Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 10 > Brasil vai produzir medicamento para mal de Parkinson

Saúde

Brasil vai produzir medicamento para mal de Parkinson

por Portal Brasil publicado: 26/10/2012 11h39 última modificação: 29/07/2014 09h02
Divulgação / Ministério da Saúde Inicialmente, o Brasil vai reduzir em 20% o custo com o medicamento

Inicialmente, o Brasil vai reduzir em 20% o custo com o medicamento

Anvisa liberou o registro para que a Fundação produza o Pramipexol, remédio utilizado para o tratamento da doença

 

A partir de janeiro de 2013, portadores do mal de Parkinson terão medicamento com fabricação registrada pelo Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou esta semana o registro para que a Fundação produza o Pramipexol, remédio utilizado para o tratamento da doença.

Por meio da Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP), o governo federal tem o objetivo de fortalecer a indústria farmoquímica brasileira. Com isso, desde novembro de 2011, o laboratório alemão Boehringer Ingelheim - detentor da patente do medicamento – assinou acordo com a Farmanguinhos para transferir a tecnologia para o desenvolvimento e fabricação do produto no País.

Segundo o vice-diretor de Gestão Institucional da Farmanguinhos, Jorge Mendonça, o acordo prevê um prazo máximo de cinco anos para a transmissão completa de tecnologia dentro da indústria nacional. Nos três primeiros anos, o remédio será comprado da indústria alemã, mas terá a marca da Farmanguinhos. Nos dois últimos anos do contrato, 50% da produção será adquirida e outros 50% serão produzidos na unidade.

De acordo com a Fiocruz, atualmente os medicamentos para o tratamento da doença são subsidiados pelo Ministério da Saúde por meio de repasse financeiro. No ano passado, foram investidos aproximadamente R$ 37 milhões aos estados para atender à demanda por Pramipexol.

 

Vantagens

Para Jorge Mendonça, além da nacionalização do medicamento, a iniciativa influencia na redução de despesas com a compra do medicamento. A partir de agora, a expectativa é que haja uma redução de no mínimo 20%, e, no final do processo, a redução seja em torno de 30%.

“Nós pretendemos beneficiar a população em duas linhas: indiretamente, aumentando a capacidade tecnológica do País e absorvendo novas tecnologias de produção de medicamentos. A outra, é uma forma mais direta, garantindo o acesso da população a um produto de ponta, trazendo maior conforto, aderência e principalmente melhor qualidade de vida para as pessoas que sofrem de mal de Parkinson”, explicou Mendonça.

 

Mal de Parkinson

O mal de Parkinson é uma doença degenerativa do sistema nervoso central e um dos problemas neurológicos mais comuns da atualidade. De acordo com a Fiocruz, estima-se que existam de 100 a 200 casos para cada 100 mil habitantes. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que 1% da população acima dos 65 anos de idade sofre com a doença, que geralmente surge a partir dos 50 anos de idade. No Brasil, a estimativa é que ao menos 200 mil pessoas possuam Parkinson.

O tratamento previne o avanço da doença, apesar de não ter cura, a degeneração dos neurônios é controlada pelos medicamentos utilizados.

Os principais sintomas da doença são: caligrafia menos legível ou com tamanho diminuído;  fala monótona e menos articulada; depressão ou isolamento sem motivo aparente; lapsos de memória, dificuldade de concentração e irritabilidade; um dos braços ou uma perna movimenta-se menos do que a do outro lado; a expressão facial perde a espontaneidade, diminui a freqüência dos piscamentos; os movimentos tornam-se mais vagarosos, a pessoa permanece por mais tempo em uma mesma posição.

 

Fonte:
Agencia Brasil
Ministério da Saúde

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mais de 196 milhões de consultas foram realizadas nas unidades básicas de saúde em 2016
Neste ano o Ministério da Saúde pretende ampliar esses serviços a partir de mudanças que estão sendo formuladas
Prontuário eletrônico dos pacientes do SUS deve ser implantado em todo país até final de 2018
Ministro da Saúde apresenta balanço da economia feita desde que assumiu a pasta
Farmácia Popular vai receber mais R$ 80 milhões por ano para a compra de medicamento
Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas são beneficiadas por mês com a iniciativa
Neste ano o Ministério da Saúde pretende ampliar esses serviços a partir de mudanças que estão sendo formuladas
Mais de 196 milhões de consultas foram realizadas nas unidades básicas de saúde em 2016
Ministro da Saúde apresenta balanço da economia feita desde que assumiu a pasta
Prontuário eletrônico dos pacientes do SUS deve ser implantado em todo país até final de 2018
Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas são beneficiadas por mês com a iniciativa
Farmácia Popular vai receber mais R$ 80 milhões por ano para a compra de medicamento

Últimas imagens

Para essa faixa etária orientação é esquema com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses
Para essa faixa etária orientação é esquema com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses
Foto: Rodrigo Nunes/MS
Medida foi possível após realocação dos R$ 100 milhões destinados à Rede Própria do Farmácia Popular
Medida foi possível após realocação dos R$ 100 milhões destinados à Rede Própria do Farmácia Popular
Arquivo/Ministério da Saúde
Homens têm mais diabetes, colesterol elevado, obesidade e pressão alta
Homens têm mais diabetes, colesterol elevado, obesidade e pressão alta
Olival Santos/Governo de Alagoas
Programa ainda conscientiza os pais sobre a importância da participação no acompanhamento da gravidez
Programa ainda conscientiza os pais sobre a importância da participação no acompanhamento da gravidez
Divulgação/Prefeitura de Itanhaém (SP)

Governo digital