Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 08 > Pesquisa com células-tronco de câncer de osso vai auxiliar no tratamento da doença

Saúde

Pesquisa com células-tronco de câncer de osso vai auxiliar no tratamento da doença

por Portal Brasil publicado: 27/08/2012 14h57 última modificação: 29/07/2014 09h04

Tumor maligno ósseo atinge principalmente crianças e jovens e exige amputação em 27% dos casos

 

O Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into), vinculado ao Ministério da Saúde, iniciou em agosto uma pesquisa com células-tronco de osteossarcoma, tumor maligno do osso que atinge, principalmente, crianças e jovens entre 10 e 20 anos, em fase de crescimento. O estudo vai auxiliar no tratamento da doença e reduzir o número de amputações, necessária em 27% dos casos.

As células-tronco tumorais representam cerca de 1% da massa do tumor, mas são mais resistentes às terapias. São chamadas de células-mãe do câncer, pois têm o potencial de formar as células que compõem os tumores. “Apesar de o efeito da quimioterapia ser capaz de eliminar ou diminuir o tamanho de grande parte do tumor, as células-tronco tumorais são bem mais resistentes”, explica a pesquisadora Suzana Kahn.

O estudo consistirá no isolamento e expansão em laboratório de células-tronco tumorais em duas fases: no momento da biópsia, realizada para a confirmação da doença; e após o tratamento com quimioterapia. Os pesquisadores irão identificar a quantidade de células existentes nessas duas fases e compará-las.

Será possível verificar a agressividade do tumor, os efeitos da quimioterapia, sobrevivência e invasão das células no organismo do paciente, além de saber se houve melhora com o tratamento e se aumentará ou não as chances de ocorrer metástase. Também serão realizados testes em camundongos estéreis para provocar a doença e acompanhar o desenvolvimento do tumor in vivo.

“O resultado é que poderemos fornecer mais um elemento importante para tratar o paciente e será possível identificar se houve resposta ao tratamento. A partir daí, os médicos poderão programar melhor o tratamento baseado nas características individuais de cada tumor”, explica a chefe da Divisão de Pesquisa, Maria Eugênia Duarte.

A expectativa do ortopedista Walter Meohas, cirurgião especializado no tratamento do osteossarcoma, é de que os resultados possam contribuir para reduzir a necessidade de amputações. “É uma pesquisa inédita que vai revolucionar o tratamento. Estou otimista para que dê certo e que possamos preservar mais as crianças”.

 

Osteossarcoma

O osteossarcoma é um tumor maligno dos ossos. Sua incidência é maior em crianças e jovens, mas pode ocorrer em adultos. O tumor atinge o aparelho locomotor, como pernas, braços e coluna, e acomete os pulmões com frequência, em decorrência de metástase. O primeiro sinal é dor e aumento rápido de volume no local, como no joelho e no úmero, por exemplo.

Em 27% dos casos é necessária a amputação. Os outros 73% precisam passar por cirurgia e colocação de prótese ou enxerto para substituir a articulação. Por se tratar de um tumor altamente maligno, o  índice de mortalidade da doença também é muito alto. Menos de 5% sobrevivem com osteossarcoma. A taxa de sobrevida do paciente é de 64% em cinco anos e cai para  50% quando ocorre metástase.

 

Terapia celular

A pesquisa inaugura uma nova linha de estudo e será a primeira realizada com células-tronco tumorais no Centro de Pesquisa em Terapia Celular e Bioengenharia Ortopédica (CTCel) do Into. Criado em 2006, o centro é o primeiro laboratório de pesquisa do País especializado em terapia celular e medicina regenerativa, voltado exclusivamente para o tratamento das doenças do aparelho locomotor.

Trabalhando em colaboração com institutos de pesquisa nacionais e internacionais, o CTCel tem como principal missão estabelecer tratamentos inovadores em Ortopedia e Traumatologia para atender, através do Sistema Único de Saúde (SUS), a demanda nacional.

 

Leia mais:

Novo medicamento para tratamento do câncer de mama será oferecido pelo SUS

OMS classifica fumaça do diesel como cancerígena

Saúde bucal será ampliada no País

Colesterol é uma das principais causas de problemas cardíacos no país

Governo federal garante adicional de R$ 73,2 milhões para saúde em quatro estados

 

Fonte:
Ministério da Saúde
Into
Inca

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Governo assume metas para conter crescimento da obesidade no País
Entre as medidas estão a redução do consumo de sucos artificiais e refrigerantes em, pelo menos, 30% e incentivar o consumo frutas e hortaliças regularmente
Cooperação incentivará vacinação nas escolas
Parceria entre os Ministérios da Saúde e da Educação visa incentivar vacinação nas escolas. Material informativo sobre HPV e Meningite C será distribuído nas unidades escolares
Ligações para Centro de Valorização da Vida serão gratuitas em todo o País
Acordo entre Ministério da Saúde e o centro permitirá que a organização faça atendimentos gratuitos por meio de um número único para todo o País
Entre as medidas estão a redução do consumo de sucos artificiais e refrigerantes em, pelo menos, 30% e incentivar o consumo frutas e hortaliças regularmente
Governo assume metas para conter crescimento da obesidade no País
Parceria entre os Ministérios da Saúde e da Educação visa incentivar vacinação nas escolas. Material informativo sobre HPV e Meningite C será distribuído nas unidades escolares
Cooperação incentivará vacinação nas escolas
Acordo entre Ministério da Saúde e o centro permitirá que a organização faça atendimentos gratuitos por meio de um número único para todo o País
Ligações para Centro de Valorização da Vida serão gratuitas em todo o País

Últimas imagens

Substância misoprostol faz parte da lista de substâncias sujeitas a controle especial da Anvisa
Substância misoprostol faz parte da lista de substâncias sujeitas a controle especial da Anvisa
Divulgação/Ministério da Saúde
Devido ao surto de febre amarela em alguns estados brasileiros, registro de vacinação contra a febre amarela passou a ser exigido dos viajantes
Devido ao surto de febre amarela em alguns estados brasileiros, registro de vacinação contra a febre amarela passou a ser exigido dos viajantes
Arquivo/Anvisa
Os alimentos da marca são comercializados pela internet por fabricante desconhecido
Os alimentos da marca são comercializados pela internet por fabricante desconhecido
Divulgação/Governo do Paraná
Vacinação de rotina para febre amarela é ofertada em 19 estados, e de forma escalonada no RJ e ES
Vacinação de rotina para febre amarela é ofertada em 19 estados, e de forma escalonada no RJ e ES
Naftali Emídio/Pref. do Cabo de Santo Agostinho
Profissionais devem escolher município de atuação até quinta-feira (16)
Profissionais devem escolher município de atuação até quinta-feira (16)
Pei Fon/Prefeitura de Maceió

Governo digital