Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 06 > Anvisa aprova norma que simplifica análise de pesquisas clínicas no País

Saúde

Anvisa aprova norma que simplifica análise de pesquisas clínicas no País

por Portal Brasil publicado: 27/06/2012 15h00 última modificação: 29/07/2014 09h04

Medida reduzirá pela metade o tempo que a agência leva para autorizar os estudos

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, na terça-feira (26), norma que irá simplificar a análise de anuências para pesquisas clínicas no País. A proposta passou por consulta pública durante 30 dias e será publicada no Diário Oficial da União nos próximos dias.

Segundo o documento, as pesquisas clínicas já avaliadas e aprovadas na Europa, Estados Unidos, Japão, Austrália ou Canadá poderão passar por análise simplificada no Brasil. A medida reduzirá pela metade o tempo que a agência leva para autorizar esses estudos. No Brasil, as pesquisas clínicas de medicamentos e produtos para saúde devem ser autorizada pela Anvisa, que avalia os aspectos metodológicos e científicos dos trabalhos. Esse tipo de pesquisa é necessário para o registro de novos medicamentos, novas indicações terapêuticas, novas associações, entre outras adequações exigidas por lei.

Atualmente, existem 107 pedidos de pesquisa clínica na fila de análise da agência, com prazo médio de seis meses para conclusão. De acordo com a resolução, cerca de 80% podem ser enquadrados nos novos critérios de análise simplificada a partir de uma solicitação dos responsáveis pelo trabalho. A estimativa é que esse prazo seja reduzido para 90 dias.

A norma não altera os procedimentos de avaliação dos aspectos éticos das pesquisas, que continua sendo de responsabilidade do Comitê Nacional de Ética em Pesquisa (Conep).

 

Controle

Na reunião da Diretoria Colegiada de terça-feira foi aprovada, também, a inclusão das substâncias Ergina, MDPV, DMAA, Salvinorina A e Metanfetamina na lista de substâncias proscritas da Portaria SVS/MS N° 344 de 1998.  A partir da publicação da portaria atualizada no Diário Oficial da União, o comércio dessas substâncias fica proibido no Brasil.

A proibição da venda dessas substâncias no País é decorrente de demanda da Polícia Federal e está relacionada a indícios de uso ilícito e aos riscos à saúde associados à utilização desses produtos.

 

Leia mais:

Audiência pública discute disposição de medicamentos no balcão da farmácia

Anvisa e CNPq assinam acordo para desenvolvimento de pesquisas

Bancos de Células terão roteiro padronizado, segundo Anvisa

 

Fonte:
Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mais de 196 milhões de consultas foram realizadas nas unidades básicas de saúde em 2016
Neste ano o Ministério da Saúde pretende ampliar esses serviços a partir de mudanças que estão sendo formuladas
Prontuário eletrônico dos pacientes do SUS deve ser implantado em todo país até final de 2018
Ministro da Saúde apresenta balanço da economia feita desde que assumiu a pasta
Farmácia Popular vai receber mais R$ 80 milhões por ano para a compra de medicamento
Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas são beneficiadas por mês com a iniciativa
Neste ano o Ministério da Saúde pretende ampliar esses serviços a partir de mudanças que estão sendo formuladas
Mais de 196 milhões de consultas foram realizadas nas unidades básicas de saúde em 2016
Ministro da Saúde apresenta balanço da economia feita desde que assumiu a pasta
Prontuário eletrônico dos pacientes do SUS deve ser implantado em todo país até final de 2018
Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas são beneficiadas por mês com a iniciativa
Farmácia Popular vai receber mais R$ 80 milhões por ano para a compra de medicamento

Últimas imagens

Para essa faixa etária orientação é esquema com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses
Para essa faixa etária orientação é esquema com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses
Foto: Rodrigo Nunes/MS
Medida foi possível após realocação dos R$ 100 milhões destinados à Rede Própria do Farmácia Popular
Medida foi possível após realocação dos R$ 100 milhões destinados à Rede Própria do Farmácia Popular
Arquivo/Ministério da Saúde
Homens têm mais diabetes, colesterol elevado, obesidade e pressão alta
Homens têm mais diabetes, colesterol elevado, obesidade e pressão alta
Olival Santos/Governo de Alagoas
Programa ainda conscientiza os pais sobre a importância da participação no acompanhamento da gravidez
Programa ainda conscientiza os pais sobre a importância da participação no acompanhamento da gravidez
Divulgação/Prefeitura de Itanhaém (SP)

Governo digital