Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 08 > Políticas públicas promovem o aleitamento materno e a alimentação complementar

Saúde

Políticas públicas promovem o aleitamento materno e a alimentação complementar

por Portal Brasil publicado: 16/08/2012 17h54 última modificação: 29/07/2014 09h04
Senado A promoção da alimentação complementar saudável está inserida para fortalecer as ações de apoio e promoção à alimentação das crianças entre 6 e 24 meses e incentivar a orientação alimentar

A promoção da alimentação complementar saudável está inserida para fortalecer as ações de apoio e promoção à alimentação das crianças entre 6 e 24 meses e incentivar a orientação alimentar

As ações visam conscientizar sobre a importância da amamentação e, além de campanhas de sensibilização, a iniciativa integra investimentos, realização de eventos de mobilização e unidades de saúde

A Campanha Nacional de Amamentação 2012, lançada no Rio de Janeiro no último dia 1º de agosto, trouxe à tona a importância do envolvimento da sociedade em ações de valorização do direito de mães e bebês à alimentação saudável. Durante a ocasião, foi anunciado pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, o investimento de R$ 45 milhões na qualificação do pré-natal em 2.120 municípios, por exemplo. Essas ações fazem parte da estratégia Rede Cegonha, lançada em 2011 para ampliar e qualificar a assistência prestada às gestantes e aos bebês no Sistema Único de Saúde (SUS).

Os esforços pela nutrição infantil adequada foram, a partir da campanha deste ano, intensificados. Além da campanha, o governo federal desenvolveu uma Política Nacional de Alimentação e Nutrição e, nesse contexto, trabalha para que a Promoção da Alimentação Saudável (PAS), que é uma das linhas de atuação da Coordenação Geral da Política Nacional de Alimentação e Nutrição(CGAN), sejam adotadas pela população como fundamentais para o desenvolvimento das crianças.

Todas as ações têm como objetivo apoiar os estados e municípios brasileiros no desenvolvimento de ações e abordagens para a promoção da saúde e a prevenção de doenças relacionadas à alimentação e nutrição, tais como anemia, hipovitaminose A, distúrbios por deficiência de iodo (DDIs), desnutrição, obesidade, diabetes, hipertensão, câncer, entre outras.

A promoção da alimentação complementar saudável está inserida em um dos eixos estratégicos da Política Nacional de Alimentação e Nutrição (PNAN), que tem como fio condutor o Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA) e a Segurança Alimentar e Nutricional (SAN).

A CGAN elaborou, em parceria com a Rede Internacional em Defesa do Direito de Amamentar (IBFAN Brasil) e OPAS/OMS, uma Estratégia Nacional para Alimentação Complementar Saudável (ENPACS) como instrumento para fortalecer as ações de apoio e promoção à alimentação das crianças entre 6 e 24 meses no âmbito da Atenção Primária à Saúde do SUS, além de incentivar a orientação alimentar para esta faixa etária como atividade de rotina nos serviços de saúde.

Debates nos Estados

Acontece a partir do próximo domingo (19), em Fortaleza (CE), o XII Encontro Nacional de Aleitamento Materno/ENAM e II Encontro Nacional de Alimentação Complementar Saudável/ENACS, quando será debatida a importância do aleitamento materno e da alimentação complementar saudável. O congresso, que acontece no Centro de
Convenções do Ceará, vai até quinta-feira (23) .

RedeNutri 

A Rede de Nutrição do Sistema Único de Saúde (RedeNutri) é uma rede social composta por profissionais envolvidos na implementação de ações de alimentação e nutrição em diferentes esferas de governo e áreas. Sua missão é constituir-se em um espaço para problematização, formulação e troca de experiências relacionadas à implementação das diretrizes da Política Nacional de Alimentação e Nutrição (PNAN) do Ministério da Saúde (MS), no âmbito, principalmente, do Sistema Único de Saúde (SUS).

A RedeNutri possui um comitê gestor composto pela Coordenação Geral de Alimentação e Nutrição (CGAN) / Departamento de Atenção Básica (DAB) / Secretaria de Atenção à Saúde (SAS) / Ministério da Saúde (MS), Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e Observatório de Políticas de Segurança Alimentar e Nutrição (OPSAN) / Universidade de Brasília (UnB).

Aliança Mundial de Ação pró-Amamentação 

O Dia Mundial da Amamentação foi criado em 1º de agosto de 1992 - pela Aliança Mundial de Ação pró-Amamentação (World Alliance for Breastfeeding Action - WABA) - com o objetivo de combater a desnutrição infantil promovendo a amamentação natural e possibilitar a criação de bancos de leite para crianças que não têm condições de serem amamentadas por suas mães.

A data comemora a assinatura da Declaração de Innoceti, em agosto de 1990, por diversos países, além do Brasil. Uma das finalidades do documento é estabelecer um comitê nacional de coordenação da amamentação e adotar uma legislação que proteja a mulher que amamenta no trabalho.

 

 

Leia mais:

Semana Mundial do Aleitamento Materno começa nesta quarta-feira (1º) 

Aberta as inscrições para curso à distância sobre Redes de Atenção à Saúde 

Distrito Federal quer implantar salas de amamentação para funcionárias públicas 

Lançada Campanha Nacional de Amamentação 2012 

Banco de leite estimula mães a manterem amamentação dos bebês, diz Ministério da Saúde

Novo programa de redução da mortalidade indígena terá apoio da Defesa 

Alimentação adequada pode reduzir mortes de crianças, segundo Ministério da Saúde 

 

Fonte:
Enam 2012 
Portal Brasil 
Ministério da Saúde  
Consea 
MDS 
Redenutri

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Fiocruz participa da Semana Nacional dos Museus com uma série de atividades
Museu da Vida da Fiocruz, no Rio de Janeiro, apresenta uma programação especial em homenagem à Semana Nacional dos Museus
Campanha do Ministério da Saúde incentiva a doação de leite materno
Ministério da Saúde lançou campanha para incentivar a doação de leite materno com slogan "Um pouquinho do que você doa, é tudo para quem precisa"
Governo decreta fim da Emergência Nacional para o vírus zika e microcefalia
Governo decretou fim da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional para o vírus zika e a microcefalia. Medida ocorre após queda na ocorrência dos casos do vírus no País.
Museu da Vida da Fiocruz, no Rio de Janeiro, apresenta uma programação especial em homenagem à Semana Nacional dos Museus
Fiocruz participa da Semana Nacional dos Museus com uma série de atividades
Ministério da Saúde lançou campanha para incentivar a doação de leite materno com slogan "Um pouquinho do que você doa, é tudo para quem precisa"
Campanha do Ministério da Saúde incentiva a doação de leite materno
Governo decretou fim da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional para o vírus zika e a microcefalia.  Medida ocorre após queda na ocorrência dos casos do vírus no País.
Governo decreta fim da Emergência Nacional para o vírus zika e microcefalia

Últimas imagens

No primeiro mutirão, foram realizados 3.649 atendimentos em 22 estados e Distrito Federal
No primeiro mutirão, foram realizados 3.649 atendimentos em 22 estados e Distrito Federal
Merval Filho/Ebserh
Glaucoma não tem cura, mas pode ser controlado com colírios ou cirurgia
Glaucoma não tem cura, mas pode ser controlado com colírios ou cirurgia
Divulgação/Governo do Espírito Santo
O laboratório público Bio-Manguinhos/Fiocruz produz cerca de 6 milhões de doses mensais da vacina
O laboratório público Bio-Manguinhos/Fiocruz produz cerca de 6 milhões de doses mensais da vacina
Divulgação/Ministério da Saúde
Percentual de adultos que consomem frutas e hortaliças regularmente deve aumentar em no mínimo 17,8%
Percentual de adultos que consomem frutas e hortaliças regularmente deve aumentar em no mínimo 17,8%
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital