Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 09 > Amazonas irá receber R$ 51,1 mi para investir em rede de assistência à gestante e bebê

Saúde

Amazonas irá receber R$ 51,1 mi para investir em rede de assistência à gestante e bebê

por Portal Brasil publicado: 10/09/2012 17h39 última modificação: 29/07/2014 09h03
Governo do Amazonas Serão destinados R$ 51,1 milhões de recursos para a Rede Cegonha no Estado do Amazonas

Serão destinados R$ 51,1 milhões de recursos para a Rede Cegonha no Estado do Amazonas

Os recursos serão aplicados em ações previstas na estratégia para ampliar e qualificar a rede de assistência à mulher e ao bebê

Está aprovada pelo Ministério da Saúde a destinação de recursos para a Rede Cegonha no estado do Amazonas. Serão aplicados cerca de R$ 51,1 milhões para o custeio de sete Centros de Parto Normal e quatro Casas da Gestante, Bebê e Puérpera, além da criação de 92 leitos de Gestação de Alto Risco, cinco leitos de UTI Adulto tipo II, 35 leitos de UTI neonatal tipo II, 83 leitos de UCI Neonatal e 55 leitos de UCI Canguru. Também serão qualificados sete leitos de UTI Adulto tipo II, 40 leitos de UTI Neonatal tipo II e mais 36 leitos de UCI Neonatal.

De imediato, serão repassados R$ 8,2 milhões para os serviços já existentes. O restante do valor será pago conforme andamento da Rede Cegonha no estado. O repasse dos recursos consta da Portaria número 1.924, publicada na última quinta-feira (6) no Diário Oficial da União (DOU).

Lançada no ano passado, a estratégia fortalece um modelo de atenção que vai do reforço do planejamento familiar à confirmação da gravidez, passando pelo pré-natal, parto, pós-parto, até os dois primeiros anos de vida da criança. A portaria aprova a primeira etapa do Plano de Ação da Rede Cegonha para novos investimentos no Amazonas, referente às regiões dos municípios de Coari (R$ 538 mil), Itacoatiara (R$ 4,2 milhões), Manacapuru (R$ 6,3 milhões), São Gabriel da Cachoeira (R$ 1,2 milhão), além da capital Manaus (R$ 38,8 milhões).

As ações previstas na estratégia Rede Cegonha visam qualificar, até 2014, toda a rede de assistência, ampliando e melhorando as condições para que as gestantes possam dar à luz e cuidar de seus bebês de forma segura e humanizada.

Rede Cegonha

Lançada em março de 2011 pelo governo federal, a Rede Cegonha é um programa que visa garantir atendimento de qualidade a todas as gestantes pelo Sistema Único de Saúde (SUS), desde a confirmação da gestação até os dois primeiros anos de vida do bebê. Ela terá atuação integrada às demais iniciativas do SUS para a Saúde da Mulher.

A Rede Cegonha prevê ainda a qualificação dos profissionais de saúde responsáveis pelo atendimento às mulheres durante a gravidez, parto e puerpério, bem como a criação de estruturas de assistência, como a Casa da Gestante e a Casa do Bebê, e os Centros de Parto Normal, que funcionarão em conjunto com a maternidade para humanizar o nascimento.

As boas práticas de atenção ao parto e nascimento serão exigidas nas maternidades. O ambiente em que a mulher dará à luz deverá ser adequado para oferecer privacidade e conforto para ela e seu acompanhante. Ela terá acesso a métodos de alívio da dor e a possibilidade de ficar em contato pele a pele com seu bebê imediatamente após o nascimento, prática que hoje é demonstrada como benéfica para os dois.

Veja vídeo de lançamento da Campanha Nacional de Amamentação 2012:

 

 

Leia mais:

Rede de assistência à gestante e ao bebê é ampliada em 4 estados 

Mato Grosso do Sul recebe R$ 82,7 milhões para melhoria na rede de urgência 

Gestantes e bebês de mais 4 estados terão rede de assistência ampliada 

Rede Cegonha chega ao Amapá 

Inaugurado Hospital da Mulher em Fortaleza com atendimento a seis especialidades 

Conselho Federal de Medicina recomenda parto em hospital, mas não veta em casa 

Rede Cegonha chega ao estado do Piauí 

 

Fonte:
Ministério da Saúde

 

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Governo assume metas para conter crescimento da obesidade no País
Entre as medidas estão a redução do consumo de sucos artificiais e refrigerantes em, pelo menos, 30% e incentivar o consumo frutas e hortaliças regularmente
Cooperação incentivará vacinação nas escolas
Parceria entre os Ministérios da Saúde e da Educação visa incentivar vacinação nas escolas. Material informativo sobre HPV e Meningite C será distribuído nas unidades escolares
Ligações para Centro de Valorização da Vida serão gratuitas em todo o País
Acordo entre Ministério da Saúde e o centro permitirá que a organização faça atendimentos gratuitos por meio de um número único para todo o País
Entre as medidas estão a redução do consumo de sucos artificiais e refrigerantes em, pelo menos, 30% e incentivar o consumo frutas e hortaliças regularmente
Governo assume metas para conter crescimento da obesidade no País
Parceria entre os Ministérios da Saúde e da Educação visa incentivar vacinação nas escolas. Material informativo sobre HPV e Meningite C será distribuído nas unidades escolares
Cooperação incentivará vacinação nas escolas
Acordo entre Ministério da Saúde e o centro permitirá que a organização faça atendimentos gratuitos por meio de um número único para todo o País
Ligações para Centro de Valorização da Vida serão gratuitas em todo o País

Últimas imagens

Substâncias anabolizantes, abortivas ou que causam má-formação fetal também são enquadradas na lista
Substâncias anabolizantes, abortivas ou que causam má-formação fetal também são enquadradas na lista
Divulgação/EBC
Brasil atingiu Metas dos Objetivos do Milênio de combate à tuberculose com três anos de antecedência
Brasil atingiu Metas dos Objetivos do Milênio de combate à tuberculose com três anos de antecedência
Divulgação/Ministério da Saúde
Substância misoprostol faz parte da lista de substâncias sujeitas a controle especial da Anvisa
Substância misoprostol faz parte da lista de substâncias sujeitas a controle especial da Anvisa
Divulgação/Ministério da Saúde
Devido ao surto de febre amarela em alguns estados brasileiros, registro de vacinação contra a febre amarela passou a ser exigido dos viajantes
Devido ao surto de febre amarela em alguns estados brasileiros, registro de vacinação contra a febre amarela passou a ser exigido dos viajantes
Arquivo/Anvisa
Os alimentos da marca são comercializados pela internet por fabricante desconhecido
Os alimentos da marca são comercializados pela internet por fabricante desconhecido
Divulgação/Governo do Paraná

Governo digital