Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2013 > 01 > Cadastro Nacional de Especialistas será criado para identificar atuação médica

Saúde

Cadastro Nacional de Especialistas será criado para identificar atuação médica

por Portal Brasil publicado: 24/01/2013 15h13 última modificação: 29/07/2014 09h19
Divulgação / Prefeitura Municipal de Embu das Artes - SP Objetivo do Cadastro Nacional de Especialistas é conhecer o perfil dos médicos e a distribuição da atuação médica em todo o País

Objetivo do Cadastro Nacional de Especialistas é conhecer o perfil dos médicos e a distribuição da atuação médica em todo o País

Objetivo do Cadastro Nacional de Especialistas é conhecer o perfil dos médicos e a distribuição da atuação médica em todo o País

 

Com o objetivo de conhecer o perfil dos médicos e a distribuição da atuação médica em todo o território nacional, está sendo elaborado o Cadastro Nacional de Especialistas, uma ação conjunta do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). De acordo com o secretário da Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mozart Sales, a iniciativa é o ponto de partida para a formulação de uma política de formação de especialistas no País nos próximos 10 a 15 anos.

Para a elaboração desse banco de dados, serão utilizadas inicialmente informações do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), da Comissão Nacional de Residência Médica e do Conselho Federal de Medicina e da Associação Médica Brasileira. A iniciativa conta, ainda, com a parceria do Observatório de Relações Humanas da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e do Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O secretário Mozart Sales destacou a importância de construir um caminho para entender como é desenvolvido o trabalho das especialidades que atuam na área de saúde suplementar. Para isso, é fundamental integrar, já neste primeiro momento, as informações do setor quanto à atuação médica contando para isso com os dados relevantes das operadoras de planos de saúde.

Segundo o diretor-presidente da ANS, André Longo, para que o Cadastro Nacional de Especialistas cumpra o seu papel é fundamental a integração de esforços entre as instituições parceiras para que haja o compromisso com a atualização periódica dos dados, facilitando o acesso às informações pelos beneficiários de planos de saúde, gestores e sociedade em geral sobre a atuação dos profissionais do setor de saúde no País.

 

Mais médicos

Em junho do ano passado, o Ministério da Educação (MEC) anunciou a criação de novos cursos de medicina no País, além da ampliação das vagas já existentes nas faculdades públicas e particulares. A ideia é aumentar o número de médicos no País e evitar que algumas regiões sofram com a falta desses profissionais.

 

ANS

A Agência Nacional de Saúde Suplementar é a agência reguladora, vinculada ao Ministério da Saúde, responsável pelo setor de planos de saúde no Brasil.

Seu objetivo é promover a defesa do interesse público na assistência suplementar à saúde, regular as operadoras setoriais - inclusive quanto às suas relações com prestadores e consumidores - e contribuir para o desenvolvimento das ações de saúde no País.

Sua atuação é focada em contribuir para a construção de um setor de saúde suplementar que tenha como principal interesse a produção da saúde centrada no cidadão, com ações de promoção da saúde e prevenção de doenças, observado os princípios de qualidade, integralidade e resolutividade.

 

Fonte:
Ministério da Saúde
Agência Nacional de Saúde Suplementar
Portal Brasil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes

Últimas imagens

Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Arquivo/Agência Brasil
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Arquivo/Ministério da Saúde

Governo digital