Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 08 > Visitas técnicas irão monitorar implementação do programa Crack, é possível vencer

Saúde

Visitas técnicas irão monitorar implementação do programa Crack, é possível vencer

por Portal Brasil publicado: 27/08/2012 19h15 última modificação: 29/07/2014 09h04
Divulgação/Secretaria de Saúde do Estado da Bahia O programa prevê investimentos de R$ 4 bilhões para enfrentamento do crack

O programa prevê investimentos de R$ 4 bilhões para enfrentamento do crack

O Rio Grande do Sul foi o primeiro Estado a ser visitado por uma equipe técnica do Programa

Uma comitiva com técnicos dos ministérios da Justiça, da Saúde e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, além de representantes da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, esteve nos dias 23 e 24 de agosto, em Porto Alegre para acompanhar a implementação do programa Crack, é possível vencer no Estado. Nos próximos meses, estão previstas visitas da equipe técnica do governo federal aos 12 estados que aderiram à iniciativa para monitoramento e o acompanhamento das ações.

A secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, destacou a importância das visitações: “a gestão pública exige monitoramento e o programa Crack, é Possível Vencer tem o desafio da complexidade do tema e da integração do trabalho entre três entes federados (União, estados e municípios), além da articulação entre áreas diversas em cada um deles. Por isso,  o alinhamento conceitual e executivo é decisivo para alcançar os objetivos pactuados”.

O estado do Rio Grande do Sul e a prefeitura de Porto Alegre assinaram a adesão ao programa do governo federal Crack, é possível vencer no último dia 17 de abril. Com o pacto, começaram a ser fortalecidas ações  para aumentar a oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários drogas, para enfrentar o tráfico e as organizações criminosas e para ampliar atividades de prevenção. A União deverá investir (com repasses e aplicação direta) no estado do Rio Grande do Sul R$ 103 milhões até 2014.

No âmbito da saúde, Porto Alegre terá oito Centros de Atenção Psicossocial (CAPS-AD) para atendimento 24 horas em 2012 (sendo cinco novos e outros três que passarão a atender em tempo integral. Dos 3 CAPS AD a serem qualificados, 2 já estão em funcionamento 24 horas: GHC e IAPI), quatro Consultórios nas Ruas (um novo e três a serem qualificados, sendo que 2 consultórios na rua já estão funcionando com equipe ampliada) e 131 leitos em enfermarias especializadas (61 novos e outros 70 leitos qualificados).

Além disso, até o final do ano serão criados três novas Unidades de Acolhimento Adulto e mais uma nova para atendimento de crianças e adolescentes. Para essas melhorias na capital gaúcha, o Ministério da Saúde disponibilizará R$ 1.984.000,00 para a implantação dos pontos de atenção e mais R$ 45.632.756,40 para o custeio mensal da iniciativa, totalizando um investimento de R$ 47.616.756,40, até 2014. Deste valor, o MS já liberou R$ 1,3 milhão, em 2012.

Na área de Desenvolvimento Social, atualmente existem 95 Creas em 89 municípios gaúchos, com capacidade para atendimento de 5.470 famílias por mês. Com a ampliação, mais 12 unidades serão implementadas e mais 690 famílias serão atendidas. Dos atuais, seis são em Porto Alegre e dos novos um será na capital.

O Ministério da Justiça está presente em duas frentes: na prevenção e segurança pública. A Secretaria Nacional sobre Drogas (Senad) realizou desde julho cursos de capacitação para operadores do direito (324 profissionais), policiais civis, guardas comunitários e policiais comunitários (86 profissionais), profissionais da área de saúde e assistência social na modalidade presencial (400 participantes), formando 810 capacitados em prevenção ao uso de álcool e drogas. Já os educadores de escolas públicas (4.729 profissionais) e do Proerd (15 policiais) realizaram inscrições e começam as aulas de preparação em setembro.

Já a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) realizou desde junho capacitação de 80 profissionais de segurança pública nos módulos CNPMC (Curso Nacional de Multiplicador de Polícia Comunitária) e TEPAC (Tópicos Especiais em Policiamento e Ações Comunitárias) e, em setembro, realizará o módulo de abordagem policial a pessoas em situação de risco.

O Programa Crack, é Possível Vencer foi lançado em dezembro de 2011 pelo governo federal com o objetivo de enfrentar o crack e as outras drogas. Com investimento de R$ 4 bilhões da União e articulação com estados, Distrito Federal e municípios, além da participação da sociedade civil, a iniciativa visa aumentar a oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários drogas, enfrentar o tráfico e as organizações criminosas e ampliar atividades de prevenção.

Leia mais:

Programa Crack, É Possível Vencer chega ao Rio Grande do Sul com investimento de R$ 103 mi

Fonte:
Ministério da Justiça

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil

Últimas imagens

A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
Arquivo/Ministério da Saúde
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Andre Borges/Agência Brasília
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Cícero Oliveira/UFRN

Governo digital