Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 11 > SOS Emergências promove a melhoria do atendimento nos serviços de urgência

Saúde

SOS Emergências promove a melhoria do atendimento nos serviços de urgência

por Portal Brasil publicado: 26/11/2012 14h46 última modificação: 29/07/2014 09h02

Estratégia visa ampliar a assistência e qualificar o atendimento nos principais prontos-socorros do País

Para comemorar o primeiro ano de implantação da estratégia de melhoria do atendimento de urgência e emergência à população que utiliza o Sistema Único de Saúde (SUS), o Ministério da Saúde lança campanha publicitária que destaca as principais ações dentro dos 12 hospitais que integram o SOS Emergências. A peça será veiculada nas principais emissoras de TV do País.

O SOS Emergências é uma iniciativa do governo federal em parceria com estados e municípios e os gestores hospitalares que visa promover o enfrentamento dos principais problemas dos 12 hospitais que integram a rede, qualificando a gestão, ampliando o acesso aos usuários em situações de urgência, e garantindo atendimento ágil e humanizado nos hospitais que atendem pelo SUS. A ação quer melhorar o atendimento nos serviços de urgência.

A iniciativa funciona de forma articulada com os demais serviços de urgência e emergência que compõem a Rede Saúde Toda Hora como o Samu, Unidades de Pronto Atendimento (Upas 24h), Salas de Estabilização, serviços da Atenção Básica e Melhor em Casa.

Em um ano de implantação foram disponibilizados 1.155 leitos, medida que contribuiu para diminuição de pacientes em macas nos corredores das emergências e na redução da taxa de ocupação das unidades. A iniciativa, que integra a Rede Saúde Toda Hora, vai alcançar, até 2014, os 40 maiores prontos-socorros brasileiros, abrangendo todos os 26 estados e o Distrito Federal. A estratégia tem como objetivo atuar de forma mais organizada e efetiva sobre a oferta da assistência nas grandes emergências do País.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, que já visitou todos os hospitais que integram o SOS Emergências, afirma que, aos poucos, está sendo reorganizando o atendimento para desafogar essas emergências. “Estou satisfeito com os resultados já obtidos. Os desafios são muitos e estamos trabalhando para que a assistência seja garantida de forma adequada aos pacientes que dependem do SUS”.

Os 12 hospitais de grande porte que fazem parte da iniciativa estão localizados em Goiânia, Goiás; Ananindeua, no Pará; Recife, em Pernambuco; Fortaleza, no Ceará; Salvador, na Bahia; Brasília, Distrito Federal; São Paulo; Belo Horizonte, em Minas Gerais; Rio de Janeiro; e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Todos os hospitais selecionados são referências regionais, possuem pronto-socorro e realizam grande número de internações e atendimentos ambulatoriais.

 

Medidas

Os recursos investidos totalizam R$ 116 milhões e deve saltar para R$ 470 milhões, até 2014. Desde a instalação do SOS Emergências, cada um dos hospitais recebe R$ 3,6 milhões por ano de custeio e R$ 3 milhões para reforma e\ou compra de equipamentos, além do pagamento diferenciado dos leitos de retaguarda.

O programa prevê capacitar os profissionais da saúde para melhorar e agilizar os serviços prestados à população, aumentar o número de novos leitos de retaguarda nessas unidades ou em hospitais parceiros e qualificar leitos de retaguarda já existentes, visando diminuir a superlotação da emergência. 

Medidas adotadas como o acolhimento e classificação de risco dos pacientes, gestão de leitos, monitoramento contínuo dos resultados possibilitam avançar no alcance dos objetivos do programa.

O ministério também desenvolve outras ações nesses hospitais como a qualificação dos profissionais que atuam nessas unidades, além da implantação do sistema de informatização da emergência e o de vídeo monitoramento para acompanhar o desempenho da unidade e o fluxo de pacientes na entrada da emergência de cada hospital.

 

Fonte:
Ministério da Saúde

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Fiocruz participa da Semana Nacional dos Museus com uma série de atividades
Museu da Vida da Fiocruz, no Rio de Janeiro, apresenta uma programação especial em homenagem à Semana Nacional dos Museus
Campanha do Ministério da Saúde incentiva a doação de leite materno
Ministério da Saúde lançou campanha para incentivar a doação de leite materno com slogan "Um pouquinho do que você doa, é tudo para quem precisa"
Governo decreta fim da Emergência Nacional para o vírus zika e microcefalia
Governo decretou fim da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional para o vírus zika e a microcefalia. Medida ocorre após queda na ocorrência dos casos do vírus no País.
Museu da Vida da Fiocruz, no Rio de Janeiro, apresenta uma programação especial em homenagem à Semana Nacional dos Museus
Fiocruz participa da Semana Nacional dos Museus com uma série de atividades
Ministério da Saúde lançou campanha para incentivar a doação de leite materno com slogan "Um pouquinho do que você doa, é tudo para quem precisa"
Campanha do Ministério da Saúde incentiva a doação de leite materno
Governo decretou fim da Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional para o vírus zika e a microcefalia.  Medida ocorre após queda na ocorrência dos casos do vírus no País.
Governo decreta fim da Emergência Nacional para o vírus zika e microcefalia

Últimas imagens

Rótulos dos produtos divulgam falsas propriedades terapêuticas
Rótulos dos produtos divulgam falsas propriedades terapêuticas
Divulgação/EBC
Em 2016, os bancos de leite humano do País registraram mais de 300 atendimentos em grupos
Em 2016, os bancos de leite humano do País registraram mais de 300 atendimentos em grupos
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
Cannabis não foi reconhecida como planta medicinal pela Anvisa
Cannabis não foi reconhecida como planta medicinal pela Anvisa
Reprodução/TV Brasil
O Into é responsável por 72,3% das cirurgias de alta e média complexidade feitas na capital
O Into é responsável por 72,3% das cirurgias de alta e média complexidade feitas na capital
Divulgação/Ministério da Saúde

Governo digital