges/Agência Brasília
Kits contêm 30 tipos de medicamentos e 18 tipos de insumos
Kits contêm 30 tipos de medicamentos e 18 tipos de insumos
Arquivo/EBC

Governo digital