Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 06 > Minas Gerais terá R$ 476 milhões para enfrentar o crack

Saúde

Minas Gerais terá R$ 476 milhões para enfrentar o crack

por Portal Brasil publicado: 29/06/2012 19h15 última modificação: 29/07/2014 09h04

O estado é o quinto a aderir ao programa do governo federal Crack, é possível vencer

 

O estado de Minas Gerais e a prefeitura de Belo Horizonte aderiram nesta sexta-feira (29) ao programa do governo federal Crack, é possível vencer. Serão investidos R$ 476,7 milhões no estado até 2014 para fortalecer a oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários drogas, enfrentar o tráfico e as organizações criminosas e para ampliar a prevenção.

Minas Gerais é a quinta unidade da Federação a aderir ao programa lançado em dezembro de 2011. Pernambuco, Alagoas, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul já assinaram termo de cooperação. Já estão em fase de pactuação para adesão Bahia, Acre, Santa Catarina e o Distrito Federal.

Belo Horizonte terá três Centros de Atenção Psicossocial (CAPS-AD) para atendimento 24 horas em 2012, chegando a cinco em 2014; seis Consultórios nas Ruas; 12 leitos em enfermarias especializadas em álcool e drogas. Até o final do ano serão criadas duas novas Unidades de Acolhimento, sendo uma para atendimento adulto e uma para atendimento de crianças e adolescentes. Para implantar essas melhorias na capital mineira, o Ministério da Saúde investirá R$ 3,17 milhões neste ano. Até 2014 serão investidos R$ 18,5 milhões.

Em todo o estado, serão criados 386 leitos, chegando em 2014 a 644 leitos de enfermarias especializadas em álcool e drogas. Em 2012, serão 32 CAPs-AD 24 horas, chegando a 86 em 2014. Serão 17 Unidades de Acolhimento, em 2012, sendo nove destinadas ao público adulto e oito para o público infantil. Até 2014 serão 93 unidades. Neste ano serão implantados sete Consultórios nas Ruas, chegando a 35 em 2014. 

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) irá aumentar os recursos mensais destinados ao estado de R$ 20 mil para R$ 90 mil. Será aberto também um novo Centro de Referência Especializados para Pessoas em Situação de Rua (Centros POP) em Belo Horizonte, que passa a contar com três unidades desse tipo.

Os recursos mensais para os centros passam de R$ 13 mil para R$ 23 mil mensais por unidade. As equipes de abordagem de rua passarão de nove para 13. Serão também inaugurados três novos Centros de Referência Especializada em Assistência Social (Creas), que se juntam aos nove que estão hoje em funcionamento. No total, as unidades de acolhimento vão ter mais 250 vagas até 2012 e mais 450 até o fim de 2014. 

Prevenção
Com ações voltadas para a escola e a comunidade, Minas Gerais terá vagas de capacitação na formação de profissionais que atuam nas áreas de saúde, assistência social, justiça e segurança pública por meio de cursos presenciais e à distância. A Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas do Ministério da Justiça (Senad) é responsável por articular essa formação. A meta até 2014 é formar, no estado, 500 profissionais que atuam em comunidades terapêuticas; 1,6 mil operadores de direito; 7,5 mil educadores e policiais; 4,2 mil conselheiros; 1,5 mil lideranças religiosas. 

Segurança pública
Nas áreas de concentração de uso de drogas, serão instaladas câmeras de videomonitoramento fixo e implementado policiamento ostensivo. O total de investimentos do governo federal na segurança pública fica acima de R$ 7,5 milhões. O estado vai receber quatro bases móveis equipadas com sistema de videomonitoramento, 80 câmeras de videomonitoramento fixo, quatro veículos e oito motocicletas e 800 equipamentos de menor potencial ofensivo, além da capacitação de 160 profissionais de segurança.

Leia mais:

Programa Crack, é Possível Vencer receberá até 2014 do governo federal R$ 4 bi

Governo lança Programa Brasil Mais Seguro

Justiça lança cartilhas para prevenção ao uso de drogas entre jovens a adolescentes

Justiça libera R$ 375 mil para financiar projetos de pesquisa e extensão sobre drogas

 

Fonte: 

Ministério da Justiça

 

 

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes

Últimas imagens

Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Arquivo/Agência Brasil
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Arquivo/Ministério da Saúde

Governo digital