Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 05 > Ministério da Saúde lança Cartão SUS para população indígena

Saúde

Ministério da Saúde lança Cartão SUS para população indígena

por Portal Brasil publicado: 10/05/2012 16h47 última modificação: 29/07/2014 09h05

O Ministério da Saúde lançou nesta quinta-feira (10) o Cartão Nacional de Saúde e o Hórus, que é um sistema nacional de gestão da assistência farmacêutica para população indígena. O cartão integrará uma base de dados nacional e permitirá a identificação dos indígenas tanto no Subsistema de Atenção à Saúde Indígena (Sasisus) e no Sistema Único de Saúde (SUS), por meio de um número único válido em todo o território nacional. O objetivo é construir um registro eletrônico para o usuário indígena e que permita aos gestores e aos profissionais de saúde acessar o histórico de atendimentos, calendário vacinal, retiradas de medicamentos, realização de exames e cirurgias.

Cerca de 400 mil índios de 210 povos diferentes são atendidos pelo SUS.

 

De acordo com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, o acesso às ações e serviços da atenção especializada também será otimizado a partir da utilização do cartão, que permitirá identificar em todo o País o usuário que necessita agendar consultas especializadas, exames e internações.

“O Cartão SUS será uma poderosa ferramenta para atenção integral e para a gestão da saúde indígena, porque todas as informações do paciente e do profissional ficarão armazenadas no sistema e isso vai ajudar a ter controle dos gastos e rastrear os passos do usuário na rede de serviços, combatendo todo e qualquer tipo de fraude em pagamento de internações, por exemplo,” explicou o ministro.

A implantação e a distribuição do cartão serão feitas para todos os indígenas brasileiros, aproximadamente 620 mil já cadastrados no Sistema de Informação de Atenção à Saúde Indígena (Siasi). Com a medida, será possível organizar a gestão dos serviços e integrar o Siasi com os demais sistemas de informação do SUS, que registram, por exemplo, o perfil do nascimento, adoecimento e mortalidade na população em geral. No ato de lançamento foram entregues 25 cartões aos indígenas presidentes do Conselho Distrital de Saúde Indígena (Condisis), responsáveis pelo controle social indígena.

Para Jorge Oliveira Duarte, da etnia Marubo e presidente do Condisi do Vale do Javari (AM), a implantação do cartão no Sasisus é uma mudança história na gestão da saúde indígena. Segundo ele, o cartão garantirá avanços também na assistência farmacêutica e na política de atenção à saúde. “A saúde está se reestruturando e nós estamos vendo a mudança. Nós temos alguns problemas, mas o cartão e o sistema Hórus são um avanço, já houve outros, como lá, no Vale do Javari, que a equipe multidisciplinar de saúde está completa”, afirmou.

Segundo o Ministério da Saúde, antes da adaptação do cartão para o paciente indígena, havia dificuldades de cruzamentos de dados, por exemplo, registrar uma internação e vinculá-la à retirada de medicamento. “A ação vai garantir ainda o atendimento ao índio no hospital sem o documento civil, visto que grande parte dessa população não possui RG ou CPF.  O cartão trará ainda algumas especificações adicionais, como etnia, nome indígena e nome ‘branco’”, explicou o secretário especial de Saúde Indígena, Antônio Alves.

Encontro

O anúncio foi feito durante a Oficina de Edificações e Saneamento Ambiental na Saúde Indígena, que reúne em Brasília, até a próxima sexta-feira (11), os chefes dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (Dseis), engenheiros, geólogos, arquitetos, além de técnicos da Secretaria Especial Indígena (Sesai).

 

Fonte:
Ministério da Saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil

Últimas imagens

A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
Arquivo/Ministério da Saúde
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Andre Borges/Agência Brasília
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Cícero Oliveira/UFRN

Governo digital