Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 05 > Serviços de saúde oferecerão diagnóstico gratuito de hanseníase no próximo sábado (5)

Saúde

Serviços de saúde oferecerão diagnóstico gratuito de hanseníase no próximo sábado (5)

por Portal Brasil publicado: 02/05/2012 17h56 última modificação: 29/07/2014 09h05

Mais de 80 serviços de saúde em 24 estados oferecerão diagnóstico gratuito a pessoas com suspeita de hanseníase no próximo sábado (5). A iniciativa faz parte de uma campanha nacional que a Sociedade Brasileira de Dermatologia lançou nesta quarta-feira (2), no Rio de Janeiro. O objetivo é alertar a população e sensibilizar os profissionais de saúde sobre a importância da identificação precoce dos casos da doença.

A dermatologista Marilda Milanez, coordenadora-geral da campanha, explicou que entre os principais sintomas está o surgimento de manchas na pele com alteração na sensibilidade. “A hanseníase acomete principalmente a pele e os nervos periféricos. Se a pessoa tem qualquer mancha, seja ela mais clara, mais avermelhada ou mais acastanhada, em que perceba diminuição da sensibilidade, ela deve procurar serviço médico o mais rápido possível. A doença tem cura e o tratamento é gratuito”, disse.

A coordenadora da campanha acrescentou que se o paciente não for submetido ao tratamento adequado logo que a doença começar a se manifestar, pode haver comprometimento dos movimentos de pés e mãos, dificuldade de fechar os olhos e paralisia do nervo facial.

Marilda Milanez destacou que o Brasil é o segundo País em número absoluto de casos, perdendo apenas para a Índia. Somente no ano passado, foram diagnosticados mais de 30 mil casos da doença. Ela também enfatizou que o País precisa reduzir até 2015 a taxa de incidência, que atualmente é 1,24 caso para cada 10 mil habitantes, para menos de um caso para cada 10 mil habitantes, conforme meta estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O coordenador nacional do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan), Artur Custódio, destacou que o preconceito ainda é um dos principais desafios que os pacientes enfrentam. “O estigma existe porque as pessoas têm muita informação errada sobre a hanseníase. Desmistificar isso é muito importante. Com empenho dos governos e mobilização da população é possível diminuir o preconceito e eliminar a doença”, ressaltou.

O aposentado Célio Gonçalves, que recebeu o diagnóstico da doença após perder a sensibilidade dos dedos dos pés e das mãos, contou que percebeu preconceito por causa da sua condição mesmo entre profissionais de saúde. “O preconceito vem de várias maneiras, por meio do olhar, do falar. Durante o tratamento, quando fui encaminhado para a fisioterapia, percebia que muitos profissionais nem se aproximavam, ensinavam o procedimento a distância”, disse ele que, após ter sido curado da doença, decidiu trabalhar como voluntário no Morhan, prestando informações sobre a hanseníase e apoio a pacientes que têm o diagnóstico confirmado.

A hanseníase é uma doença infecciosa ocasionada pelo bacilo de Hansen. A transmissão ocorre a partir do contato direto com pacientes sem tratamento, que eliminam os bacilos por meio de secreções nasais e gotículas da fala, assim como pela tosse e por espirros. No caso dos doentes que recebem tratamento, com medicamentos via oral, não há risco de transmissão.

A lista dos serviços de saúde que participarão da campanha no próximo sábado pode ser conferida no site.

Saiba sobre outras ações do Ministério da Saúde

 

Fonte:
Agência Brasil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País

Últimas imagens

Redução é acompanhada do aumento das inciativas do Ministério da Saúde para intensificar os trabalhos de combate ao mosquito Aedes aegypti
Redução é acompanhada do aumento das inciativas do Ministério da Saúde para intensificar os trabalhos de combate ao mosquito Aedes aegypti
Foto: Andre Borges/Agência Brasília
Kits contêm 30 tipos de medicamentos e 18 tipos de insumos
Kits contêm 30 tipos de medicamentos e 18 tipos de insumos
Arquivo/EBC
Candidatos poderão escolher até quatro cidades de preferência e concorrer às vagas
Candidatos poderão escolher até quatro cidades de preferência e concorrer às vagas
Arquivo/EBC
Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)

Governo digital