Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 09 > Lançada campanha permanente de trânsito

Saúde

Lançada campanha permanente de trânsito

por Portal Brasil publicado: 21/09/2012 11h02 última modificação: 29/07/2014 09h03
A campanha Parada tem como meta a redução de 50% nas mortes decorrentes de acidentes de trânsito

A campanha Parada tem como meta a redução de 50% nas mortes decorrentes de acidentes de trânsito

Campanha foi lançada nesta sexta-feira (21) e visa reduzir acidentes nas ruas e estradas brasileiras. A iniciativa faz parte da Semana Nacional de Trânsito 2012, que tem como tema “Não Exceda a Velocidade. Preserve a Vida”


Com o objetivo de reduzir acidentes nas ruas e estradas brasileiras, foi lançado nesta sexta-feira (21) o programa Parada – Um Pacto pela Vida, campanha permanente para diminuir em 50% o número de vítimas fatais no trânsito até 2015. A partir deste fim de semana, um filme publicitário será veiculado na TV, e outras ações estão previstas para acontecer até fevereiro de 2013 em rodovias, escolas, eventos culturais e esportivos.

Algumas celebridades como a atriz Cissa Guimarães e o ex-piloto Emerson Fittipaldi, além de organizações não governamentais, vão participar da campanha para aumentar conscientização. Será dada prioridade em mensagens de redução da velocidade, do uso de celular e consumo de bebida ao dirigir.

A iniciativa faz parte das ações da Semana Nacional de Trânsito de 2012 que tem como tema “Não exceda a Velocidade. Preserve a Vida”. As ações de trânsito integram o Pacto Nacional pela Redução de Acidentes (Parada- Um Pacto pela Vida) lançado em maio de 2011, período no qual foram realizadas campanhas sazonais de utilidade pública que, aliadas à fiscalização e à educação no trânsito, conseguiram reduzir o número de óbitos nas rodovias.

Exemplo
Os números ainda são grandes. Segundo o Ministério da Saúde, em 2010, 42.844 pessoas morreram nas estradas e ruas do país. O Brasil pretende seguir o exemplo da Espanha nas ações da campanha, com o aumento da fiscalização, do número de guardas nas ruas, rigor da legislação e mudanças na formação de condutores.

Em 2003, a Espanha ocupava a 17ª posição no ranking europeu de países com menor mortalidade no trânsito. Em 2009, passou a ocupar a 9ª posição. Nesse período, as ações na área reduziram o índice caiu de 128 mortos por milhão de habitantes, para 59 mortos.

O pacto é uma resposta do Brasil à Resolução A/64/L44 da Organização das Nações Unidas (ONU), publicada no dia 02 de março de 2010, que instituiu o período de 2011 a 2020, como a “Década de Ações de Segurança no Trânsito”. A resolução foi elaborada com base em pesquisa realizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em 178 países que estimou que, em 2009, aconteceram cerca de 1,3 milhão de mortes por acidentes de trânsito.

“Hoje, o número de mortes no trânsito é maior do que em uma guerra, se conseguirmos alcançar até a metade deste índice, significa salvar a vida de 21 mil pessoas a cada 12 meses. Não podemos mais abrir mão de talentos q poderiam estar contribuindo com o desenvolvimento do nosso País e nem dar o desgosto a tantas famílias”, disse o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, durante a cerimônia de lançamento.

Cissa Guimarães, cujo filho Rafael Mascarenhas morreu atropelado em 2010, defendeu uma grande aliança entre governos, empresas e população para a defesa da vida no trânsito. “Que os mais fortes respeitem os mais fracos como pedestres, ciclistas, skatistas. É preciso ter mais penalização para quem não respeita as regras”, disse.

Para a presidente Dilma Rousseff, o pacto é uma oportunidade de os brasileiros mostrarem que são solidários. “A medida que crescemos no Brasil, também é exigido a responsabilidade com a vida em sociedade, em comunidade e com os valores relativos a civilidade entre as pessoas”, disse.

“Quando se faz campanhas em momentos de feriados, percebe-se que dá certo com redução do número de mortes. Mas é necessário que as ações sejam feitas todos os dias. É preciso fazer de forma permanente para que as pessoas não morram no trânsito, principalmente os jovens, faixa etária que mais apresenta vítimas, principalmente no uso de motocicletas”, afirmou Dilma.

 

 

Leia mais:

Lançada campanha para reduzir acidentes no trânsito

Estatística mostra que número de acidentes e vítimas reduziu com fiscalização eletrônica

Acidentes de trânsito envolvendo motociclistas supera o de pedestres e motoristas

 

Fonte:
Ministério das Cidades
Portal Brasil






Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Dicas para evitar problemas com a seca
Aparelho precisa ser higienizado todos os dias para evitar proliferação de fungos
Dicas para a prática de atividade física durante a seca
Para evitar quadro, governo recomenda ingestão de líquidos e prática de atividades antes das 10h e após as 16h
Dicas para cuidar da respiração durante a seca
Ministério da Saúde recomenda o uso de umidificadores de ar, toalhas úmidas e bacias com água para melhorar respiração nessa época
Aparelho precisa ser higienizado todos os dias para evitar proliferação de fungos
Dicas para evitar problemas com a seca
Para evitar quadro, governo recomenda ingestão de líquidos e prática de atividades antes das 10h e após as 16h
Dicas para a prática de atividade física durante a seca
Ministério da Saúde recomenda o uso de umidificadores de ar, toalhas úmidas e bacias com água para melhorar respiração nessa época
Dicas para cuidar da respiração durante a seca

Últimas imagens

Segundo resolução da Anvisa, os rótulos deverão informar a existência de dezessete substâncias
Segundo resolução da Anvisa, os rótulos deverão informar a existência de dezessete substâncias
Divulgação/EBC
Confira também dicas de como preceder no caso de suspeita de infarto
Confira também dicas de como preceder no caso de suspeita de infarto
Infográfico mostra resultado de acordo entre governo federal e indústrias de alimentos para diminuir quantidade de sal em produtos
Infográfico mostra resultado de acordo entre governo federal e indústrias de alimentos para diminuir quantidade de sal em produtos

Governo digital