Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 03 > Campanha de vacinação contra febre aftosa de 2012 começa pelo Amazonas

Saúde

Campanha de vacinação contra febre aftosa de 2012 começa pelo Amazonas

por Portal Brasil publicado: 15/03/2012 19h50 última modificação: 29/07/2014 09h07

A primeira etapa da campanha nacional de vacinação contra a febre aftosa começa, nesta quinta-feira (15), pelo estado do Amazonas. Até o dia 30 de abril, serão aplicadas doses em todo o rebanho de bovinos e bubalinos localizado na calha do Rio Amazonas, área considerada de difícil acesso. Para os pecuaristas de terra firme, a vacinação acontece no período de 15 de julho a 31 de agosto. 

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em conjunto com a Comissão de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Codesav) do Amazonas, decidiu antecipar em 45 dias a campanha para imunizar os animais, antes da época de chuvas. A imunização também foi estendida para 41 municípios. 

O restante do estado (também classificado como de alto risco para a doença) e os municípios de Guajará, Boca do Acre e parte das cidades de Lábrea e Canutama - considerados livres de aftosa com vacinação - não sofrerão alterações no calendário, que acompanha as mesmas datas de vacinação definidas para os estados do Acre e Rondônia, ou seja, em maio e novembro. 

A meta é imunizar aproximadamente 600 mil nessa fase da campanha. Em 2011, o índice de cobertura vacinal no estado foi de 97%. Após o término da aplicação, os pecuaristas têm mais 15 dias para entregar a declaração de vacinação em uma das 19 Unidades Veterinárias Locais (UVLs) ou nos 43 Escritórios de Atendimento à Comunidade (EACs). 

Depois do Amazonas, os próximos estados a ingressarem na campanha deste ano serão Roraima, de 1º a 30 de abril, e Rondônia, que aplicará as doses entre 15 de abril a 15 de maio. Nessa etapa, ambos protegerão apenas os animais com até 24 meses. 

A programação nacional concentra a imunização na maior parte dos estados em maio e novembro.

Cobertura vacinal de 2011 supera marca anterior

A vacinação contra a febre aftosa realizada ano passado alcançou um índice de cobertura vacinal de 97,7%, superando a média atingida pela campanha em 2010, que foi de 97,4%. O balanço foi apresentado pelo Mapa depois de computados os dados enviados pelos serviços veterinários estaduais. 

A previsão do Departamento de Saúde Animal (DSA) é de que tenham sido imunizados cerca de 208,9 milhões de bovinos e bubalinos ao longo de todas as fases da campanha. Apenas o estado de Santa Catarina, considerado livre da doença sem vacinação, não imunizou o seu rebanho. 

Em 2011, o governo federal investiu aproximadamente R$ 60 milhões em ações para controlar a doença. Os recursos foram aplicados no apoio à manutenção e melhoria estrutural dos serviços veterinários, capacitação de pessoal, campanhas de vacinação estratégicas e trabalhos de educação sanitária. 

Os estados que obtiveram os melhores índices de cobertura vacinal foram: Mato Grosso (99,7%), Rondônia (99,2%), São Paulo (98,5%), Minas Gerais (98,4%) e Mato Grosso do Sul (98,4%). Já os estados do Rio Grande do Norte (86%), Roraima (84,8%), Paraíba (70,5%) e Amapá (44,8%) tiveram índices que precisarão melhorar nas próximas etapas. 

O rebanho brasileiro está estimado em 212,9 milhões de cabeças. O calendário de 2011 concentrou a vacinação em duas grandes etapas: uma em maio e a outra em novembro, mas houve algumas adequações no cronograma para aprimorar a estratégia de imunização. A estimativa é que tenham sido utilizadas cerca de 323 milhões de doses em todas as campanhas ao longo do ano. 

 

Fonte:
Ministério da Agricultura

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Mais Médicos: um serviço ao Brasil
Médico aposentado que aderiu ao programa do governo federal resolve servir em comunidades carentes.
Mais Médicos para todos
Inscrito no programa do governo federal, médico aposentado defende utilidade do Mais Médicos.
Mais Médicos contribui com importantes resultados na saúde da população brasileira
Renato Tasca, coordenador da Unidade Técnica Mais Médicos da OPAS/OMS, avalia o programa Mais Médicos: "Estou muito orgulhoso de estar apoiando o Brasil nessa tarefa desafiadora"
Médico aposentado que aderiu ao programa do governo federal resolve servir em comunidades carentes.
Mais Médicos: um serviço ao Brasil
Inscrito no programa do governo federal, médico aposentado defende utilidade do Mais Médicos.
Mais Médicos para todos
 Renato Tasca, coordenador da Unidade Técnica Mais Médicos da OPAS/OMS, avalia o programa Mais Médicos: "Estou muito orgulhoso de estar apoiando o Brasil nessa tarefa desafiadora"
Mais Médicos contribui com importantes resultados na saúde da população brasileira

Últimas imagens

Nordeste foi a região mais beneficiada, com 24 médicos. Sudeste receberá 20 profissionais, seguido do Centro-Oeste (7), Sul (7) e o Norte(2)
Nordeste foi a região mais beneficiada, com 24 médicos. Sudeste receberá 20 profissionais, seguido do Centro-Oeste (7), Sul (7) e o Norte(2)
Divulgação/Ministério da Saúde
Cadastro vai possibilitar a criação de políticas para ampliação do número de médicos especialistas, como pediatras
Cadastro vai possibilitar a criação de políticas para ampliação do número de médicos especialistas, como pediatras
Vila Velha-ES
Em 87,1% dos municípios havia atendimento de emergência (24 horas)
Em 87,1% dos municípios havia atendimento de emergência (24 horas)
Divulgação/Governo de SP
Ministro Arthur Chioro assinou um termo de compromisso para o enfrentamento da Hanseníase com 141 municípios matogrossense
Ministro Arthur Chioro assinou um termo de compromisso para o enfrentamento da Hanseníase com 141 municípios matogrossense
Rondon Vellozo/Ascom-MS
Vacina é segura e protege contra a paralisia infantil, que pode levar a morte ou deixar sequelas para o resto da vida
Vacina é segura e protege contra a paralisia infantil, que pode levar a morte ou deixar sequelas para o resto da vida
Gabriel Rosa/SMCS

Governo digital