Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 08 > UPAs do Rio de Janeiro receberão mais R$ 90 milhões por ano

Saúde

UPAs do Rio de Janeiro receberão mais R$ 90 milhões por ano

por Portal Brasil publicado: 24/08/2012 10h53 última modificação: 29/07/2014 09h04
Divulgação/Governo do Rio de Janeiro Uma média de 2 milhões de pessoas são atendidas por mês nas 213 UPAs ativas no País

Uma média de 2 milhões de pessoas são atendidas por mês nas 213 UPAs ativas no País

Com 54 das 213 unidades de pronto-atendimento do País, Rio tem modelo que será levado para outros estados

 

Portaria do Ministério da Saúde assinada nessa quinta-feira (23) aumentará o volume de recursos distribuídos a 22 Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) do Rio de Janeiro, dos atuais R$ 154,4 milhões por ano para R$ 244 milhões. O estado tem 54 UPAs que, desde 2007, já atenderam 14 milhões de pessoas e distribuíram 100 milhões.

O critério para escolha das unidades beneficiadas foi a qualidade do serviço prestado e as condições para ampliação de serviços. Existem 213 UPAs ativas no País, que recebem recursos não só da União, como também dos governos estaduais e municipais e de organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscips). Em todo o Brasil, uma média de 2 milhões de pessoas são atendidas por mês.

Elas funcionam 24 horas, todos os dias da semana. Têm médico durante todo o tempo, além de uma equipe de enfermeiros, com equipamentos de raio-x, laboratórios para exames, leitos para os pacientes que precisam ficar em observação e até pequenas UTIs. Se o caso for mais grave, o paciente recebe o socorro imediato na UPA para depois ser transportado, com segurança, para um hospital nas ambulâncias do Samu.

O modelo de UPAs, originado em experiências municipais, foi aprimorado no Rio de Janeiro e é focado no atendimento de baixa e média complexidade, desafogando as emergências dos grandes hospitais. Segundo o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, o modelo adotado no Rio inspira o governo federal a estimular outros estados e municípios a buscar soluções para o atendimento da população.

Levantamentos divulgados nessa quinta-feira (23), em cerimônia de assinatura da portaria, afirmam que apenas 1% dos pacientes atendidos pelas UPAs precisa ser removido aos hospitais. “A qualificação de UPAs contribui ainda mais para desafogar a urgência dos hospitais, que é para onde todo mundo vai quando tem um problema de saúde, seja uma febre repentina ou um acidente vascular cerebral”, disse o ministro.

Monitoramento

Durante a cerimônia, foram exibidas imagens da recepção do Hospital Municipal Miguel Couto, transmitidas por um sistema que está sendo instalado nos maiores hospitais de urgência e emergências do País por meio do S.O.S Emergências, ação estratégica para a qualificação da gestão e do atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS).

Para a implantação do sistema no Hospital Miguel Couto, no Rio, foram gastos R$ 770 mil, permitindo o monitoramento dos fluxos de atendimento em três momentos: na recepção, no atendimento realizado pelos profissionais de saúde e na farmácia.

O software é resultado do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS), parceria entre o Ministério da Saúde e as entidades de saúde portadoras do Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social em Saúde e de reconhecida excelência.

Leia mais:

Municípios paraenses receberão investimentos para unidades de saúde 

Rio Grande do Norte receberá R$ 86,2 mi para Rede de Urgência

São Paulo, Bahia e Distrito Federal recebem novas UPAs

Governo federal garante adicional de R$ 73,2 milhões para saúde em quatro estados

 

Fonte:
Ministério da Saúde
Agência Brasil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mais de 196 milhões de consultas foram realizadas nas unidades básicas de saúde em 2016
Neste ano o Ministério da Saúde pretende ampliar esses serviços a partir de mudanças que estão sendo formuladas
Prontuário eletrônico dos pacientes do SUS deve ser implantado em todo país até final de 2018
Ministro da Saúde apresenta balanço da economia feita desde que assumiu a pasta
Farmácia Popular vai receber mais R$ 80 milhões por ano para a compra de medicamento
Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas são beneficiadas por mês com a iniciativa
Neste ano o Ministério da Saúde pretende ampliar esses serviços a partir de mudanças que estão sendo formuladas
Mais de 196 milhões de consultas foram realizadas nas unidades básicas de saúde em 2016
Ministro da Saúde apresenta balanço da economia feita desde que assumiu a pasta
Prontuário eletrônico dos pacientes do SUS deve ser implantado em todo país até final de 2018
Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas são beneficiadas por mês com a iniciativa
Farmácia Popular vai receber mais R$ 80 milhões por ano para a compra de medicamento

Últimas imagens

Para essa faixa etária orientação é esquema com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses
Para essa faixa etária orientação é esquema com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses
Foto: Rodrigo Nunes/MS
Medida foi possível após realocação dos R$ 100 milhões destinados à Rede Própria do Farmácia Popular
Medida foi possível após realocação dos R$ 100 milhões destinados à Rede Própria do Farmácia Popular
Arquivo/Ministério da Saúde
Homens têm mais diabetes, colesterol elevado, obesidade e pressão alta
Homens têm mais diabetes, colesterol elevado, obesidade e pressão alta
Olival Santos/Governo de Alagoas
Programa ainda conscientiza os pais sobre a importância da participação no acompanhamento da gravidez
Programa ainda conscientiza os pais sobre a importância da participação no acompanhamento da gravidez
Divulgação/Prefeitura de Itanhaém (SP)

Governo digital