Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 10 > ABC Paulista receberá investimentos para ampliar Rede de Atenção às Urgências

Saúde

ABC Paulista receberá investimentos para ampliar Rede de Atenção às Urgências

por Portal Brasil publicado: 01/10/2012 16h36 última modificação: 29/07/2014 09h02
Ministério da Saúde ABC Paulista receberá R$ 153,2 milhões para atendimento

ABC Paulista receberá R$ 153,2 milhões para atendimento

Investimento beneficiará sete municípios, que poderão melhorar ações como o Samu 192, UPA 24h e leitos de UTI

O Ministério da Saúde vai investir R$ 153,2 milhões para implantação da terceira etapa do Plano de Ação da Rede de Atenção às Urgências de São Paulo - Região ABC Paulista (SP).

A medida vai beneficiar sete municípios da região metropolitana do estado. O objetivo é potencializar a organização da rede para gerar impactos positivos no atendimento aos usuários do SUS. “O Ministério da Saúde está estimulando estados e municípios a organizarem redes de assistência para que os serviços funcionem integrados. Com isso, a população terá mais qualidade no atendimento”, explica o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Os novos valores estabelecidos para o repasse serão incorporados ao limite financeiro de Média e Alta Complexidade do estado e dos municípios de Diadema, Mauá, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

Os recursos vão possibilitar a ampliação e aprimoramento, habilitação e qualificação das Unidades de Pronto Atendimento (UPA 24h) e das portas de entrada de Urgências, além de leitos clínicos e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Estrutura

Do total de investimentos do Ministério da Saúde nos municípios do ABC Paulista, R$ 48 milhões serão direcionados para habilitar 149 novos leitos, sendo 109 de UTI adulto tipo II, 17 de UTI Pediátrica, 13 de UTI Tipo III, e dez leitos de UTI Coronariana. Mais 85 leitos serão qualificados.

Também está previsto R$ 43,4 milhões para qualificação de portas de entrada de urgência, qualificação e habilitação de novos leitos clínicos, adultos e pediátricos, além de implantação de novos leitos de enfermaria de longa permanência.

Outros R$ 10 milhões de investimento do ministério irão para ampliação e qualificação do Samu. Serão habilitadas quatro novas ambulâncias e quatro centrais de regulação médica. Cerca de R$ 43,8 milhões serão investidos na habilitação de nove UPAs e na qualificação de 18.

Equipadas para realizar atendimentos de complexidade intermediária, as UPAs 24h conseguem resolver até 97% dos problemas dos usuários que as procuram sem necessidade de encaminhamento a um hospital. Além disso, R$ 7,9 milhões serão investidos em salas de estabilização, qualificação de equipes multiprofissionais e atenção domiciliar.

Rede de Atenção às Urgências

A organização da Rede de Atenção às Urgências tem a finalidade de articular e integrar no âmbito do SUS todos os equipamentos de saúde, objetivando ampliar e qualificar o acesso humanizado e integral aos usuários em situação de urgência nos serviços de saúde de forma ágil e oportuna, e deve ser implementada gradativamente, em todo o território nacional, respeitando-se os critérios epidemiológicos e de densidade populacional. 

Leia mais:

Mato Grosso do Sul recebe R$ 82,7 milhões para melhoria na rede de urgência

Rio Grande do Norte receberá R$ 86,2 mi para Rede de Urgência

Rio de Janeiro terá R$ 450 milhões para qualificar atendimento do SUS

Rede de urgências do Paraná receberá R$ 159 milhões para qualificar atendimento

 

Fonte: 
Ministério da Saúde

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Governo assume metas para conter crescimento da obesidade no País
Entre as medidas estão a redução do consumo de sucos artificiais e refrigerantes em, pelo menos, 30% e incentivar o consumo frutas e hortaliças regularmente
Cooperação incentivará vacinação nas escolas
Parceria entre os Ministérios da Saúde e da Educação visa incentivar vacinação nas escolas. Material informativo sobre HPV e Meningite C será distribuído nas unidades escolares
Ligações para Centro de Valorização da Vida serão gratuitas em todo o País
Acordo entre Ministério da Saúde e o centro permitirá que a organização faça atendimentos gratuitos por meio de um número único para todo o País
Entre as medidas estão a redução do consumo de sucos artificiais e refrigerantes em, pelo menos, 30% e incentivar o consumo frutas e hortaliças regularmente
Governo assume metas para conter crescimento da obesidade no País
Parceria entre os Ministérios da Saúde e da Educação visa incentivar vacinação nas escolas. Material informativo sobre HPV e Meningite C será distribuído nas unidades escolares
Cooperação incentivará vacinação nas escolas
Acordo entre Ministério da Saúde e o centro permitirá que a organização faça atendimentos gratuitos por meio de um número único para todo o País
Ligações para Centro de Valorização da Vida serão gratuitas em todo o País

Últimas imagens

 Em 2016, mais de 2 milhões de atendimentos das PICs foram realizados em Unidades Básicas de Saúde
Em 2016, mais de 2 milhões de atendimentos das PICs foram realizados em Unidades Básicas de Saúde
Divulgação/Governo do Rio Grande do Sul
A interdição é resultado da comunicação com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
A interdição é resultado da comunicação com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Foto: Gilson Abreu/Fiep
Anvisa determinou que a empresa Newage Indústria de Bebidas Ltda recolha o estoque
Anvisa determinou que a empresa Newage Indústria de Bebidas Ltda recolha o estoque
Carla Cleto/Governo de Alagoas
Substâncias anabolizantes, abortivas ou que causam má-formação fetal também são enquadradas na lista
Substâncias anabolizantes, abortivas ou que causam má-formação fetal também são enquadradas na lista
Divulgação/EBC
Brasil atingiu Metas dos Objetivos do Milênio de combate à tuberculose com três anos de antecedência
Brasil atingiu Metas dos Objetivos do Milênio de combate à tuberculose com três anos de antecedência
Divulgação/Ministério da Saúde

Governo digital