Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 06 > Plano de redução das mortalidades infantil e materna entre índios tem início no Acre

Saúde

Plano de redução das mortalidades infantil e materna entre índios tem início no Acre

por Portal Brasil publicado: 11/06/2012 18h29 última modificação: 29/07/2014 09h04
Divulgação/ Funasa O Brasil tem 34 distritos sanitários indígenas distribuídos em todo o território

O Brasil tem 34 distritos sanitários indígenas distribuídos em todo o território

Estado recebe projeto-piloto de plano nacional que será implantado em mais 16 áreas indígenas até fim do ano

 

As ações do plano nacional de redução das moralidades infantil e materna na população indígena tiveram início no Acre, como projeto-piloto, nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs) Alto Rio Purus e Alto Rio Juruá.

De 2 a 5 de junho, balanço parcial da ação  indica 2.257 atendimentos no Acre: 948 de enfermaria, 813 médicos e 468 odontológicos. Coordenado pela Casa Civil, o plano nacional cria o Comitê de Gestão Integrada das Ações de Atenção à Saúde e Segurança Alimentar dos Povos Indígenas.

O plano vai contemplar, até o final do ano, 16 distritos indígenas, que concentraram 70% do número absoluto de óbitos em crianças menores de um ano registrados em 2011. De acordo com o Ministério da Saúde, o restante de toda a rede, que engloba mais 18 DSEIs, também será beneficiada. O público-alvo são crianças de até 6 anos e mulheres de 10 a 49 anos.

Serão priorizadas as ações para ampliação de cobertura de vacinas, incentivo ao aleitamento materno, vigilância nutricional e suplementação alimentar para o combate à desnutrição infantil, realização de pré-natais, testes rápidos para diagnóstico de HIV e Sífilis, identificação e monitoramento dos casos de gravidez de alto risco e articulação com a rede municipal e estadual de saúde para atendimento dos casos de média e alta complexidades.

Em um ano, o total de trabalhadores contratados para atuar na saúde indígena em todo o País, passou de 8.795 em abril de 2011, para 12.701, em abril 2012, o que representa crescimento de 44%.


Leia mais:

Saúde indígena terá plano especial

Novo programa de redução da mortalidade indígena terá apoio da Defesa

Vacinação da população indígena contra gripe atingiu 69,11% da meta

 

Fonte:
Ministério da Saúde

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital