Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 02 > Vídeo na TV marca nova fase da campanha do Ministério da Saúde contra a Aids

Saúde

Vídeo na TV marca nova fase da campanha do Ministério da Saúde contra a Aids

por Portal Brasil publicado: 13/02/2012 18h22 última modificação: 29/07/2014 09h08

O Ministério da Saúde inicia na terça-feira (14) a veiculação de vídeo da campanha de prevenção da Aids para o Carnaval de 2012. A divulgação, que será realizada na televisão aberta, é uma nova etapa da campanha lançada no dia 2 de fevereiro, cujo tema é “No Carnaval rola de tudo, só não rola sem camisinha”.

Com foco informativo, o vídeo chama atenção para o avanço da doença entre os jovens gays, público-alvo da campanha deste ano. Dados do Boletim Epidemiológico Aids 2011 mostram que, nos últimos 12 anos, a porcentagem de jovens de 15 a 24 anos com Aids caiu 20,1%, enquanto entre os gays da mesma idade houve aumento de 10,1%. Em 2010, para cada 16 homossexuais dessa faixa etária vivendo com Aids, havia dez heterossexuais. Essa relação, em 1998, era de 12 para dez.

“É preocupante a queda do uso do preservativo pelos jovens. Pesquisas do ministério identificam que apenas 43% dos jovens usam a camisinha regularmente, e isso reflete que o jovem tem subestimado a Aids. Por isso, estamos alertando para a importância do uso da camisinha”, explica o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

O diretor do Departamento de DST/Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Dirceu Greco, destaca que o crescimento da doença entre o público jovem é tendência mundial, conforme o Relatório do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids). “De acordo com o relatório, em 2010 houve mais de sete mil novas infecções por dia em todo o mundo, sendo 34% em jovens de 15 a 24 anos. Preocupado com o cenário atual, o Unaids prevê, entre suas diretrizes estratégicas para 2015, que os países reduzam pela metade a transmissão sexual do HIV entre jovens gays”, detalha.

Jovens e preservativos

Os jovens são os que mais recorrem à distribuição de preservativos nos serviços de saúde, respondendo por 37,5% do consumo. Os dados são da Pesquisa de Conhecimentos, Atitudes e Práticas da População Brasileira (Pcap - 2008) realizada em todas as regiões do Brasil com oito mil pessoas de 15 a 64 anos.

A pesquisa também identificou que, depois da primeira relação sexual, o uso da camisinha entre os jovens cai. Apesar do conhecimento sobre a importância do preservativo, do alto uso na última relação sexual e do maior uso em relação às demais faixas etárias em todas as situações, o uso regular do insumo caiu de 63% para 55% com parceiros casuais e de 53% para 43% com qualquer parceiro.

Campanha

O Ministério da Saúde explica que, desde 2011, tem apostado na realização de campanhas de comunicação que abordam públicos diferentes com estratégias distintas. Segundo o ministério, na prática, isto tem se traduzido em ações não apenas de publicidade, mas também nas redes sociais, em eventos públicos, na imprensa e junto aos movimentos sociais. Para cada um destes espaços, é definida uma linguagem própria, de modo a potencializar o impacto junto ao seu público.

Antes do Carnaval, o plano de mídia prevê ações nas redes sociais, nas rádios e exposição das peças em painéis eletrônicos e aeroportuários, táxis, pedágios e canais fechados de TV. As peças também serão anunciadas em publicações especiais distribuídas no Carnaval. O material específico para a população gay será veiculado em sites e revistas especializadas para esse público.

Na web e nas redes sociais, o ministério conta com o apoio de artistas e celebridades como Sheila Carvalho, David Brasil, Luís Salém, Gisele Tigre, Pedro Luís e Zezeh Barbosa, que gravaram vídeos informando aos foliões sobre a importância do uso da camisinha.

A campanha soma investimentos de R$ 15 milhões. De acordo com o Ministério da Saúde ela é parte do processo de prevenção que ocorre durante todo o ano para o controle da epidemia da Aids, com ética, respeito aos direitos humanos e contra qualquer tipo de discriminação.

 

 

Fonte:
Ministério da Saúde

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Outubro Rosa conta com ações de conscientização em todo o país
Outubro Rosa conta com ações de conscientização na Rodoviária do Plano Piloto em Brasília. O objetivo é alertar as mulheres da importância do diagnóstico precoce
Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Outubro Rosa conta com ações de conscientização na Rodoviária do Plano Piloto em Brasília. O objetivo é alertar as mulheres da importância do diagnóstico precoce
Outubro Rosa conta com ações de conscientização em todo o país
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões

Últimas imagens

A Sexta-feira Sem Mosquito vai contar com colaboração de toda a sociedade, com mobilização nas escolas públicas
A Sexta-feira Sem Mosquito vai contar com colaboração de toda a sociedade, com mobilização nas escolas públicas
Foto: Tony Winston/Agência Brasília
Estabelecimentos que adaptarem os serviços podem receber adicional de até R$ 2,4 milhões por ano
Estabelecimentos que adaptarem os serviços podem receber adicional de até R$ 2,4 milhões por ano
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
Estabelecimentos que adaptarem os serviços podem receber adicional de até R$ 2,4 milhões por ano
Estabelecimentos que adaptarem os serviços podem receber adicional de até R$ 2,4 milhões por ano
Foto: Karina Zambrana/Ministério da Saúde
A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
Arquivo/Ministério da Saúde

Governo digital