Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 05 > Banco de leite estimula mães a manterem amamentação dos bebês, diz Ministério da Saúde

Saúde

Banco de leite estimula mães a manterem amamentação dos bebês, diz Ministério da Saúde

por Portal Brasil publicado: 10/05/2012 18h01 última modificação: 29/07/2014 09h05

Os benefícios para a mãe e para o bebê fazem do estímulo à amamentação uma comprovada política de nutrição e promoção da saúde, segundo o Ministério da Saúde. A política de aleitamento do Brasil gerou a Rede Brasileira de Bancos de Leite, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Ela desenvolve um trabalho cujo objetivo é distribuir leite materno para os bebês internados em UTIs neonatais.

De acordo com o ministério, a rede brasileira é a maior e mais desenvolvida, com 206 bancos de leite espalhados pelo mundo e com uma cooperação internacional que exportou tecnologia para toda a América Latina, além de Península Ibérica e África.

O coordenador de Saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde, Paulo Bonilha, destaca que o Brasil é um dos países que tem a política de aleitamento materno mais completa do mundo. “Desde os anos de 1970 o País vem construindo uma política com forte ação da sociedade civil”, disse.

Outra iniciativa do governo brasileiro para estimular o aleitamento é a participação na iniciativa internacional Hospital Amigo da Criança. Com isso, o País se compromete a cumprir dez passos de apoio ao aleitamento materno. O Ministério da Saúde também desenvolve um trabalho com as mães trabalhadoras que amamentam. Além da campanha para que as empresas do Brasil façam a adesão à licença maternidade de seis meses (que pode ser abatido do imposto de renda). Graças a essas ações, explica o ministério, o Brasil tem aumentado a taxa de aleitamento exclusivo em 1,7% ao ano.

Bonilha lembra a importância de incentivar o apoio ao aleitamento materno: “Cada vez mais saem trabalhos mostrando que bebês amamentados ao peito são mais saudáveis, tem menos alergias e são até mais inteligentes. É muito importante a mãe se esforçar e todos apoiarem às mulheres a amamentarem os bebês de forma exclusiva até os seis primeiros meses de vida”.

 

Dados

Nos últimos anos, a amamentação tem crescido significativamente no Brasil. Nas capitais brasileiras e no Distrito Federal, o tempo médio de aleitamento materno aumentou um mês e meio de 1999 a 2008, segundo a última pesquisa do Ministério da Saúde divulgada sobre o assunto, em 2009. Passou de 296 dias, em 1999, para 342 dias, em 2008.

No conjunto das capitais brasileiras, a média de crianças menores de seis meses de idade em aleitamento materno exclusivo foi de 41%. Também foi constatada com a pesquisa que a duração média do aleitamento materno exclusivo aumentou um mês - passando de 23,4 dias para 54,1 dias.

O Brasil, no entanto, apesar dos avanços nos números da amamentação está ainda aquém do patamar considerado muito bom pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que é de 90% a 100% das crianças menores de seis meses em aleitamento materno exclusivo. Por isso, o Ministério da Saúde desenvolve uma série de ações conjuntas, em parceria com os estados e municípios, com o objetivo de aumentar essas taxas e reduzir, consequentemente, a mortalidade de crianças no Brasil.

 

Doação de leite materno

Os resultados das políticas públicas em favor do aleitamento materno no Brasil ocupam lugar de destaque no cenário internacional. Para isso, o Ministério da Saúde tem implementado campanhas e estratégias para incentivar a doação de leite para os Bancos de Leite Humanos.

Exemplos como o da empresária Angélica Brunacci devem ser seguidos. Ao dar a luz à primeira filha, Angélica buscou o banco de leite para mais informações sobre como amamentar melhor. Como produzia leite além do necessário para alimentar a criança, ela foi instruída a doar. “Doar leite não te requer muito esforço porque você já está na função de produzir leite. É só um tempinho a mais que você usa para tirar o leite e colocar em um potinho”, disse.

Para doar basta entrar em contato com o banco de leite mais próximo. O líquido deve ser armazenado em uma embalagem de vidro (que deve ser fervida antes), com tampa de plástico. Ao chegar ao banco o leite é pasteurizado, excluindo todos os tipos de vírus, inclusive hepatite B e HIV.

 

Fonte:
Ministério da Saúde

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Governo lança campanha de combate a Aids no Carnaval
Governo lança campanha de combate a Aids no Carnaval foi lançada em Salvador/BA. Neste ano serão distribuídos 100 milhões de preservativos
Embrapa faz parceria com outros países no combate à Aids
Trabalho conjunto usa soja geneticamente modificada para produzir uma proteína que dificulta o desenvolvimento do vírus
Ministério da Saúde destina novos equipamentos de radioterapia para tratamento do câncer
Pesquisa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) aponta mais de 600 mil novos casos da doença em 2018. Para auxiliar no tratamento, governo anunciou nesta sexta-feira (2) a entrega de novos equipamentos de radioterapia para hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS)
Governo lança campanha de combate a Aids no Carnaval foi lançada em Salvador/BA. Neste ano serão distribuídos 100 milhões de preservativos
Governo lança campanha de combate a Aids no Carnaval
Trabalho conjunto usa soja geneticamente modificada para produzir uma proteína que dificulta o desenvolvimento do vírus
Embrapa faz parceria com outros países no combate à Aids
Pesquisa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) aponta mais de 600 mil novos casos da doença em 2018. Para auxiliar no tratamento, governo anunciou nesta sexta-feira (2) a entrega de novos equipamentos de radioterapia para hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS)
Ministério da Saúde destina novos equipamentos de radioterapia para tratamento do câncer

Governo digital