Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 10 > Hospital paraense receberá recursos para ampliação

Saúde

Hospital paraense receberá recursos para ampliação

por Portal Brasil publicado: 30/10/2012 18h40 última modificação: 29/07/2014 09h02
Governo do Paraná A ação irá ampliar e qualificar o atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS)

A ação irá ampliar e qualificar o atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS)

O hospital do município de Ananindeua (PA) vai contar com 90 leitos de retaguarda para garantir continuidade no tratamento dos pacientes

O hospital Unidade Cidade Nova VI, em Ananindeua (PA), vai receber recursos de mais R$ 1,2 milhão para construção de novos leitos de retaguarda  para dar suporte ao Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE). O anúncio foi feito nessa terça-feira (30) pelo Ministro da Saúde, Alexandre Padilha. 

“Hoje, as pessoas buscam atendimento no Hospital Metropolitano, mas precisam permanecer internados por mais de 24 horas. Para dar continuidade ao tratamento, necessitamos de um número maior de leitos. A reforma é para readequar a estrutura física e para que o hospital tenha condições de receber novos leitos e com isso garantir o atendimento dos pacientes que virão do HMUE. O recurso já está disponível para o início das obras”, garante Padilha.

O Hospital Metropolitano, em Ananindeua, já possui 221 leitos que garantem o atendimento à população. Para habilitação dos 90 leitos de retaguarda, o Ministério da Saúde destinará, anualmente, R$ 8,3 milhões de custeio. Esta medida visa desafogar a emergência do hospital.

“Estamos priorizando a contratação dos leitos, para isso, o Ministério se propôs a pagar o dobro de valor da tabela SUS para um leito de retaguarda de continuação de tratamento de um paciente clínico e 50% a mais para um leito de UTI”, destaca o ministro.

O ministro disse ainda que “além desses 90 leitos, já pactuados, estamos efetivando a contratualização de mais 50 leitos de retaguarda junto aos hospitais de Maradei e São Francisco. Com isso, o HMUE contará com outros 140 leitos”, completa.

S.O.S Emergências

O S.O.S Emergências é uma ação estratégica do Ministério da Saúde, em conjunto com os gestores locais (estaduais e municipais), lançada em 2011 para qualificar o atendimento nas principais emergências do país.

Além do Hospital de Urgências de Goiânia, mais 11 hospitais de grande porte integram a estratégia nas seguintes localidades: Ananindeua (PA), Recife (PE), Fortaleza (CE), Salvador (BA), Brasília (DF), São Paulo (SP), Belo Horizonte (BH), Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS).

Todos os hospitais selecionados são referências regionais, possuem pronto-socorro e realizam grande número de internações e atendimentos ambulatoriais. A meta é de que - até 2014 - o S.O.S Emergências atinja os 40 maiores prontos-socorros brasileiros, em 26 estados e no Distrito Federal.

 

Fonte:

Ministério da Saúde
Portal Brasil

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital