Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 09 > Amazonas irá receber R$ 51,1 mi para investir em rede de assistência à gestante e bebê

Saúde

Amazonas irá receber R$ 51,1 mi para investir em rede de assistência à gestante e bebê

por Portal Brasil publicado: 10/09/2012 17h39 última modificação: 29/07/2014 09h03
Governo do Amazonas Serão destinados R$ 51,1 milhões de recursos para a Rede Cegonha no Estado do Amazonas

Serão destinados R$ 51,1 milhões de recursos para a Rede Cegonha no Estado do Amazonas

Os recursos serão aplicados em ações previstas na estratégia para ampliar e qualificar a rede de assistência à mulher e ao bebê

Está aprovada pelo Ministério da Saúde a destinação de recursos para a Rede Cegonha no estado do Amazonas. Serão aplicados cerca de R$ 51,1 milhões para o custeio de sete Centros de Parto Normal e quatro Casas da Gestante, Bebê e Puérpera, além da criação de 92 leitos de Gestação de Alto Risco, cinco leitos de UTI Adulto tipo II, 35 leitos de UTI neonatal tipo II, 83 leitos de UCI Neonatal e 55 leitos de UCI Canguru. Também serão qualificados sete leitos de UTI Adulto tipo II, 40 leitos de UTI Neonatal tipo II e mais 36 leitos de UCI Neonatal.

De imediato, serão repassados R$ 8,2 milhões para os serviços já existentes. O restante do valor será pago conforme andamento da Rede Cegonha no estado. O repasse dos recursos consta da Portaria número 1.924, publicada na última quinta-feira (6) no Diário Oficial da União (DOU).

Lançada no ano passado, a estratégia fortalece um modelo de atenção que vai do reforço do planejamento familiar à confirmação da gravidez, passando pelo pré-natal, parto, pós-parto, até os dois primeiros anos de vida da criança. A portaria aprova a primeira etapa do Plano de Ação da Rede Cegonha para novos investimentos no Amazonas, referente às regiões dos municípios de Coari (R$ 538 mil), Itacoatiara (R$ 4,2 milhões), Manacapuru (R$ 6,3 milhões), São Gabriel da Cachoeira (R$ 1,2 milhão), além da capital Manaus (R$ 38,8 milhões).

As ações previstas na estratégia Rede Cegonha visam qualificar, até 2014, toda a rede de assistência, ampliando e melhorando as condições para que as gestantes possam dar à luz e cuidar de seus bebês de forma segura e humanizada.

Rede Cegonha

Lançada em março de 2011 pelo governo federal, a Rede Cegonha é um programa que visa garantir atendimento de qualidade a todas as gestantes pelo Sistema Único de Saúde (SUS), desde a confirmação da gestação até os dois primeiros anos de vida do bebê. Ela terá atuação integrada às demais iniciativas do SUS para a Saúde da Mulher.

A Rede Cegonha prevê ainda a qualificação dos profissionais de saúde responsáveis pelo atendimento às mulheres durante a gravidez, parto e puerpério, bem como a criação de estruturas de assistência, como a Casa da Gestante e a Casa do Bebê, e os Centros de Parto Normal, que funcionarão em conjunto com a maternidade para humanizar o nascimento.

As boas práticas de atenção ao parto e nascimento serão exigidas nas maternidades. O ambiente em que a mulher dará à luz deverá ser adequado para oferecer privacidade e conforto para ela e seu acompanhante. Ela terá acesso a métodos de alívio da dor e a possibilidade de ficar em contato pele a pele com seu bebê imediatamente após o nascimento, prática que hoje é demonstrada como benéfica para os dois.

Veja vídeo de lançamento da Campanha Nacional de Amamentação 2012:

 

 

Leia mais:

Rede de assistência à gestante e ao bebê é ampliada em 4 estados 

Mato Grosso do Sul recebe R$ 82,7 milhões para melhoria na rede de urgência 

Gestantes e bebês de mais 4 estados terão rede de assistência ampliada 

Rede Cegonha chega ao Amapá 

Inaugurado Hospital da Mulher em Fortaleza com atendimento a seis especialidades 

Conselho Federal de Medicina recomenda parto em hospital, mas não veta em casa 

Rede Cegonha chega ao estado do Piauí 

 

Fonte:
Ministério da Saúde

 

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Outubro Rosa conta com ações de conscientização em todo o país
Outubro Rosa conta com ações de conscientização na Rodoviária do Plano Piloto em Brasília. O objetivo é alertar as mulheres da importância do diagnóstico precoce
Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Outubro Rosa conta com ações de conscientização na Rodoviária do Plano Piloto em Brasília. O objetivo é alertar as mulheres da importância do diagnóstico precoce
Outubro Rosa conta com ações de conscientização em todo o país
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões

Últimas imagens

A Sexta-feira Sem Mosquito vai contar com colaboração de toda a sociedade, com mobilização nas escolas públicas
A Sexta-feira Sem Mosquito vai contar com colaboração de toda a sociedade, com mobilização nas escolas públicas
Foto: Tony Winston/Agência Brasília
Estabelecimentos que adaptarem os serviços podem receber adicional de até R$ 2,4 milhões por ano
Estabelecimentos que adaptarem os serviços podem receber adicional de até R$ 2,4 milhões por ano
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
Estabelecimentos que adaptarem os serviços podem receber adicional de até R$ 2,4 milhões por ano
Estabelecimentos que adaptarem os serviços podem receber adicional de até R$ 2,4 milhões por ano
Foto: Karina Zambrana/Ministério da Saúde
A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
Arquivo/Ministério da Saúde

Governo digital