Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 10 > Brasil fará parte de pesquisa internacional sobre idoso

Saúde

Brasil fará parte de pesquisa internacional sobre idoso

por Portal Brasil publicado : 03/10/2012 15:48
Into/Ministério da Saúde Pessoas com necessidade de reabilitação motora, idosos, pacientes crônicos ou recém operados são prioridades do Melhor em Casa

Pessoas com necessidade de reabilitação motora, idosos, pacientes crônicos ou recém operados são prioridades do Melhor em Casa

O objetivo é  levantar as condições de vida e o acesso aos serviços de saúde de pessoas com mais de 60 anos e ajudar a definir políticas públicas

 

O Brasil é primeiro País da América do Sul a participar do consórcio Estudo Longitudinal das Condições de Saúde e Bem-Estar da População Idosa, denominado Elsi Brasil. A pesquisa pretende levantar condições de vida e de saúde dos idosos. Também farão parte da pesquisa:  Estados Unidos e Canadá na América do Norte, 11 países europeus, além do Japão, Índia, China e Coréia do Sul, na Ásia.

Atualmente, existem no Brasil cerca de 21 milhões de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, o que representa, aproximadamente, 11% do total da população, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que de 1950 a 2025 a quantidade de idosos no País aumentará 15 vezes. Com isso, o Brasil ocupará o sexto lugar no total de idosos, alcançando, em 2025, aproximadamente 32 milhões de pessoas com 60 anos ou mais de idade.

O objetivo principal do estudo é investigar a evolução e a realidade as condições de saúde, capacidade funcional e do uso dos serviços de saúde entre os idosos.

A coordenadora do estudo Elsi Brasil, a médica e pesquisadora Maria Fernanda Lima e Costa, afirma que esta é uma pesquisa importante ao se levar em conta dados das Nações Unidas sobre envelhecimento populacional: em 2020, daqui oito anos, a população com mais de 65 anos será superior a de crianças com menos de cinco anos.

No Brasil, 36,5% das pessoas com mais de 50 anos apresentam algum tipo de incapacidade funcional ou dificuldades para realizar uma tarefa, seja atravessar a rua, subir escadas ou ouvir. Na Inglaterra, este número é de 23%.

Importância
Os tópicos mais importantes do estudo dizem respeito à aposentadoria e suas consequências para a saúde, situação socioeconômica, estrutura domiciliar e familiar, situações comuns aos vários países participantes, o que possibilita comparações internacionais.

No Brasil, o primeiro ciclo do estudo terá uma duração de seis anos, com entrevistas de 15 mil pessoas. O investimento do Ministério da Saúde para esse estudo é de R$ 6,5 milhões.

Aposentadoria
Todo trabalhador que contribuiu para a Previdência Social por 180 meses e tenha 65 anos, no caso dos homens, e 60 anos, no caso das mulheres, tem direito a se aposentar. Para os trabalhadores rurais, a idade mínima é reduzida: 60 anos para os homens e 55 anos para as mulheres.

Observatório Nacional do Idoso
O Ministério da Saúde também desenvolve o projeto piloto Observatório Nacional do Idoso. O objetivo é o de garantir subsídios para a construção de uma linha de cuidado para a pessoa idosa articulada com as redes de atenção já existentes.

A iniciativa é uma parceria entre o Ministério da Saúde, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz (São Paulo) e a secretaria municipal da saúde de Curitiba (PR).

A coordenadora de Saúde do Idoso do Ministério da Saúde, Cristina Hoffmann, explica que o processo de envelhecimento ativo e saudável começa na juventude, antes da pessoa chegar aos 60 anos.

“É o processo de melhoria das oportunidades de saúde, participação e segurança para aumentar a qualidade de vida à medida que as pessoas envelhecem", disse.

Segundo ela, o conceito emerge como modelo para as políticas públicas por ampliar o foco de atenção para dimensões positivas da saúde, para além do controle de doenças. Cristina afirma que programas do Ministério, como Academias da Saúde e Saúde da Família, são essenciais a meta de envelhecimento ativo assumido pelo governo brasileiro junto a Organização Mundial de Saúde.

Dia do Idoso

Comemorado no dia 1º de outubro, o Dia Nacional do Idoso, instituído pela Lei nº 11.433/06,reforça a importância da inclusão social desta parcela da população, além da garantia de acesso aos benefícios já conquistados.

Boa parte destas conquistas está listada no Estatuto do Idoso , que é o principal instrumento para assegurar direitos. Entre os itens do documento está a proteção à vida e à saúde, que consistem no respeito à integridade física e moral e o direito ao respeito, liberdade e dignidade.

 

Leia mais:

Dia Nacional do Idoso é marcado por avanços na saúde, habitação, transporte e previdência

Idosos reivindicam direitos e recorrem contra reajustes abusivos em planos de saúde

Carteira do Idoso já atende um milhão

 

Fonte: 

Ministério da Saúde
Portal Brasil

 

 

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil