Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 03 > Equipe avalia condições de saúde e atendimento em aldeias do Pará

Saúde

Equipe avalia condições de saúde e atendimento em aldeias do Pará

por Portal Brasil publicado: 23/03/2012 17h05 última modificação: 29/07/2014 09h07

Uma equipe de profissionais da Secretaria Especial de Saúde Indígena, do Ministério da Saúde, está em Belém (PA) para vistoriar as condições de saúde e de atendimento nas aldeias que integram o Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) Guamá-Tocantins. Desde a semana passada, outra equipe já está no local realizando levantamento nas áreas de gestão e recursos humanos.

A equipe está analisando os contratos vigentes e os processos licitatórios, essenciais na execução dos serviços de limpeza, alimentação, segurança e combustíveis. Também está sendo realizada capacitação dos profissionais do Dsei na área de gestão, para a realização, por exemplo, de contratos para a contratação de serviços. Na área de recursos humanos, está sendo feito  mapeamento do número de profissionais para reorganização dos processos de trabalho, como avaliação do número do quadro de profissionais de saúde e de outras atividades. A equipe técnica levantará as condições das Casas de Saúde do Índio (Casais) e Polos-Base da região, com o objetivo de elaborar um plano de recuperação dessas unidades

O objetivo é identificar as áreas que precisam de ações urgentes, como contratação ou redistribuição dos profissionais de saúde, e a necessidade de reforma ou locação de novo imóvel da Casai Marabá. “Nós reconhecemos as necessidades de melhoria ao atendimento à saúde indígena nesta região. Estamos preocupados em garantir atendimento de qualidade à população indígena”, afirmou o secretário especial de Saúde Indígena, Antônio Alves de Souza.

 

Atendimento

O Polo-base de Marabá atende 661 famílias e conta com um médico, um dentista, duas enfermeiras, um nutricionista, um assistente social, um farmacêutico, oito agentes indígenas de saúde e oito agentes indígenas de saneamento.

A Casai de Marabá conta com outras duas enfermeiras. A Casai garante alojamento e alimentação aos pacientes indígenas que vem à cidade para atendimento e tratamento de alta e média complexidades, oferecidos somente pelo município ou estado. A Casai realiza ainda a articulação com os serviços de referência local, como consultas especializadas e exames. Além disso, fornece transporte dos pacientes até as aldeias e aos serviços de saúde.

Em 2011, o Dsei Guamá-Tocantins realizou 7.643 atendimentos nas aldeias e 800 remoções de pacientes para os centros de saúde. Em 2012, o número de atendimentos, até o momento, é de 1.551 e de remoções são 120. O Dsei atende aos indígenas que  moram no leste do Pará até o norte do Tocantins. São, aproximadamente, 7.129 indígenas. A etnia predominante é a Wai Wai.

 

Fonte:
Ministério da Saúde

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mais de 196 milhões de consultas foram realizadas nas unidades básicas de saúde em 2016
Neste ano o Ministério da Saúde pretende ampliar esses serviços a partir de mudanças que estão sendo formuladas
Prontuário eletrônico dos pacientes do SUS deve ser implantado em todo país até final de 2018
Ministro da Saúde apresenta balanço da economia feita desde que assumiu a pasta
Farmácia Popular vai receber mais R$ 80 milhões por ano para a compra de medicamento
Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas são beneficiadas por mês com a iniciativa
Neste ano o Ministério da Saúde pretende ampliar esses serviços a partir de mudanças que estão sendo formuladas
Mais de 196 milhões de consultas foram realizadas nas unidades básicas de saúde em 2016
Ministro da Saúde apresenta balanço da economia feita desde que assumiu a pasta
Prontuário eletrônico dos pacientes do SUS deve ser implantado em todo país até final de 2018
Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas são beneficiadas por mês com a iniciativa
Farmácia Popular vai receber mais R$ 80 milhões por ano para a compra de medicamento

Últimas imagens

Para essa faixa etária orientação é esquema com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses
Para essa faixa etária orientação é esquema com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses
Foto: Rodrigo Nunes/MS
Medida foi possível após realocação dos R$ 100 milhões destinados à Rede Própria do Farmácia Popular
Medida foi possível após realocação dos R$ 100 milhões destinados à Rede Própria do Farmácia Popular
Arquivo/Ministério da Saúde
Homens têm mais diabetes, colesterol elevado, obesidade e pressão alta
Homens têm mais diabetes, colesterol elevado, obesidade e pressão alta
Olival Santos/Governo de Alagoas
Programa ainda conscientiza os pais sobre a importância da participação no acompanhamento da gravidez
Programa ainda conscientiza os pais sobre a importância da participação no acompanhamento da gravidez
Divulgação/Prefeitura de Itanhaém (SP)

Governo digital