Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 07 > Mais de 70 mil indígenas do MS receberão atendimento odontológico

Saúde

Mais de 70 mil indígenas do MS receberão atendimento odontológico

por Portal Brasil publicado: 27/07/2012 18h53 última modificação: 29/07/2014 09h04
Prefeitura Municipal de Barras (BA) As unidades levarão atendimento odontológico para mais de 70 mil índios do Mato Grosso do Sul

As unidades levarão atendimento odontológico para mais de 70 mil índios do Mato Grosso do Sul

Duas Unidades Odontológicas Móveis, entregues hoje ao Estado, farão cerca de 350 atendimentos por mês em regiões de aldeias

A entrega faz parte de uma compra nacional de 25 unidades móveis na qual foram investidos R$ 3,85 milhões pelo Ministério da Saúde. As unidades oferecem tratamento clínico odontológico, além de ações de promoção e prevenção à saúde bucal. 

As vans para serviços odontológicos são componentes estratégicos do Programa Brasil Sorridente Indígena. A ação tem como objetivo ampliar o acesso dessa população à atenção odontológica qualificada, levando profissionais aos locais mais remotos e de difícil acesso. 

Setenta e cinco aldeias receberão atendimento e terão prioridade os 22 acampamentos indígenas Guarani-Kaiowá.

Cada unidade móvel conta com consultório odontológico equipado com cadeira odontológica, kit de pontas (conhecido como “motorzinho do dentista”), mocho (cadeira do dentista), refletor, amalgamador e fotopolimerizador (materiais que fazem o preparo dos produtos utilizados nas restaurações dentárias), raio-X odontológico e autoclave para esterilização do material.

Os veículos possuem ar-condicionado, pia para lavagem das mãos, reservatórios de água, armários para armazenagem de material e, acoplado ao veículo, uma carroceria que carrega um gerador de energia.

Saúde Indígena

Em um ano, o total de trabalhadores contratados para atuar na Saúde Indígena no DSEI do Mato Grosso do Sul, incluindo odontólogos e outros profissionais de saúde, aumentou de 444 para 750. Além disso, o Ministério da Saúde adquiriu para o DSEI 7.548 instrumentos de trabalho de 58 tipos diferentes para atendimento de saúde bucal, tais como espelho clínico, pinças cirúrgicas, fórceps, tesouras clínicas e cirúrgicas, exploradores, alavancas apicais, curetas periodontias, curetas de dentina, ao custo de R$ 87,2 mil. 

Todos os investimentos fazem parte da estratégia de implantação do Brasil Sorridente Indígena nos 34 DSEIs do país. O Brasil Sorridente Indígena é uma política do Ministério da Saúde, e é coordenado pela Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) e pela Secretaria de Atenção à Saúde (SAS).

O programa objetiva ampliar o atendimento e melhorar as condições de saúde bucal da população indígena brasileira.

Brasil Sorridente Indígena

O programa Brasil Sorridente Indígena foi iniciado em dezembro de 2011 e tem ampliado o acesso da população ao atendimento odontológico. De acordo com levantamento feito pela Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), do Ministério da Saúde, em apenas seis meses, oito mil indígenas de distritos do Amazonas, Acre e Mato Grosso tiveram a oportunidade de fazer tratamentos odontológicos. Nesse período, o programa atendeu 2.025 indígenas, número quase três vezes maior que o obtido em 2010, quando foram realizados 863 atendimentos.

O objetivo é ampliar o atendimento e melhorar as condições de saúde bucal da população indígena brasileira que, quando necessita de algum tratamento dentário (ou qualquer outro atendimento de saúde) precisa se deslocar até os polos-base, que são pontos de assistência instalados nas proximidades das aldeias. Atualmente, existem 50 polos no País, número insuficiente para atender toda a população de índios.

Leia mais:

Saiba mais sobre o Brasil Sorridente

Ministério da Saúde reforça assistência aos Xavantes

Unidades Odontológicas Móveis beneficiarão cerca de 390 mil índios em 15 distritos

Fonte:
Ministério da Saúde




Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes

Últimas imagens

Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Arquivo/Agência Brasil
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Arquivo/Ministério da Saúde

Governo digital