Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2013 > 03 > Estudantes de Tocantins participam do programa Saúde na Escola

Saúde

Estudantes de Tocantins participam do programa Saúde na Escola

por Portal Brasil publicado: 14/03/2013 17h54 última modificação: 29/07/2014 09h20

O objetivo da ação é contribuir para a formação integral dos estudantes da rede pública de educação básica por meio de ações de prevenção, promoção e atenção à saúde

Com o tema “Prevenção da obesidade e o Cuidado com a Saúde Ocular” está acontecendo em todo País a Mobilização Saúde na Escola. A ação começou nessa segunda-feira e vai até sexta-feira (15).

No Tocantins, 24 municípios aderiram a Campanha e cerca de 2 mil estudantes passarão pela triagem durante a mobilização. A estratégia faz parte do Programa Saúde na Escola (PSE), ação desenvolvida em conjunto com o Ministério da Educação.

Com a iniciativa, os profissionais do programa podem desenvolver práticas educativas de promoção, prevenção e avaliação das condições de saúde, como: pesar e medir os alunos; calcular o Índice de Massa Corpórea (IMC); promover palestras com alunos e professores; e fornecer orientações nutricionais aos familiares dos estudantes.

Segundo a área Técnica de Estratégia Saúde da Família/Saúde Bucal, os municípios ainda podem aderir ao programa já que o prazo foi prorrogado para 15 de março. A contratualização  do Programa de Saúde na Escola para este ano ocorrerá no período de 18 de março a 30 de abril. “A Semana de Mobilização é o inicio de um trabalho que é desenvolvido durante todo o ano. Então os municípios interessados em participar podem fazer a adesão e participar das ações que serão realizadas ao longo do ano letivo de 2013”,  afirmou Maria Jucinaide Ribeiro Alvino, técnica do programa no estado.

Os alunos da rede pública podem tirar dúvidas sobre higiene bucal, saúde sexual e reprodutiva, educação física e malefícios causados pelo consumo de drogas. A mobilização é para alertar os jovens sobre a importância das boas práticas e condições de saúde na melhoria do desenvolvimento de crianças e adolescentes, tanto na escola, como na formação da cidadania. Neste ano, além dos alunos do ensino fundamental e médio, também participarão da triagem os estudantes das creches e pré-escolas.

Dados

Dados da Pesquisa Nacional de Orçamentos Familiares, (2008/09), indicam que a obesidade em crianças de 5 a 9 anos saltou de 4,1% para 16,6% entre os meninos e de 2,4% para 11,8% entre as meninas. Nos adolescentes, o excesso de peso passou de 3,7% para 21,7% nas últimas quatro décadas. Já os problemas de visão são uma das principais causas da evasão escolar e da dificuldade de aprendizagem. Estudos apontam que 30% das crianças em idade escolar apresentam refração ocular (distúrbios de visão causados por problemas no cristalino ou na córnea).

Projeto Saúde e Prevenção nas Escolas (SPE)

O Programa Saúde na Escola (PSE), Política intersetorial dos Ministérios da Saúde e da Educação, foi instituído em 2007. As políticas de saúde e educação voltadas às crianças, adolescentes, jovens e adultos da educação pública brasileira se unem para promover o desenvolvimento pleno desse público, aproveitando o espaço privilegiado da escola para práticas de promoção, prevenção da saúde e construção de uma cultura de paz.

Para mais informações acesse

Fonte:
Brasil Sem Miséria

 

 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes

Últimas imagens

Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Arquivo/Agência Brasil
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Arquivo/Ministério da Saúde

Governo digital