Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2013 > 04 > Santo André (SP) receberá, por ano, mais de R$ 6 milhões para combate ao crack

Saúde

Santo André (SP) receberá, por ano, mais de R$ 6 milhões para combate ao crack

por Portal Brasil publicado: 29/04/2013 16h52 última modificação: 29/07/2014 09h21

Os recursos para ações de enfrentamento à droga serão garantidos com a adesão do município ao programa Crack, é Possível Vencer

 

Santo André (SP) é o primeiro município brasileiro, fora as capitais estaduais, a aderir ao programa Crack, é Possível Vencer. A adesão garantirá ao município, até 2014, um Consultório na Rua, dez leitos de saúde mental no Hospital Geral, três Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) porte III, um CAPS infantil e um CAPS Álcool e Drogas 24 horas. Além disso, devem ser criados mais 15 leitos no Hospital Geral. Para essas ações, o Ministério da Saúde irá destinar mais R$ 4 milhões anuais a mais em recursos de custeio ao município, totalizando repasse anual de R$ 6,4 milhões. A adesão foi formalizada na última sexta-feira (26).

Com a adesão ao programa, o município amplia sua rede de atendimento, que já conta até então com um CAPS Álcool e Drogas, um CAPS infanto-juvenil e dois CAPS porte III. Somente essa estrutura totaliza um repasse anual de cerca de R$ 2,4 milhões a Santo André.

Durante visita ao município, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, inaugurou 17 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulto, no Centro Hospitalar de Santo André.  Também foram entregues novos equipamentos, como camas, respiradores e monitores, que irão reequipar os 17 leitos de UTI Adulto hoje já existentes no hospital, disponibilizando à população um total de 34 leitos.

O Centro Hospitalar recebeu ainda duas Centrais de Monitorização – cada uma delas permite realizar o monitoramento de até 16 pacientes ao mesmo tempo. Atualmente, o hospital conta com 232 leitos voltados, principalmente para o atendimento de urgência e emergência. São cerca de 800 pacientes atendidos por dia.

 

Combate ao crack

Lançado em dezembro de 2011, o programa Crack, é Possível Vencer é um conjunto de ações do governo federal para enfrentar de forma intersetorial os problemas relacionados ao uso do crack e de outras drogas. Com investimento de R$ 4 bilhões da União e articulação com estados, Distrito Federal e municípios, além da participação da sociedade civil, a iniciativa tem o objetivo de aumentar a oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários de drogas, enfrentar o tráfico e as organizações criminosas e ampliar atividades de prevenção.

As ações estão estruturadas em três eixos: cuidado, autoridade e prevenção. O primeiro inclui ampliação e qualificação da rede de atenção à saúde voltada aos usuários. No eixo autoridade, o foco é a integração de inteligência e cooperação entre Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e polícias estaduais, a realização de policiamento ostensivo nos pontos de uso de drogas nas cidades, além da revitalização desses espaços. Já o eixo prevenção abrange ações nas escolas, nas comunidades e de comunicação com a população.

O programa Crack, é Possível Vencer é interministerial e conta com ações dos ministérios da Justiça, da Saúde e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, da Casa Civil e da Secretaria de Direitos Humanos. Já aderiram ao programa os estados de Alagoas, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Acre, Santa Catarina, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Piauí, Paraná, Ceará, São Paulo e o Distrito Federal.

 

Fonte:

Ministério da Saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Projeto da Fiocruz usa bactéria para combater aedes aegypti
Projeto coordenado pela Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro, usa uma bactéria encontrada na mosca da fruta para combater a dengue, zyka e chikungunya
Obesidade atinge 1 em cada 5 brasileiros, revela pesquisa
Mais da metade da população está com peso acima do recomendado e quase um quinto dos brasileiros está obeso. Os dados são do Ministério da Saúde
Concurso elege melhores receitas voltadas à alimentação escolar
A qualidade da merenda escolar influencia diretamente na aprendizagem em sala de aula. Diante disso, um concurso está incentivando merendeiras a fazerem receitas mais saudáveis e gostosas para os alunos
Projeto coordenado pela Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro, usa uma bactéria encontrada na mosca da fruta para combater a dengue, zyka e chikungunya
Projeto da Fiocruz usa bactéria para combater aedes aegypti
Mais da metade da população está com peso acima do recomendado e quase um quinto dos brasileiros está obeso. Os dados são do Ministério da Saúde
Obesidade atinge 1 em cada 5 brasileiros, revela pesquisa
A qualidade da merenda escolar  influencia diretamente na aprendizagem em sala de aula. Diante disso, um concurso está incentivando merendeiras a fazerem receitas mais saudáveis e gostosas para os alunos
Concurso elege melhores receitas voltadas à alimentação escolar

Últimas imagens

Fabricantes de vacina não precisarão mais aguardar e já saberão recomendações da OMS para cada ano
Fabricantes de vacina não precisarão mais aguardar e já saberão recomendações da OMS para cada ano
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
Empresa deve retirar todos os seus produtos do mercado
Empresa deve retirar todos os seus produtos do mercado
Arquivo/EBC
Veículos reforçam  assistência à saúde na região do Alto Rio Solimões, onde 95% do transporte é fluvial
Veículos reforçam assistência à saúde na região do Alto Rio Solimões, onde 95% do transporte é fluvial
Foto: Luís Oliveira/Ministério da Saúde
Pesquisa entrevistou 53,2 mil pessoas maiores de 18 anos das capitais brasileiras
Pesquisa entrevistou 53,2 mil pessoas maiores de 18 anos das capitais brasileiras
Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Cerca de 2,3 milhões de professores em todo o País poderão se vacinar contra a gripe nos dias 2 e 3 de maio
Cerca de 2,3 milhões de professores em todo o País poderão se vacinar contra a gripe nos dias 2 e 3 de maio
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital