Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 09 > Plano vai prevenir violência contra jovens negros

Saúde

Plano vai prevenir violência contra jovens negros

por Portal Brasil publicado: 24/09/2012 18h50 última modificação: 29/07/2014 09h03
Plano visa diminuir o índice de homicídios que atingem os jovens negros em todo o País

Plano visa diminuir o índice de homicídios que atingem os jovens negros em todo o País

 

Programa Juventude Viva será lançado primeiro em Maceió (AL), que está entre as 132 cidades que concentram mais de 70% dos homicídios no Brasil

 

Será lançada na próxima quinta-feira (27), em Maceió, capital de Alagoas, a primeira etapa do Plano Nacional de Prevenção à Violência contra a Juventude Negra, intitulado como Juventude Viva. A proposta visa diminuir o índice de homicídios que atingem os jovens negros em todo o País.

De acordo com o Ministério da Saúde, 53% dos homicídios registrados no Brasil atingem pessoas jovens, das quais mais de 75% são jovens negros, de baixa escolaridade, sendo a maioria do sexo masculino. O número de mortes de jovens negros passou de 14.055 em 2000 para 19.255 em 2010.

O Mapa da Violência 2012, estudo do Instituto Sangari, revela que a soma de homicídios em dez países que lidam com conflitos armados, entre eles Iraque, Índia, Israel e Afeganistão, é menor que o total de homicídios ocorridos no Brasil no período de 2004 a 2007 (147.373 contra 157.332).

O plano é uma ação que envolve oito ministérios e prevê iniciativas caracterizadas como políticas universais, que estende aos mais vulneráveis direitos ainda exclusivo de outros, além de medidas afirmativas voltadas especificamente para a população jovem negra. A ação responde a uma demanda histórica dos movimentos sociais e representa uma prioridade apresentada pelos jovens que participaram da 1ª e 2ª Conferencia Nacional da Juventude, em 2008 e 2011.

Porque Alagoas?
A capital de Alagoas é um dos lugares que apresenta grande número de homicídios contra negros. A cidade fica em segundo lugar entre os 132 municípios que concentram mais de 70% dos homicídios registrados no País e terão prioridade do plano. Além de Maceió, outras três cidades do estado integram essa primeira fase, Arapiraca (30ª posição), Marechal Deodoro (119ª) e União dos Palmares (123ª).

Alagoas também foi a primeira cidade a abrigar o Programa Brasil Mais Seguro, do Ministério da Justiça, que em três meses de execução já registra dados importantes na redução dos índices locais de violência. Depois Alagoas, o Plano de Prevenção à Violência contra a Juventude Negra será estendido gradativamente a outros estados.

Brasil Mais Seguro

Depois do lançamento do Brasil Mais Seguro, em 26 de junho, houve queda no número de mortes violentas e intencionais, ou seja, homicídio doloso, resistência seguida de morte, lesão corporal seguida de morte e latrocínio. Em Maceió, houve diminuição de 7,52%, já em Arapiraca, 37,14%. O programa teve reflexo em todo o estado, que apresentou queda de 5,05% nos crimes letais.

Em dois meses, foram realizadas prisões de grandes traficantes locais e quadrilhas de latrocínios (roubo seguido de morte). O número de telefonemas pela população ao disque denúncia aumentou em 16,20%, sendo que 46% das ligações eram denúncias sobre tráfico de drogas e 12% de homicídios.

As apreensões de armas de fogo mantiveram o aumento em comparação a 2011 de 15,61%. Nos inquéritos instaurados, já foram identificados os autores em 69% dos causos. A Força Nacional recebeu o reforço de 15 motos, que foram empregadas no policiamento ostensivo em toda região metropolitana de Maceió. Em junho, houve a entrega de quatro viaturas, 20 fuzis, 20 pistolas, 20 capacetes e escudos balísticos à Polícia Militar.

O programa irá destinar, por meio do Ministério da Justiça, R$ 25 milhões só para ações no estado. A iniciativa prevê o enfrentamento ao crime organizado, reestruturação das áreas de perícia e justiça criminal, monitoramento e ocupação de áreas com maiores índices de crimes violentos. Também é feita campanha de desarmamento, para reduzir o número de armas em circulação e a promoção da cultura de paz.

 

Programa de redução da criminalidade violenta foi assinado em 26 de junho em Alagoas

 

Leia mais:

Estudo mostra que negros são quase 80% da nova classe média

Programa para redução da criminalidade leva à queda da violência em Alagoas

Eventos internacionais no Brasil terão Observatório da Discriminação Racial

Acordo fecha ciclo do programa de Promoção da Igualdade de Gênero, Raça e Etnia

 

 

Fonte:

Secretaria-Geral da Presidência da República
Ministério da Justiça
Portal Brasil

 

 

 

 

 

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Ministério da Saúde garante que não faltará vacina de febre amarela
A pasta atualizou os dados sobre os casos de febre amarela registrados no País e garantiu que não vai faltar vacina para imunização
Secretária fala sobre aborto e tratamento das mulheres nos hospitais públicos
Fátima Pelaes detalha ações do governo para o tratamento das mulheres em hospitais públicos e planejamento familiar
Entenda o que é a dose fracionada da vacina contra febre amarela
População de municípios de São Paulo, Rio e Bahia vai receber a dose fracionada da vacina, por decisão do Ministério da Saúde
A pasta atualizou os dados sobre os casos de febre amarela registrados no País e garantiu que não vai faltar vacina para imunização
Ministério da Saúde garante que não faltará vacina de febre amarela
Fátima Pelaes detalha ações do governo para o tratamento das mulheres em hospitais públicos e planejamento familiar
Secretária fala sobre aborto e tratamento das mulheres nos hospitais públicos
População de municípios de São Paulo, Rio e Bahia vai receber a dose fracionada da vacina, por decisão do Ministério da Saúde
Entenda o que é a dose fracionada da vacina contra febre amarela

Últimas imagens

Redução é acompanhada do aumento das inciativas do Ministério da Saúde para intensificar os trabalhos de combate ao mosquito Aedes aegypti
Redução é acompanhada do aumento das inciativas do Ministério da Saúde para intensificar os trabalhos de combate ao mosquito Aedes aegypti
Foto: Andre Borges/Agência Brasília
Kits contêm 30 tipos de medicamentos e 18 tipos de insumos
Kits contêm 30 tipos de medicamentos e 18 tipos de insumos
Arquivo/EBC

Governo digital