Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2013 > 10 > SUS e saúde no sistema prisional são debatidos

Saúde

SUS e saúde no sistema prisional são debatidos

Saúde pública

Ministério da Saúde quer levar SUS para dentro das unidades prisionais
por Portal Brasil publicado: 10/10/2013 17h46 última modificação: 29/07/2014 09h17

A transparência na gestão pública, o controle social e o controle interno foram discutidos na 250ª Reunião Ordinária do Conselho Nacional de Saúde (CNS). Para explanar sobre o tema, foram convidados representantes do Departamento de Auditoria do SUS (DENASUS), Jovita Rosa, da Gestão Estratégica e Participativa (SGEP/MS), Luiz Odorico, e da Secretaria Executiva do Ministério da Saúde, Ana Fontenele.

Os convidados falaram sobre os mecanismos de controle externo, interno e social do Sistema Único de Saúde (SUS). Foram apresentados os sistemas de monitoramento e fiscalização disponíveis pelo Ministério da Saúde, como a ouvidoria do SUS, sistema de avaliação e não apenas de reclamação. A ideia é que a ouvidoria funcione 24 horas e que, até junho de 2014, todos os sistemas de controle do MS estejam interligados qualificando as informações e facilitando os controles.

A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (PNAI) foi exibida aos conselheiros e internautas, por Marden Marques, Coordenador Nacional de Saúde no Sistema Prisional, que mostrou a dimensão da assistência à saúde nos presídios. Segundo ele, a ideia é levar o SUS para dentro das unidades prisionais a exemplo da Rede Cegonha.

 

Fonte:

Conselho Nacional de Saúde

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

banner_servico.jpg

Últimos vídeos

Mais Médicos: um serviço ao Brasil
Médico aposentado que aderiu ao programa do governo federal resolve servir em comunidades carentes.
Mais Médicos para todos
Inscrito no programa do governo federal, médico aposentado defende utilidade do Mais Médicos.
Mais Médicos contribui com importantes resultados na saúde da população brasileira
Renato Tasca, coordenador da Unidade Técnica Mais Médicos da OPAS/OMS, avalia o programa Mais Médicos: "Estou muito orgulhoso de estar apoiando o Brasil nessa tarefa desafiadora"
Médico aposentado que aderiu ao programa do governo federal resolve servir em comunidades carentes.
Mais Médicos: um serviço ao Brasil
Inscrito no programa do governo federal, médico aposentado defende utilidade do Mais Médicos.
Mais Médicos para todos
 Renato Tasca, coordenador da Unidade Técnica Mais Médicos da OPAS/OMS, avalia o programa Mais Médicos: "Estou muito orgulhoso de estar apoiando o Brasil nessa tarefa desafiadora"
Mais Médicos contribui com importantes resultados na saúde da população brasileira

Últimas imagens

Nordeste foi a região mais beneficiada, com 24 médicos. Sudeste receberá 20 profissionais, seguido do Centro-Oeste (7), Sul (7) e o Norte(2)
Nordeste foi a região mais beneficiada, com 24 médicos. Sudeste receberá 20 profissionais, seguido do Centro-Oeste (7), Sul (7) e o Norte(2)
Divulgação/Ministério da Saúde
Cadastro vai possibilitar a criação de políticas para ampliação do número de médicos especialistas, como pediatras
Cadastro vai possibilitar a criação de políticas para ampliação do número de médicos especialistas, como pediatras
Vila Velha-ES
Em 87,1% dos municípios havia atendimento de emergência (24 horas)
Em 87,1% dos municípios havia atendimento de emergência (24 horas)
Divulgação/Governo de SP
Ministro Arthur Chioro assinou um termo de compromisso para o enfrentamento da Hanseníase com 141 municípios matogrossense
Ministro Arthur Chioro assinou um termo de compromisso para o enfrentamento da Hanseníase com 141 municípios matogrossense
Rondon Vellozo/Ascom-MS
Vacina é segura e protege contra a paralisia infantil, que pode levar a morte ou deixar sequelas para o resto da vida
Vacina é segura e protege contra a paralisia infantil, que pode levar a morte ou deixar sequelas para o resto da vida
Gabriel Rosa/SMCS

Governo digital