Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 09 > Grandes cidades receberão R$ 12,8 milhões para prevenção de acidentes de trânsito

Saúde

Grandes cidades receberão R$ 12,8 milhões para prevenção de acidentes de trânsito

por Portal Brasil publicado: 11/09/2012 12h23 última modificação: 29/07/2014 09h03
Divulgação/Imprensa Nacional Tabela especifica quanto cada estado, capital ou município receberá do Fundo Nacional de Saúde

Tabela especifica quanto cada estado, capital ou município receberá do Fundo Nacional de Saúde

Cada capital ou município com mais de 1 milhão de habitantes receberá, em média, R$ 200 mil do Fundo Nacional de Saúde para o projeto Vida no Trânsito

Capitais de todo o País e municípios com mais de 1 milhão de habitantes vão receber recursos para investir em educação e saúde no trânsito e, na prevenção de acidentes de carro, por meio do projeto Vida no Trânsito. Os recursos, que somam R$ 12,8 milhões, são do Fundo Nacional de Saúde e tiveram liberação autorizada nesta terça-feira (11) em portaria publicada no Diário Oficial da União.

Cada estado e o Distrito Federal receberá R$ 250 mil, enquanto para as capitais serão repassados R$ 175 mil para as com menos de 500 mil habitantes; e R$ 200 mil para as com população entre 500 mil e 1 milhão de habitantes. Para capitais e municípios com mais de 1 milhão de habitantes, o valor é de R$ 250 mil.

Os recursos para o Projeto Vida no Trânsito, criado em 2010, devem ser investidos na implantação de observatórios de trânsito para integração de dados e informações sobre feridos e mortes. Serão criados mapas que apontarão o horário, local e dias em que costumam acontecer acidentes, para melhorar o planejamento de campanhas educativas e de fiscalização.

Os recursos serão utilizados também na capacitação e formação de pessoal, como profissionais de saúde, de trânsito e também de educação.

Por meio de articulação também com órgãos não-governamentais, está prevista a promoção de uma mobilidade urbana segura e acessível; o aumento na fiscalização e policiamento; a criação de planos de segurança prioritário para pedestres, ciclistas e motociclista; além do desenvolvimento de programas de educação para mudanças de atitudes e comportamentos, para redução do número de acidentes e o estímulo ao uso de equipamentos de segurança e respeito às leis de trânsito.

Os estados, municípios e o Distrito Federal devem elaborar planos de ações, que serão examinados pela Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), ligada ao Ministério da Saúde.

De acordo com dados do ministério, mais de 300 mil brasileiros morreram no trânsito no período de 2000 a 2008.  Entre as causas externas, os acidentes de trânsito são a principal causa de morte nas faixas etárias de 5 a 14 anos e dos 40 aos 60 anos de idade ou mais. O trânsito é também o segundo maior motivo de óbito para quem tem idade entre zero e 4 anos e 15 e 39 anos.

Estudos da Organização Mundial da Saúde (OMS) de 2009 indicam que 1,3 milhão de pessoas morre anualmente no trânsito em todo o mundo e que, até 2030, esse número poderá chegar a 2,4 milhões.

Mais de 90% dos acidentes com mortes ocorrem em países de baixa e média renda, que concentram menos da metade da frota mundial de veículos motorizados.

 

 

Leia mais:

Renavam terá 11 dígitos a partir de 2013

Estatística mostra que número de acidentes e vítimas reduziu com fiscalização eletrônica

Motoristas profissionais terão prazo maior para curso de capacitação

 

Fonte:
Agência Brasil

Ministério da Saúde
Portal Brasil

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Mais Médicos: um serviço ao Brasil
Médico aposentado que aderiu ao programa do governo federal resolve servir em comunidades carentes.
Mais Médicos para todos
Inscrito no programa do governo federal, médico aposentado defende utilidade do Mais Médicos.
Mais Médicos contribui com importantes resultados na saúde da população brasileira
Renato Tasca, coordenador da Unidade Técnica Mais Médicos da OPAS/OMS, avalia o programa Mais Médicos: "Estou muito orgulhoso de estar apoiando o Brasil nessa tarefa desafiadora"
Médico aposentado que aderiu ao programa do governo federal resolve servir em comunidades carentes.
Mais Médicos: um serviço ao Brasil
Inscrito no programa do governo federal, médico aposentado defende utilidade do Mais Médicos.
Mais Médicos para todos
 Renato Tasca, coordenador da Unidade Técnica Mais Médicos da OPAS/OMS, avalia o programa Mais Médicos: "Estou muito orgulhoso de estar apoiando o Brasil nessa tarefa desafiadora"
Mais Médicos contribui com importantes resultados na saúde da população brasileira

Últimas imagens

Nordeste foi a região mais beneficiada, com 24 médicos. Sudeste receberá 20 profissionais, seguido do Centro-Oeste (7), Sul (7) e o Norte(2)
Nordeste foi a região mais beneficiada, com 24 médicos. Sudeste receberá 20 profissionais, seguido do Centro-Oeste (7), Sul (7) e o Norte(2)
Divulgação/Ministério da Saúde
Cadastro vai possibilitar a criação de políticas para ampliação do número de médicos especialistas, como pediatras
Cadastro vai possibilitar a criação de políticas para ampliação do número de médicos especialistas, como pediatras
Vila Velha-ES
Em 87,1% dos municípios havia atendimento de emergência (24 horas)
Em 87,1% dos municípios havia atendimento de emergência (24 horas)
Divulgação/Governo de SP
Ministro Arthur Chioro assinou um termo de compromisso para o enfrentamento da Hanseníase com 141 municípios matogrossense
Ministro Arthur Chioro assinou um termo de compromisso para o enfrentamento da Hanseníase com 141 municípios matogrossense
Rondon Vellozo/Ascom-MS
Vacina é segura e protege contra a paralisia infantil, que pode levar a morte ou deixar sequelas para o resto da vida
Vacina é segura e protege contra a paralisia infantil, que pode levar a morte ou deixar sequelas para o resto da vida
Gabriel Rosa/SMCS

Governo digital