Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 07 > Carta SUS possibilita que cidadão avalie serviços de saúde e denuncie irregularidades

Saúde

Carta SUS possibilita que cidadão avalie serviços de saúde e denuncie irregularidades

Atendimento

Desde 2012, mais de 4 milhões de correspondências já foram enviadas, resultando em 330 denúncias de usuários
por Portal Brasil publicado: 18/07/2012 19h53 última modificação: 29/07/2014 09h04
Blog da Saúde Correspondência enviada aos usuários do SUS avalia o atendimento e os serviços prestados nos hospitais da rede pública e nas unidades conveniadas

Correspondência enviada aos usuários do SUS avalia o atendimento e os serviços prestados nos hospitais da rede pública e nas unidades conveniadas

A Carta SUS, correspondência enviada pelo Ministério da Saúde aos usuários do Sistema Único de Saúde para avaliação do atendimento e dos serviços prestados nos hospitais da rede pública e unidades conveniadas, já apresenta seus resultados. Desde janeiro, mais de 4 milhões de correspondências foram enviadas, resultando em 330 denúncias de usuários.

O Departamento Nacional de Auditoria do SUS já realizou cinco investigações baseadas em denúncias da Carta SUS, criada em novembro de 2011.  A última, feita entre 14 e 23 de março, foi na Clínica São Silvestre (Clissil), em São Gonçalo (RJ), que presta serviços de clínica obstetrícia ao município. A clínica foi alvo de 28 denúncias, entre elas, a de dupla cobrança, em que o procedimento médico era pago pelo paciente e também pelo SUS, ou a cobrança por um serviço não prestado.

Em razão da gravidade das irregularidades, o Ministério da Saúde recomendou à prefeitura de São Gonçalo o descredenciamento da clínica e a contratação imediata de novos leitos para atendimentos com obstetras para que não haja prejuízo à população. O governo federal também determinou à Clissil que devolva integralmente os valores cobrados indevidamente às usuárias do SUS.

Em fevereiro, a Carta SUS também permitiu a identificação de problemas semelhantes na cidade de Pontão (RS). A população denunciou a prefeitura municipal, que emitia boletos de cobrança por cirurgias realizadas pelo SUS. Os denunciantes só ficaram sabendo que o procedimento foi totalmente custeado pelo SUS após receberem a correspondência do Ministério da Saúde. A prefeitura alegou que não tinha dinheiro para arcar com os gastos da saúde e o caso foi encaminhado ao Ministério Público.

“É fundamental que a população, ao receber a carta, confira se as informações estão corretas e, caso haja qualquer irregularidade, faça a denúncia ao Ministério da Saúde para que haja uma fiscalização”, alerta o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Transparência

Além do questionário para a avaliação do paciente, a Carta SUS traz dados como a data da entrada no hospital, o dia da alta e o motivo da internação. O usuário pode conferir se os dados estão corretos e se correspondem ao serviço prestado de fato, além de ter a oportunidade de conhecer o custo total da internação.

Os endereços dos pacientes são obtidos nos formulários de Autorização para Internação Hospitalar (AIH), que integra o Sistema de Informação Hospitalar. Estes formulários são, portanto, um instrumento essencial para a gestão dos hospitais e o controle de gastos públicos em saúde.

Quando houver denúncias, serão abertos processos de auditoria para averiguar se houve ou não irregularidades. Além de poder responder a Carta SUS pelos Correios, o usuário pode fazer a avaliação, sem custos, por meio do Disque-Saúde (136). A ligação pode ser feita de telefones fixos, públicos ou celulares, de qualquer local do País. A avaliação também está disponível no site do ministério da Saúde.

Fonte:

Ministério da Saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Número de brasileiros no Programa Mais Médicos aumentou
Em um ano, aumentou 44% a participação de médicos brasileiros no Programa Mais Médicos. Expectativa do governo é substituir 4 mil profissionais em três anos
Governo amplia recursos para UPAs 24h
Ministério da Saúde amplia em R$ 93 milhões os recursos para UPAS 24 horas. O investimento será usado para pagar e qualificar os serviços ofertados à população
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil
Em um ano, aumentou 44% a participação de médicos brasileiros no Programa Mais Médicos. Expectativa do governo é substituir 4 mil profissionais em três anos
Número de brasileiros no Programa Mais Médicos aumentou
Ministério da Saúde amplia em R$ 93 milhões os recursos para UPAS 24 horas. O investimento será usado para pagar e qualificar os serviços ofertados à população
Governo amplia recursos para UPAs 24h

Últimas imagens

A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
Arquivo/Ministério da Saúde
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Andre Borges/Agência Brasília
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Cícero Oliveira/UFRN

Governo digital