Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 10 > Mais de 52 mil mães que tiveram filhos pelo SUS avaliaram atendimento

Saúde

Mais de 52 mil mães que tiveram filhos pelo SUS avaliaram atendimento

por Portal Brasil publicado: 30/10/2012 16h26 última modificação: 29/07/2014 09h02

Desde novembro de 2011, mulheres atendidas na rede pública são entrevistadas por telefone

 

Desde o lançamento da Ouvidoria da Rede Cegonha, em novembro de 2011, mais de 52 mil mulheres que tiveram seus filhos em hospitais da rede pública foram entrevistadas para avaliarem os serviços prestados - desde a descoberta da gravidez até o parto. Pela ouvidora também é feito o acompanhamento médico da criação até os dois anos de idade.

Na pesquisa, realizada por telefone, são feitas 38 perguntas sobre atenção à saúde da mulher no pré-natal, parto, pós-parto e saúde da criança e ainda seis questões relacionadas ao perfil como idade, estado civil, escolaridade e renda familiar. A ação inédita faz parte da estratégia Rede Cegonha, lançada no ano passado pelo governo federal.

O banco de dados é construído a partir das Autorizações de Internação Hospitalar (AIHs) de partos realizados pelo SUS. Na região Sudeste, mais de 24,9 mil mulheres já receberam a ligação e responderam ao questionário. No Nordeste, forma 12,9 mil pesquisas realizadas; no Sul. 7,2 mil; no Centro-Oeste, 4,3 mil, e no Norte 3,8 mil mulheres responderam o questionário.

O usuário também pode fazer a avaliação da Rede Cegonha, sem custos, por meio do Disque-Saúde (136). A ligação pode ser feita de telefones fixos, públicos ou celulares, de qualquer local do país. A avaliação também está disponível na internet, no Portal Saúde.

Carta SUS

Outro mecanismo de comunicação direta do Ministério da Saúde com o cidadão é a Carta SUS, também lançada em novembro de 2011, por meio da qual os usuários fazem a avaliação do atendimento e dos serviços prestados nos hospitais da rede pública ou unidades conveniadas. Desde janeiro deste ano, mais de 5,7 milhões de correspondências já foram enviadas.

Carta SUS

A carta possibilita ao usuário – ou familiar ou pessoa próxima – a confirmação dos dados (data da entrada no hospital, o dia da alta e o motivo da internação, entre outros), de forma a confirmar os serviços prestados na unidade de saúde. Por meio desta carta é possível também conhecer o custo total da internação, o que já ajudou a identificar possíveis fraudes e irregularidades.

Disque-Saúde

A simplificação do telefone da ouvidoria do SUS - antes com dez dígitos – para o número 136, medida em vigor desde o ano passado, contribuiu para aprimorar a comunicação com o usuário do sistema. Em 2011, o Disque-Saúde recebeu mais de 3,5 milhões de ligações e disseminou 7,5 milhões de informações.

Outra iniciativa é a criação da Ouvidoria Itinerante Fluvial, que consiste na visita de representantes do Ministério da Saúde aos municípios ribeirinhos para coletar informações sobre a acessibilidade e a qualidade dos serviços prestados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

“A participação da população nos canais de comunicação do Ministério da Saúde é fundamental para o processo de transparência do SUS e para a avaliação dos serviços que estão sendo prestados para a comunidade”, avalia o diretor do Departamento de Ouvidoria Geral do SUS, Luís Carlos Bolzan.

 

Fonte:

Ministério da Saúde

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
O Ministério da Saúde está trabalhando para diminuir a espera por cirurgias eletivas, aquelas que não são emergências
Mutirão já realizou mais de 33 mil cirurgias no país
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital