Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 08 > Campanha de atualização da caderneta de vacinação infantil acaba na sexta (24)

Saúde

Campanha de atualização da caderneta de vacinação infantil acaba na sexta (24)

por Portal Brasil publicado: 23/08/2012 16h15 última modificação: 29/07/2014 09h04
Reprodução/Ministério da Saúde O calendário básico infantil passou a incluir a pentavalente e a Vacina Inativada Oral contra a Poliomielite (VIP), lançadas este ano

O calendário básico infantil passou a incluir a pentavalente e a Vacina Inativada Oral contra a Poliomielite (VIP), lançadas este ano

Mais de 3 milhões de crianças menores de 5 anos já compareceram aos postos de saúde

 

A campanha de atualização da caderneta de vacinação infantil termina na sexta-feira (24) em todo o País. De acordo com o último balanço do Ministério da Saúde, mais de 3 milhões de crianças menores de 5 anos já compareceram aos postos de saúde, mas nem todas precisaram tomar vacinas porque já estavam com a caderneta em dia.

Até o final da tarde de terça-feira (21), 845.455 mil crianças foram vacinadas. O número representa que só 28% do total de crianças que visitaram os postos de vacinação estavam com a carteira desatualizada.

Estão disponíveis todas as vacinas do calendário básico da criança. São elas: BCG (contra tuberculose), hepatite B, vacina oral poliomielite (VOP), rotavírus, pneumocócica 10 valente, meningocócica C conjugada, febre amarela, tríplice viral (sarampo), rubéola e caxumba e DTP (difteria, tétano e coqueluche), além da pentavalente e a vacina inativada poliomielite (VOP), incluídas este ano.

A pentavalente reúne em uma única aplicação a tetravalente e uma dose contra a hepatite B. A tetravalente, que deixa de ser oferecida, protege contra a difteria, o tétano, a coqueluche e a meningite. A pentavalente será aplicada aos dois, aos quatro e aos seis meses de vida.

Além da pentavalente, a criança manterá os dois reforços com a DTP. O primeiro reforço deverá ser administrado aos 12 meses e o segundo aos quatro anos. Os recém-nascidos continuam a receber a primeira dose da vacina hepatite B nas primeiras 24 horas de vida.

As crianças que nunca foram imunizadas contra a paralisia infantil irão tomar a primeira dose da VIP aos dois meses e a segunda aos quatro meses. Já a terceira dose, aos seis meses, e o reforço, aos quinze meses, serão por meio da VOP, ou seja, por gotinhas. As crianças que já começaram o calendário básico com a vacina oral continuam o esquema antigo com as gotinhas: dois meses, quatro meses, seis meses e 15 meses.

De acordo com o último balanço, foram aplicadas 1.339.946 doses de todas as vacinas. A vacina tríplice bacteriana (DTP) foi a mais utilizada, com 298.120 doses administradas.Também foram aplicadas 237.216 doses da vacina oral poliomielite, 239.547 doses da vacina tríplice viral e 152.989 doses da vacina pneumocócica conjugada 10 valente. Os dados são preliminares e representam o que foi registrado pelos municípios até este momento.

 

Aplicações

Do total de doses aplicadas, a maior parte foi em crianças menores de um ano (477.848). Foram ainda aplicadas 316.075 em crianças de um ano de idade. Outras 38.449 doses foram administradas em crianças de dois anos de idade. Já na faixa etária de três anos, foram aplicadas 28.040. Entre aquelas com quatro anos de idade, foram administradas 482.654 doses.

A campanha é realizada em conjunto entre o Ministério da Saúde e as secretarias estaduais e municipais. O Ministério da Saúde repassou R$ 18,6 milhões do Fundo Nacional de Saúde (FNS) aos fundos estaduais e municipais.

O objetivo da ação de atualização da caderneta é, segundo o governo, diminuir o risco de transmissão de doenças que podem ser prevenidas. Durante a campanha, menores de 5 anos que vivem nas regiões Norte e Nordeste, no Vale do Jequitinhonha e no Vale do Mucuri, ambos em Minas Gerais, também vão receber suplemento de vitamina A. A ação faz parte do Programa Brasil Carinhoso, lançado em maio deste ano, que tem como meta a superação da extrema pobreza na primeira infância.

 

 

Leia mais:

1ª campanha de atualização da caderneta de vacinação infantil começa no sábado (18)

Brasileiros serão imunizados contra sarampo, caxumba, rubéola e catapora

Brasil produzirá vacina que protege contra quatro tipos de doenças virais

Pacientes terão acesso a dois novos medicamentos contra a hepatite C no SUS

Mais de 70 milhões de brasileiros foram vacinados contra hepatite B desde 1998

 

Fonte:
Agência Brasil
Ministério da Saúde

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital