Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 07 > Inaugurada no Haiti sede de atividades para fortalecimento do sistema de saúde

Saúde

Inaugurada no Haiti sede de atividades para fortalecimento do sistema de saúde

por Portal Brasil publicado: 19/07/2012 12h43 última modificação: 29/07/2014 09h04

Espaço de Saúde Zilda Arns será sede oficial das atividades e negociações de projeto que promoverá a reestruturação do sistema de saúde haitiano

A sede oficial das atividades técnicas e negociações do Projeto Haiti - que é uma cooperação firmada entre Brasil, Cuba e Haiti para fortalecer o sistema de saúde haitiano - foi inaugurada na quarta-feira (18). O local será chamado de Espaço de Saúde Zilda Arns, em homenagem à médica e sanitarista brasileira, que morreu no terremoto que atingiu o país em 2010.

A solenidade contou com autoridades dos governos haitiano e cubano, familiares da médica - que atuou em causas humanitárias voltadas para saúde da mulher e da criança, dentro e fora do Brasil - e representantes da Pastoral da Criança, organismo fundado por Zilda para dar assistência a gestantes e crianças em todos os estados brasileiros e em países como Paraguai, Colômbia, Guiné Bissau, Haiti, entre outros. Atualmente, a organização conta com mais de 228 mil voluntários capacitados.

Haverá ainda nesta semana, em Porto Príncipe, capital do país caribenho, a XI Reunião do Comitê Gestor do Projeto Haiti, instância máxima para decisões sobre a execução das atividades acordadas entre os três países, tendo como referência o Memorando de Entendimento assinado pelos três governos. O objetivo do encontro é definir novas metas de curto e médio prazo, além de fazer um balanço do que foi realizado pela cooperação nos últimos meses.

 

O projeto

O acordo, que foi firmado em 2010, tem a intenção de fortalecer a autoridade sanitária e reestruturar o sistema de assistência à saúde e de vigilância epidemiológica do Haiti.

No Brasil, participam da ação representantes do Ministério da Saúde, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e das universidades federais do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina (UFRGS e UFSC). O auxílio brasileiro utiliza recursos extraordinários para operações de assistência especial no exterior e assistência humanitária ao Haiti em iniciativas voltadas para a saúde.

Por meio do projeto já foram reformados dois laboratórios especializados em vigilância epidemiológica, que estão sendo equipados e começarão a funcionar nos próximos meses. Além disso, serão construídos também três hospitais de referência - que vão atuar de forma articulada com a rede de Atenção Primária do país - e um centro de assistência à pessoa com deficiência.

A cooperação apoia ainda o Programa Ampliado de Vacinação do Haiti, que promoveu a Campanha Nacional de Vacinação Contra o Sarampo, a Rubéola e a Poliomielite realizada este ano. O Brasil já doou ao programa de imunização 8,7 milhões doses de vacina.

 

Agentes comunitários

O Projeto Haiti realiza também a formação de profissionais para atuação em diversas áreas da saúde – agentes comunitários de saúde polivalentes, auxiliares de enfermagem e agentes sanitários. Já foram formados 58 agentes comunitários de saúde.

Em parceria com Cuba e Haiti, o Brasil desenvolveu o currículo dos cursos e realizou treinamentos para a formação de professores. O Ministério da Saúde participou do processo de locação de salas, implantação de uma secretaria escolar e aquisição de equipamentos, computadores e na produção editorial de materiais didáticos para as aulas. A meta é formar em torno de mil agentes comunitários até o fim do projeto para atingir as demais regiões do país.

Leia mais:

Brasil irá financiar ajuda humanitária no exterior

Brasil ampliará produção da vacina contra a tuberculose para exportação

Brasil forma agentes comunitários de saúde para atuar no Haiti

Brasil contribui em ação de vacinação no Haiti

Conheça o perfil de Zilda Arns

 

Fonte:
Ministério da Saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Governo amplia vacinação contra HPV para meninos de 11 a 15 anos incompletos
Homens e mulheres transplantados, além de pacientes em radioterapia e quimioterapia, também serão imunizados
SUS oferece tratamento gratuito contra a asma
Sistema Único de Saúde disponibiliza, de forma gratuita, os medicamentos para tratamento contra a asma
Ministério da Saúde lança campanha para incentivar doação de sangue
Nesta quarta-feira (14), o Ministério da Saúde lançou a Campanha Nacional de Doação de Sangue 2017
Homens e mulheres transplantados, além de pacientes em radioterapia e quimioterapia, também serão imunizados
Governo amplia vacinação contra HPV para meninos de 11 a 15 anos incompletos
Sistema Único de Saúde disponibiliza, de forma gratuita, os medicamentos para tratamento contra a asma
SUS oferece tratamento gratuito contra a asma
Nesta quarta-feira (14), o Ministério da Saúde lançou a Campanha Nacional de Doação de Sangue 2017
Ministério da Saúde lança campanha para incentivar doação de sangue

Últimas imagens

Desde 2011, itens são conduzidos por cinco empresas aéreas que assinaram o termo
Desde 2011, itens são conduzidos por cinco empresas aéreas que assinaram o termo
Divulgação/Ministério dos Transportes
Acre possui 54 obras de serviços de saúde em execução no momento
Acre possui 54 obras de serviços de saúde em execução no momento
Divulgação/Governo do Acre
Pagamento dos recursos, incorporados ao Teto MAC do estado, será feito regularmente em parcelas mensais
Pagamento dos recursos, incorporados ao Teto MAC do estado, será feito regularmente em parcelas mensais
Divulgação/Ministério da Saúde
Os produtos são da categoria de alimentos de transição, utilizados como complemento ao leite materno
Os produtos são da categoria de alimentos de transição, utilizados como complemento ao leite materno
Foto: Sergio Amaral/MDS
Outros medicamentos estão na lista para uma próxima compra conjunta entre os países, como o Eculizumabe
Outros medicamentos estão na lista para uma próxima compra conjunta entre os países, como o Eculizumabe
J. Freitas/Agência Brasil

Governo digital