Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2013 > 01 > Instituto de Traumatologia começa a realizar cirurgia de alongamento de mandíbula

Saúde

Instituto de Traumatologia começa a realizar cirurgia de alongamento de mandíbula

por Portal Brasil publicado: 29/01/2013 12h58 última modificação: 29/07/2014 09h19
Divulgação / Ministério da Saúde O tipo de cirurgia realizada consiste no alongamento ósseo de mandíbula, também chamado de distracção osteogênica

O tipo de cirurgia realizada consiste no alongamento ósseo de mandíbula, também chamado de distracção osteogênica

Novo tratamento será feito por especialistas em cirurgia crâniomaxilofacial

 

Crianças de cinco a 15 anos que possuem problemas congênitos de desenvolvimento de mandíbula vão poder realizar cirurgia no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into). O novo tratamento desenvolvido pelo Instituto é destinado aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) que são atendidos pelo Centro de Cirurgia Crâniomaxilofacial, especializado em doenças do crânio e da face. As cirurgias começam a ser realizadas a partir desta terça-feira (29).

O tipo de cirurgia realizada consiste no alongamento ósseo de mandíbula, também chamado de distracção osteogênica. Para o médico Ricardo Cruz, o procedimento é o mais indicado para correções de deformidades. “Existem outras alternativas de tratamentos, mas o alongamento mandibular é o mais moderno hoje e consideramos a melhor opção em pacientes jovens com anomalias congênitas ou adquiridas”, disse.

A cirurgia é indicada para os casos de anomalias congênitas de mandíbula, microssomia hemifacial (lado do rosto que nasce menor), síndromes de Pierre-Robin e Treacher-Collins e nas anomalias adquiridas em trauma e sem causa específica, como a anquilose temporo-mandibular (onde há rigidez na articulação que impede o crescimento da mandíbula).

A ação é coordenada pelo cirurgião Ricardo Cruz, chefe do Centro de Cirurgia Crâniomaxilofacial do Into, e contará com a participação dos especialistas convidados, Nivaldo Alonso, da Universidade de São Paulo e Renato Freitas, da Universidade do Paraná.

 

Cirurgia repadora

Essa técnica de cirurgia reparadora tem como objetivo atenuar o crescimento deficiente da mandíbula com o auxílio de um aparelho distractor, fabricado em titânio, que é afixado no maxilar do paciente para estimular o desenvolvimento de tecido ósseo no local. Os movimentos diários do aparelho permitem o alongamento do osso e a consequente melhora funcional e estética.

Os aparelhos (distractores) podem ser internos e externos. “O aparelho externo, apesar de parecer incômodo quando colocado no rosto, constitui-se em procedimento menos invasivo e que possibilita a alta do paciente em poucos dias”, explica Cruz. A recuperação depende de acompanhamento médico e fonoaudiológico por um período de cerca de quatro meses. Os objetivos a serem alcançados são a melhoria da mastigação e da respiração e a estética mais adequada.

 

Into

Referência no SUS, o Into realiza desde em 1989 o alongamento ósseo de pacientes com doenças no aparelho locomotor. Ao longo dos anos, o Serviço de Fixadores (Dismetria) do Instituto vem desenvolvendo técnicas de aplicação dos aparelhos de fixação externa para tornar os procedimentos cirúrgicos mais confortáveis para o paciente e com melhores resultados.

O Centro de Cirurgia Crâniomaxilofacial do Into atende pacientes com malformações congênitas e deformidades adquiridas em decorrência de traumatismos faciais e de tumores ósseos benignos. A cirurgia crâniomaxilofacial é uma área que reúne três especialidades médicas (cirurgia plástica, de cabeça e pescoço e a intervenção de otorrinolaringologia).

 

 

Fonte:
Ministério da Saúde
Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Governo assume metas para conter crescimento da obesidade no País
Entre as medidas estão a redução do consumo de sucos artificiais e refrigerantes em, pelo menos, 30% e incentivar o consumo frutas e hortaliças regularmente
Cooperação incentivará vacinação nas escolas
Parceria entre os Ministérios da Saúde e da Educação visa incentivar vacinação nas escolas. Material informativo sobre HPV e Meningite C será distribuído nas unidades escolares
Ligações para Centro de Valorização da Vida serão gratuitas em todo o País
Acordo entre Ministério da Saúde e o centro permitirá que a organização faça atendimentos gratuitos por meio de um número único para todo o País
Entre as medidas estão a redução do consumo de sucos artificiais e refrigerantes em, pelo menos, 30% e incentivar o consumo frutas e hortaliças regularmente
Governo assume metas para conter crescimento da obesidade no País
Parceria entre os Ministérios da Saúde e da Educação visa incentivar vacinação nas escolas. Material informativo sobre HPV e Meningite C será distribuído nas unidades escolares
Cooperação incentivará vacinação nas escolas
Acordo entre Ministério da Saúde e o centro permitirá que a organização faça atendimentos gratuitos por meio de um número único para todo o País
Ligações para Centro de Valorização da Vida serão gratuitas em todo o País

Últimas imagens

 Em 2016, mais de 2 milhões de atendimentos das PICs foram realizados em Unidades Básicas de Saúde
Em 2016, mais de 2 milhões de atendimentos das PICs foram realizados em Unidades Básicas de Saúde
Divulgação/Governo do Rio Grande do Sul
A interdição é resultado da comunicação com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
A interdição é resultado da comunicação com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Foto: Gilson Abreu/Fiep
Anvisa determinou que a empresa Newage Indústria de Bebidas Ltda recolha o estoque
Anvisa determinou que a empresa Newage Indústria de Bebidas Ltda recolha o estoque
Carla Cleto/Governo de Alagoas
Substâncias anabolizantes, abortivas ou que causam má-formação fetal também são enquadradas na lista
Substâncias anabolizantes, abortivas ou que causam má-formação fetal também são enquadradas na lista
Divulgação/EBC
Brasil atingiu Metas dos Objetivos do Milênio de combate à tuberculose com três anos de antecedência
Brasil atingiu Metas dos Objetivos do Milênio de combate à tuberculose com três anos de antecedência
Divulgação/Ministério da Saúde

Governo digital