Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 04 > Saúde libera R$ 22,7 milhões para Samu e Unidades de Pronto Atendimento

Saúde

Saúde libera R$ 22,7 milhões para Samu e Unidades de Pronto Atendimento

por Portal Brasil publicado: 30/04/2012 12h18 última modificação: 29/07/2014 09h06

Municípios de oito estados brasileiros receberão recursos do Ministério da Saúde para manutenção dos serviços prestados pelas Unidades de Pronto Atendimento (UPA 24h) e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192). A liberação dos recursos foi publicada no Diário Oficial da União da última quinta-feira (26) através de 14 portarias. O valor total de R$ 22,7 milhões, por ano, será incorporado aos tetos financeiros de média e alta complexidade dos respectivos estados ou municípios.

No Maranhão, os municípios de Coroatá, São José do Ribamar e Imperatriz receberão R$ 2,1 milhões, cada um, para custeio da UPA 24h de suporte tipo II. Para Apucarana, município do Paraná, e Capanema, no Pará, também foram destinados R$ 2,1 milhões para o custeio de cada UPA tipo II.

As UPAs tipo II contam com até 12 leitos e tem capacidade de atender até 300 pacientes por dia. As UPAS 24h, assim como o Samu, estão inseridas na rede Saúde Toda Hora, que está reorganizando a atenção às urgências e emergências no Sistema Único de Saúde (SUS).

A estratégia de atendimento está diretamente relacionada ao trabalho do Samu, que organiza o fluxo de atendimento e encaminha o paciente ao serviço de saúde adequado à situação. Nas unidades, os pacientes são avaliados de acordo com uma classificação de risco, podendo ser liberados ou permanecer em observação por até 24 horas, ou se necessário, serão removidos para um hospital de referência.

 

Samu

Em Minas Gerais, a Central Regional da Macrorregião Nordeste e Jequitinhonha foi habilitada, sendo destinados R$ 768 mil anuais para custeio. Essa Central de Regulação Médica do Samu beneficiará 86 municípios, alcançando 1.184.040 pessoas. Além disso, foram destinados recursos para custeio de 21 ambulâncias de suporte básico e cinco de suporte avançado, no total de R$ 4,5 milhões.

Outra central que foi habilitada é a de Pinheiro, no Maranhão, cujo valor de custeio anual é de R$ 360 mil. A unidade contará ainda com o custeio de uma ambulância de suporte avançado e duas básicas, totalizando R$ 630 mil por ano, e beneficiará mais de 137.616 habitantes, incluindo os municípios de Bequimão e Santa Helena.

O Samu no estado de São Paulo também receberá recursos de custeio. Foram destinados R$ 330 mil por ano para a ambulância de suporte avançado e R$ 300 mil por ano para as duas ambulâncias de suporte básico do município de Mongaguá. O município de Queluz também receberá anualmente R$ 150 mil relativo a uma ambulância de suporte básico.

Em Goiás, dois municípios receberão custeio anuais: Catalão com R$ 330 mil por uma ambulância de suporte avançado e Palmeiras do Goiás com R$ 150 mil por ano por uma ambulância de suporte básico.

O município de Sapé, na Paraíba, também receberá custeio por duas ambulâncias, uma avançada (R$ 330 mil por ano) e uma básica (R$ 150 mil por ano). Já o município de Miguel Alves, no Piauí, contará com R$ 150 mil de custeio anual por uma ambulância de suporte básico. No Maranhão, a cidade de Colinas receberá R$ 480 mil por ano, sendo R$ 330 mil pela ambulância avançada e R$ 150 mil pela básica.

 

Fonte:
Ministério da Saúde

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes

Últimas imagens

Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Arquivo/Agência Brasil
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Arquivo/Ministério da Saúde

Governo digital