Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 05 > Ministério da Saúde libera recursos para tratamento de transtornos mentais e uso de álcool e drogas

Saúde

Ministério da Saúde libera recursos para tratamento de transtornos mentais e uso de álcool e drogas

por Portal Brasil publicado: 07/05/2012 15h03 última modificação: 29/07/2014 09h05

O Ministério da Saúde publicou, na sexta-feira (7), duas portarias vão proporcionar melhores condições de tratamento às pessoas com transtornos mentais ou que fazem uso de álcool e outras drogas. Com a medida, o ministério investirá mais de R$ 2,5 milhões ao limite financeiro anual de Média e Alta Complexidade dos estados de Goiás, Paraíba, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.

A verba servirá para ampliar os recursos dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) localizados em Inhumas, Goiás, em Cuité, Paraíba, em Fraiburgo, Santa Catarina, em São Paulo, no estado de São Paulo, e em Formoso do Araguaia, Tocantins. Os Caps AD oferecem tratamento continuado a pessoas – e seus familiares – com problemas relacionados ao uso abusivo e/ou dependência de álcool, crack e outras drogas.

Apoio

Já na capital de São Paulo, outra portaria destina mais R$ 468 mil por ano para o Caps AD 24 Horas da Sé. Este centro fará o atendimento de usuários de álcool e outras drogas. Antes de passar a funcionar em tempo integral, o centro recebia R$ 444 mil por ano.

O Centro da Sé é considerado de grande importância dentro da capital paulista por estar localizado no bairro Parque D. Pedro II, onde há uma população em risco social como os albergados e pessoas em situação de rua.

O aumento do limite financeiro anual de média e alta complexidade dos estados faz parte das ações do programa Crack, É Possível Vencer, lançado em dezembro do ano passado - com ações interministeriais - que envolvem os ministérios da Justiça, da Saúde e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, além da Casa Civil e da Secretaria de Direitos Humanos.

O programa prevê investimento nos próximos três anos de R$ 4 bilhões no combate ao crack. Do total, cerca de R$ 2 bilhões são destinados à saúde do cidadão brasileiro.

 

Fonte:
Ministério da Saúde

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital