Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2013 > 01 > Cerca de R$ 63 milhões serão investidos em áreas da saúde de 15 estados

Saúde

Cerca de R$ 63 milhões serão investidos em áreas da saúde de 15 estados

por Portal Brasil publicado: 10/01/2013 12h01 última modificação: 29/07/2014 09h19
Divulgação / Governo de Pernambuco O  recurso será aplicado na implantação de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) dos estados

O recurso será aplicado na implantação de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) dos estados

A maior parte dos recursos é destinada à implantação de Upas e ao tratamento de dependentes de crack e outras drogas em 15 estados do País

 

Cerca de R$ 63,3 milhões foram liberados pelo Ministério da Saúde para o investimento na assistência de Média e Alta complexidade. Ao todo 15 estados, 39 municípios e o Distrito Federal receberão o recurso para implantação de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), na habilitação de novos Centros de Atenção Psicossocial (Caps), na reestruturação de hospitais de ensino, na estratégia S.O.S Emergências e no custeio de leitos para tratamento com pacientes vítimas de acidente vascular cerebral (AVC).

A maior parte dos recursos - R$ 16,2 milhões - foi direcionada para a implantação de UPAs. Os Centros de Atenção Psicossocial receberão R$ 15,8 milhões para tratamento de pessoas com algum tipo de problema e com necessidades devido ao uso de crack, álcool e outras drogas.

O Rio Grande do Sul e a capital (Porto Alegre) vão contar com R$ 15 milhões para o custeio de leitos para pacientes em estado grave, vítimas de AVC. E para o Estado de Pernambuco, foram liberados quase R$ 14 milhões para serem aplicados em hospitais pernambucanos.

 

Enfrentamento ao Crack

O governo federal atua contra o avanço do crack, uma droga tóxica feita com pasta de cocaína, por meio de parcerias com estados e municípios.

A previsão do governo é investir no Programa Crack, é possível Vencer cerca de R$ R$ 4 bilhões da União até 2014. A iniciativa conta com a atuação direta dos ministérios da Justiça, da Saúde e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, além da Casa Civil e da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

 

Investimentos para evitar doenças crônicas

No final de dezembro de 2012, o governo destinou cerca de 12,5 milhões para o Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT). O valor é disponibilizado pelo Ministério da Saúde aos fundos de saúde estaduais, municipais e do Distrito Federal (DF).

O objetivo é reduzir em 2% ao ano a taxa de mortalidade prematura de pessoas com até 70 anos de idade, em decorrência de doenças como câncer, diabetes, infarto, acidente vascular cerebral e doenças respiratórias.

 



 

 

 

 

Fonte:
Ministério da Saúde
Portal Brasil

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mais de 196 milhões de consultas foram realizadas nas unidades básicas de saúde em 2016
Neste ano o Ministério da Saúde pretende ampliar esses serviços a partir de mudanças que estão sendo formuladas
Prontuário eletrônico dos pacientes do SUS deve ser implantado em todo país até final de 2018
Ministro da Saúde apresenta balanço da economia feita desde que assumiu a pasta
Farmácia Popular vai receber mais R$ 80 milhões por ano para a compra de medicamento
Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas são beneficiadas por mês com a iniciativa
Neste ano o Ministério da Saúde pretende ampliar esses serviços a partir de mudanças que estão sendo formuladas
Mais de 196 milhões de consultas foram realizadas nas unidades básicas de saúde em 2016
Ministro da Saúde apresenta balanço da economia feita desde que assumiu a pasta
Prontuário eletrônico dos pacientes do SUS deve ser implantado em todo país até final de 2018
Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas são beneficiadas por mês com a iniciativa
Farmácia Popular vai receber mais R$ 80 milhões por ano para a compra de medicamento

Últimas imagens

Para essa faixa etária orientação é esquema com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses
Para essa faixa etária orientação é esquema com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses
Foto: Rodrigo Nunes/MS
Medida foi possível após realocação dos R$ 100 milhões destinados à Rede Própria do Farmácia Popular
Medida foi possível após realocação dos R$ 100 milhões destinados à Rede Própria do Farmácia Popular
Arquivo/Ministério da Saúde
Homens têm mais diabetes, colesterol elevado, obesidade e pressão alta
Homens têm mais diabetes, colesterol elevado, obesidade e pressão alta
Olival Santos/Governo de Alagoas
Programa ainda conscientiza os pais sobre a importância da participação no acompanhamento da gravidez
Programa ainda conscientiza os pais sobre a importância da participação no acompanhamento da gravidez
Divulgação/Prefeitura de Itanhaém (SP)

Governo digital