Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 04 > Estudo aponta importância da atividade física no combate à obesidade

Saúde

Estudo aponta importância da atividade física no combate à obesidade

por Portal Brasil publicado: 11/04/2012 18h51 última modificação: 29/07/2014 09h06

O levantamento do Ministério da Saúde, divulgado na terça-feira (10), mostra que a proporção de pessoas acima do peso pulou de 42,7%, em 2006 para 48,5%, em 2011. No mesmo período, o percentual de obesos subiu de 11,4% para 15,8%.

Para combater a obesidade, a prática de exercícios físicos é primordial. Entretanto, os especialistas alertam que a atividade exige cuidados, seja em casa, na academia ou na rua. É recomendado que, antes de se exercitar, seja feita uma avaliação com um médico para prevenir alguns riscos.

A prática de exercícios físicos melhora a autoestima e o nível de concentração, além de deixar os reflexos mais rápidos e a memória mais apurada. As atividades físicas regulam a taxa de açúcar no sangue - reduzindo o risco de diabetes -, retardam o processo de envelhecimento e auxiliam a construção e a manutenção da massa óssea.

O relatório também apontou os dados sobre a prática de atividades físicas. Segundo a pesquisa, os homens são mais ativos do que as mulheres: 39,6% se exercitam regularmente, e entre as mulheres, a frequência é de 22,4%. 

O percentual de homens sedentários no Brasil caiu de 16%, em 2009 para 14,1%, em 2011. No entanto, a tendência percebida é de aumento de sedentários com o aumento da faixa etária. Se 60,1% dos homens entre os 18 e 24 anos praticam exercícios como forma de lazer, esse percentual se reduz para menos da metade aos 65 anos, registrando 27,5%. Na população feminina, as proporções são semelhantes em todas as faixas etárias, variando entre 24,6% (dos 25 aos 45 anos) e 18,9 % (maiores de 65 anos).

O estudo retrata os hábitos da população brasileira com o objetivo de obter informações para o desenvolvimento de políticas públicas de saúde preventiva. Foram entrevistados 54 mil adultos em todas as capitais e também no Distrito Federal, entre janeiro e dezembro de 2011.

 

Fonte:
Ministério do Esporte

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital