Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2012 > 12 > Vacinação contra febre aftosa é prorrogado por mais 30 dias em seis estados

Saúde

Vacinação contra febre aftosa é prorrogado por mais 30 dias em seis estados

por Portal Brasil publicado: 04/12/2012 11h30 última modificação: 29/07/2014 09h02
Governo do Ceará A imunização na Paraíba, Piauí, agreste e sertão de Pernambuco está suspensa temporariamente

A imunização na Paraíba, Piauí, agreste e sertão de Pernambuco está suspensa temporariamente

O período de imunização foi prorrogado por mais 30 dias no Maranhão, Rio Grande do Norte, Bahia e em municípios atingidos pela estiagem em Minas Gerais

 

A segunda etapa da campanha anual de vacinação de bovinos e bubalinos contra febre aftosa continua em seis estados, até o final do ano. Devido à forte seca que afetou estados do semiárido brasileiro, o período de imunização foi prorrogado por mais 30 dias no Maranhão, Rio Grande do Norte, Bahia e em municípios atingidos pela estiagem em Minas Gerais. A campanha segue normalmente na área pantaneira de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul até 15 de dezembro.

A vacinação foi realizada na maioria dos estados durante todo o mês de novembro. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) definiu estratégias diferenciadas para os estados atingidos pela seca para garantir tempo hábil para que todos os produtores possam vacinar seus animais de forma segura.

 

A imunização na Paraíba, Piauí, agreste e sertão de Pernambuco está suspensa temporariamente. Os serviços veterinários oficiais desses estados deverão reavaliar a situação e definir, no início de janeiro, a estratégia a ser adotada. A flexibilização da segunda etapa da campanha, entretanto, não afetará o processo de reconhecimento da região como zona livre da febre aftosa com vacinação em 2013.

Os serviços veterinários oficiais têm 30 dias após o final da etapa para encaminhar ao Mapa relatório das atividades da campanha contra febre aftosa. Na primeira etapa, a cobertura vacinal foi de 97,85%.

Atualmente, a zona livre da febre aftosa com vacinação envolve áreas de 16 estados e o Distrito Federal. A campanha e todo trabalho realizado pelo governo são fundamentais para garantir as zonas livres e impedir a reintrodução da doença no território. Santa Catarina não está no calendário por ser zona livre de aftosa sem vacinação.

 

Fonte:
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Crianças dão um show de conhecimento sobre a luta contra o Aedes aegypti
Aedes aegypti é transmissor de doenças graves, como a dengue, a zika e a chikungunya
Hospital da Bahia oferece tratamento completo contra o câncer
Hospital das Obras da Irmã Dulce, em Salvador, implantou radioterapia
SUS oferece tratamento para parar de fumar
Parar de fumar é uma decisão fundamental para a saúde, mas abandonar a dependência pode ser bem difícil
Aedes aegypti é transmissor de doenças graves, como a dengue, a zika e a chikungunya
Crianças dão um show de conhecimento sobre a luta contra o Aedes aegypti
Hospital das Obras da Irmã Dulce, em Salvador, implantou radioterapia
Hospital da Bahia oferece tratamento completo contra o câncer
Parar de fumar é uma decisão fundamental para a saúde, mas abandonar a dependência pode ser bem difícil
SUS oferece tratamento para parar de fumar

Últimas imagens

Em cada estado, foram selecionadas três maternidades para receber a estratégia neste primeiro momento
Em cada estado, foram selecionadas três maternidades para receber a estratégia neste primeiro momento
Divulgação/Governo de Goiás
Organização alertou ainda que o comércio ilegal de tabaco está agravando o tabagismo
Organização alertou ainda que o comércio ilegal de tabaco está agravando o tabagismo
Arquivo/USP Imagens
Os preservativos são distribuídas pelo SUS gratuitamente em todo o País
Os preservativos são distribuídas pelo SUS gratuitamente em todo o País
Divulgação/Ministério da Saúde
O Soliqua é indicado para o tratamento de diabetes mellitus tipo 2 para melhorar o controle glicêmico
O Soliqua é indicado para o tratamento de diabetes mellitus tipo 2 para melhorar o controle glicêmico
Antonio Cruz/Agência Brasil
Ferramenta reduz custos, pois dá ao médico acesso ao histórico do paciente e evita exames ou consultas repetidas
Ferramenta reduz custos, pois dá ao médico acesso ao histórico do paciente e evita exames ou consultas repetidas
Foto: rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital