Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 11 > Estados receberão R$ 21 milhões para ampliação do pré-natal

Saúde

Estados receberão R$ 21 milhões para ampliação do pré-natal

por Portal Brasil publicado: 08/11/2012 12h26 última modificação: 29/07/2014 09h02
Divulgação / Governo do Estado do Espírito Santo O atendimento do SUS garante o pré-natal, o parto e acompanhamento pós parto à mãe e ao bebê

O atendimento do SUS garante o pré-natal, o parto e acompanhamento pós parto à mãe e ao bebê

O recurso vai atender mais de 426 mil gestantes além de disponibilizar 525 testes rápidos de gravidez

 

Com o objetivo de aumentar a oferta de exames do pré-natal e realizar os testes rápidos de gravidez, o Ministério da Saúde autorizou o repasse de R$ 21 milhões, em parcela única, para a viabilização dos exames na rede pública de saúde. A liberação do repasse foi determinada nessa quarta-feira (7), beneficiando, assim, 1.163 municípios, de 21 estados.

A estimativa é que mais de 416 mil gestantes sejam beneficiadas com os novos exames e mais de 525 testes sejam realizados. A meta do ministério é fazer com que o atendimento às gestantes seja cada vez mais qualificado e por isso reforça a importância dos municípios aderirem ao pré-natal da Rede Cegonha.

“Esses novos recursos garantem às mulheres todas as consultas e exames do pré-natal de forma gratuita, inclusive o ultrassom obstétrico. Essa ampliação tem reflexos diretos na mortalidade materna, já que o pré-natal de qualidade é fundamental para redução desses casos”, afirma o ministro.

De acordo com o ministério, a lista dos municípios beneficiados será divulgada no Diário Oficial da União ainda esta semana.

 

Recursos

Para a ampliação dos exames, foram destinados R$ 20.785 milhões. Já para os testes rápidos de gravidez, são aproximadamente R$ 249,3 mil. Este tipo de exame foi inserido no Sistema Único de Saúde (SUS) por meio da Rede Cegonha, assim como os testes rápido de sífilis e HIV. São ofertados 23 exames do componente pré-natal, deste total, 14 foram acrescidos com a Rede Cegonha. Esses serviços estão garantidos pela estratégia Rede Cegonha, lançada no ano passado.

Todos os estados já aderiram à estratégia, que consiste em uma rede de cuidados com o objetivo de assegurar à mulher o direito ao planejamento reprodutivo, bem como a atenção humanizada durante a gravidez, o parto e após o nascimento do bebê. A rede também prevê que as crianças tenham o direito ao nascimento seguro e ao crescimento e desenvolvimento saudáveis.

 

Pré-Natal

Entre as ações previstas está o acesso ao pré-natal de alto de risco; realização dos exames de pré-natal de risco habitual e de alto risco; acesso rápido aos resultados; vinculação da gestante - desde o pré-natal - ao local em que será realizado o parto; implementação de ações relacionados à saúde sexual e reprodutiva; além de prevenção e tratamento das DST/HIV/Aids e Hepatites.

Com a Rede Cegonha, já foi possível avançar no acesso às consultas de pré-natal. Em 2011, mais de 1,7 milhão de mulheres fizeram, no mínimo, sete consultas pré-natais.

 

Rede Cegonha

A rede prevê, ainda, a qualificação dos profissionais de saúde responsáveis pelo atendimento às mulheres durante a gravidez, parto e puerpério (pós-parto), bem como a criação de estruturas de assistência, como a Casa da Gestante e a Casa do Bebê, e os Centros de Parto Normal, que funcionarão em conjunto com a maternidade para humanizar o nascimento.

As boas práticas de atenção ao parto e nascimento serão exigidas nas maternidades. Uma delas é o direito a acompanhante de livre escolha da mulher durante todo o trabalho de parto. O ambiente em que a mulher dará a luz deve ser adequado para oferecer privacidade e conforto para ela e seu acompanhante. 

A mulher tem acesso a métodos de alívio da dor e a possibilidade de ficar em contato pele a pele com seu bebê imediatamente após o nascimento, prática que é benéfica para os dois.

Com ações que vão desde o planejamento reprodutivo até o segundo ano de vida do bebê, a Rede Cegonha vem qualificando e ampliando a assistência à mulher e ao bebê. A estratégia já conta com a adesão de mais de 4.759 municípios brasileiros.

 

Fonte:
Ministério da saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Governo amplia vacinação contra HPV para meninos de 11 a 15 anos incompletos
Homens e mulheres transplantados, além de pacientes em radioterapia e quimioterapia, também serão imunizados
SUS oferece tratamento gratuito contra a asma
Sistema Único de Saúde disponibiliza, de forma gratuita, os medicamentos para tratamento contra a asma
Ministério da Saúde lança campanha para incentivar doação de sangue
Nesta quarta-feira (14), o Ministério da Saúde lançou a Campanha Nacional de Doação de Sangue 2017
Homens e mulheres transplantados, além de pacientes em radioterapia e quimioterapia, também serão imunizados
Governo amplia vacinação contra HPV para meninos de 11 a 15 anos incompletos
Sistema Único de Saúde disponibiliza, de forma gratuita, os medicamentos para tratamento contra a asma
SUS oferece tratamento gratuito contra a asma
Nesta quarta-feira (14), o Ministério da Saúde lançou a Campanha Nacional de Doação de Sangue 2017
Ministério da Saúde lança campanha para incentivar doação de sangue

Últimas imagens

Os produtos são da categoria de alimentos de transição, utilizados como complemento ao leite materno
Os produtos são da categoria de alimentos de transição, utilizados como complemento ao leite materno
Foto: Sergio Amaral/MDS
Outros medicamentos estão na lista para uma próxima compra conjunta entre os países, como o Eculizumabe
Outros medicamentos estão na lista para uma próxima compra conjunta entre os países, como o Eculizumabe
J. Freitas/Agência Brasil
Propriedades funcionais somente podem ser alegadas quando atendidas às exigências para comprovação
Propriedades funcionais somente podem ser alegadas quando atendidas às exigências para comprovação
Divulgação/Ministério da Saúde
Doença afeta entre 10% a 25% da população adulta, segundo a Anvisa
Doença afeta entre 10% a 25% da população adulta, segundo a Anvisa
Divulgação/Ministério da Saúde
O brasileiro ingere 12 gramas de sódio por dia, mais que o dobro do sugerido pela Organização Mundial da Saúde
O brasileiro ingere 12 gramas de sódio por dia, mais que o dobro do sugerido pela Organização Mundial da Saúde
Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Governo digital