Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 12 > Marcação de consultas e atendimentos são ampliados no Instituto de Traumatologia

Saúde

Marcação de consultas e atendimentos são ampliados no Instituto de Traumatologia

por Portal Brasil publicado: 06/12/2012 16h40 última modificação: 29/07/2014 09h02
Governo do Rio de Janeiro Capacidade do Into e hospitais estaduais do Rio de Janeiro será ampliada em 11.600 cirurgias

Capacidade do Into e hospitais estaduais do Rio de Janeiro será ampliada em 11.600 cirurgias

Agendamento será integrado a sistema informatizado, que permite marcação de consultas nas unidades de saúde do Rio de Janeiro

 

A partir desta quinta-feira (6), o agendamento das consultas no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into) será feito por sistema informatizado disponível em todas as unidades de saúde do Rio de Janeiro. Pacientes que moram na capital fluminense poderão procurar qualquer unidade básica de saúde para marcar a consulta diretamente.

Já os que vivem em outros municípios buscarão a unidade básica de saúde em que são acompanhados. A unidade agendará o atendimento em hospital especializado em traumato-ortopedia.

As medidas foram definidas em reunião realizada nesta quinta-feira (6), em Brasília, com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha; o secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Sérgio Côrtes; e o secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Hans Dohmann.

“Mudamos este sistema arcaico [por filas] porque queremos que as pessoas consigam marcar a consulta na unidade básica de saúde em que são acompanhadas. Em cada caso, será definido qual o melhor hospital para garantir o tratamento necessário àquele paciente”, explicou o ministro Alexandre Padilha.

Além da modificação da lógica de acesso de novos pacientes aos serviços especializados, com agendamento direto em qualquer unidade básica de saúde, foi criado um sistema de busca ativa dos pacientes que já passaram pela consulta de triagem no Into. Cinquenta atendentes telefonarão para estas pessoas e agendarão o próximo atendimento no hospital federal, sem necessidade de que qualquer paciente vá diretamente ao Into.

 

Cirurgias

Além das mudanças no agendamento de consultas, um conjunto de ações são aplicadas para ampliar em 11.600 cirurgias a capacidade de atendimento no Into e em hospitais estaduais do Rio de Janeiro e, com isso, reduzir o tempo de espera dos pacientes por consultas e cirurgias ortopédicas.

Foi definida a ampliação do funcionamento do hospital nos fins de semana. Neste sábado, serão cinco centros cirúrgicos em funcionamento; a partir do próximo sábado, passarão a ser dez. Somada à ampliação que ocorrerá no quadro de médicos do instituto, a medida garantirá o incremento de 5.600 cirurgias por ano.

Outra ação é a parceria com o estado do Rio de Janeiro para a realização de 500 cirurgias ortopédicas por mês nos hospitais Estadual de Traumatologia e Ortopedia Dona Lindu (100), Ulysses Guimarães (250) e São Francisco de Assis (150), totalizando 11.600 cirurgias a mais por ano.

 

Balanço

De janeiro até o mês passado, o Into realizou quase 7 mil cirurgias - 22% a mais que no mesmo período de 2011 - e 180 mil consultas - 74% a mais que em 2010, quando foram contabilizadas 103.399 consultas.

Além do instituto federal, os hospitais estaduais realizaram 16.700 cirurgias ortopédicas no estado do Rio - 5% maior que em 2011 e quase sete vezes maior do que a quantidade de procedimentos deste tipo realizados em 2006 (2.520).

Para reduzir o tempo de espera nas filas do SUS e ampliar o número de cirurgias de ortopedia, entre outros procedimentos, o estado do Rio de Janeiro recebeu R$ 33,5 milhões, 259% a mais que em 2011, quando foram liberados R$ 9,3 milhões. A estratégia faz parte da Política Nacional de acesso aos Procedimentos Cirúrgicos Eletivos.

Do total do recurso de 2012 (R$ 33,5 milhões) para realização das cirurgias, R$ 16,7 milhões são especificamente para cirurgias ortopédicas, tratamento de varizes, atendimento nas áreas de urologia e otorrinolaringologia, incluindo retirada de amígdalas. Outros R$ 16,7 milhões atenderão as demandas apresentadas pelos gestores estaduais, conforme a necessidade do estado.

Até o final do ano devem ser realizadas 31 mil cirurgias ortopédicas no Rio de Janeiro. No primeiro semestre de 2012, foram feitas 15.686 intervenções através do SUS. Em 2011 este número foi de 30.594, 222% a mais que em 2010, ano que registrou 9.506 cirurgias. Os investimentos também cresceram: R$ 8,4 milhões e R$ 5,9 milhões, respectivamente.

 

Fonte:
Ministério da Saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Crianças dão um show de conhecimento sobre a luta contra o Aedes aegypti
Aedes aegypti é transmissor de doenças graves, como a dengue, a zika e a chikungunya
Hospital da Bahia oferece tratamento completo contra o câncer
Hospital das Obras da Irmã Dulce, em Salvador, implantou radioterapia
SUS oferece tratamento para parar de fumar
Parar de fumar é uma decisão fundamental para a saúde, mas abandonar a dependência pode ser bem difícil
Aedes aegypti é transmissor de doenças graves, como a dengue, a zika e a chikungunya
Crianças dão um show de conhecimento sobre a luta contra o Aedes aegypti
Hospital das Obras da Irmã Dulce, em Salvador, implantou radioterapia
Hospital da Bahia oferece tratamento completo contra o câncer
Parar de fumar é uma decisão fundamental para a saúde, mas abandonar a dependência pode ser bem difícil
SUS oferece tratamento para parar de fumar

Últimas imagens

Em cada estado, foram selecionadas três maternidades para receber a estratégia neste primeiro momento
Em cada estado, foram selecionadas três maternidades para receber a estratégia neste primeiro momento
Divulgação/Governo de Goiás
Organização alertou ainda que o comércio ilegal de tabaco está agravando o tabagismo
Organização alertou ainda que o comércio ilegal de tabaco está agravando o tabagismo
Arquivo/USP Imagens
Os preservativos são distribuídas pelo SUS gratuitamente em todo o País
Os preservativos são distribuídas pelo SUS gratuitamente em todo o País
Divulgação/Ministério da Saúde
O Soliqua é indicado para o tratamento de diabetes mellitus tipo 2 para melhorar o controle glicêmico
O Soliqua é indicado para o tratamento de diabetes mellitus tipo 2 para melhorar o controle glicêmico
Antonio Cruz/Agência Brasil
Ferramenta reduz custos, pois dá ao médico acesso ao histórico do paciente e evita exames ou consultas repetidas
Ferramenta reduz custos, pois dá ao médico acesso ao histórico do paciente e evita exames ou consultas repetidas
Foto: rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital