Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2014 > 02 > Sábado (1º) é dia D de vacinação contra o sarampo em Fortaleza

Saúde

Sábado (1º) é dia D de vacinação contra o sarampo em Fortaleza

Imunização

Devem ser imunizadas crianças maiores de 6 meses e menores de 5 anos, inclusive as que já foram vacinadas anteriormente
por publicado: 01/02/2014 11h42 última modificação: 30/07/2014 03h23

Postos de saúde de Fortaleza e de municípios da região metropolitana da cidade funcionam hoje (1º) no dia D da campanha de vacinação contra o sarampo. A região registra surto da doença desde o início do ano. Devem ser imunizadas crianças maiores de 6 meses e menores de 5 anos – inclusive as que já foram vacinadas anteriormente.

De acordo com a Secretaria da Saúde do estado, estão sendo distribuídas 247 mil doses da vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), suficientes para imunizar 246.036 crianças na faixa etária alvo da campanha.

Os municípios que integram a região metropolitana de Fortaleza são: Caucaia, Maracanaú, Maranguape, Aquiraz, Eusébio, Pacajus, Horizonte, Pacatuba, Cascavel, Chorozinho, Guaiúba, São Gonçalo do Amarante, Itaitinga e Pindoretama. Ao todo, 341 postos de vacinação funcionam hoje até as 17 horas.

A secretaria alertou que a vacina contra o sarampo não é indicada nos seguintes casos:

- Anafilaxia (reação alérgica) à dose anterior da vacina;

- Gravidez, pelo risco teórico de causar danos ao feto. Recomenda-se que a gravidez seja evitada por 30 dias após a administração da vacina. Caso a vacina seja aplicada inadvertidamente, não é indicada a interrupção da gravidez.

- Pessoas com imunodeficiências congênitas ou adquiridas, sendo que infecção assintomática pelo HIV não constitui contraindicação;

- Pessoas em uso de corticosteroides em doses imunossupressoras (devem ser vacinadas com intervalo de pelo menos um mês após a suspensão da droga);

- Pessoas em uso de quimioterapia imunossupressora (só devem ser vacinadas três meses após a suspensão do tratamento);

- Transplantados de medula óssea (recomenda-se vacinar com intervalo de dois anos após o transplante).

Fonte:
Agência Brasil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil