Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 07 > Programa Saúde na Família é tema de congresso no Rio de Janeiro

Saúde

Programa Saúde na Família é tema de congresso no Rio de Janeiro

por Portal Brasil publicado: 27/07/2012 13h01 última modificação: 29/07/2014 09h04

A constatação é resultado dos estudos realizados desde a criação do Programa Saúde da Família (PSF), em 1994

Os investimentos na atenção primária por meio das unidades básicas de Saúde têm sido o principal responsável pela melhora nos indicadores de saúde no Brasil. Esse tema faz parte dos debates do 3º Congresso da Associação de Medicina de Família e Comunidade do Estado do Rio de Janeiro, que termina nesta sábado (28), em Petrópolis.

A constatação partiu da compilação de estudos realizados ao longo dos últimos anos, a partir da criação do Programa Saúde da Família (PSF), em 1994, que tem o objetivo de garantir o acesso gratuito da população a uma assistência integral, por uma equipe multidisciplinar perto de casa, como estratégia de prevenção de doenças e a manutenção da saúde. 

A presidente do Congresso, a médica Andréa Castro, destacou a posição brasileira no cenário mundial no que diz respeito ao atendimento primário na área de saúde. “O Brasil tem o reconhecimento internacional, inclusive pela Organização Mundial da Saúde, devido aos benefícios dessa estratégia (PFS)”, disse. 

Alguns indicadores que comprovam que o País tem avançado são: a redução da mortalidade infantil, da mortalidade materna, das mortes por insuficiência cardíaca e a maior detecção precoce de câncer, como os de útero e de mama. “A expansão dessa estratégia tem elevado a qualidade de vida dos brasileiros, sobretudo dos mais pobres, e tem aumentado o nível de satisfação da população”, observou Andréa.

Com base nos estudos, esse tipo de assistência médica gera economia aos cofres públicos, pois contribui para o uso mais racional de medicamentos, previne doenças que podem ocasionar tratamentos ou internações e cirurgias bem mais onerosas ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Leia mais:

Principais objetivos do programa Saúde da Família

Ministério habilita novas equipes de Saúde da Família

Mais 50 Núcleos de Saúde da Família são criados em 13 estados

 

Fonte:
Agência Brasil

 

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil

Últimas imagens

A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
Arquivo/Ministério da Saúde
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Andre Borges/Agência Brasília
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Cícero Oliveira/UFRN

Governo digital