Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2014 > 06 > Cubanos são minoria entre desistentes do Mais Médicos

Saúde

Cubanos são minoria entre desistentes do Mais Médicos

Atenção Básica

Médicos cubanos garantem atendimento em municípios carentes e tribos indígenas nas regiões mais isoladas do País
por Portal Brasil publicado: 04/06/2014 18h27 última modificação: 30/07/2014 03h18

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, informou, nesta quarta-feira (4), que o número de médicos cubanos que desistem do Programa Mais Médicos é inferior ao número de médicos de outros países que abandonam o programa. Ele participou de audiência pública na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados.

Segundo Chioro, dos cerca de 1.500 médicos brasileiros que participam do Mais Médicos, 131 desistiram - o que significa um índice de 8,4% de desistência. “A grande maioria desistiu porque passou na residência”, afirmou. Dos 1.038 médicos intercambistas individuais, 0,8% desistiram. Por fim, dos cerca de 11 mil médicos cubanos participantes do programa, 14 desistiram - o que significa 0,1% de desistência.

O ministro salientou que o programa já garantiu 14 mil médicos nos municípios brasileiros. Segundo ele, o número de médicos desligados do programa é muito pequeno em relação ao número total de médicos do programa.

De acordo com o ministro, com o programa, houve aumento de 34% nas consultas médicas; redução de 21% de encaminhamento nos hospitais; e aumento de 11% no atendimento pré-natal. “Cerca de 40 milhões de brasileiros estão sendo atendidos pelo programa”, acrescentou.

Médicos cubanos

Chioro destacou ainda que os médicos cubanos ocupam as áreas que os médicos brasileiros e os médicos intercambistas individuais não querem ocupar. “Isso permite que, hoje, haja médicos nos municípios com piores índices de desenvolvimento humano (IDH), em tribos indígenas, em populações ribeirinhas”, afirmou.

O ministro reafirmou que o convênio com Cuba é estabelecido por meio de cooperação com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas). “Nossa relação se dá exclusivamente com a Opas, e não com o governo cubano”, destacou. “Esses médicos cubanos continuam mantendo vínculo com o governo cubano”, completou. Além do salário do governo cubano, e do auxílio moradia, esses médicos cubanos recebem R$ 2.976 para 40 horas de trabalho no Brasil. Os outros médicos do programa recebem R$ 10 mil por mês.

Ele salientou ainda que, das 38 ações judiciais contra o programa, 35 foram indeferidas e uma foi extinta. Duas representações ainda estão em curso. Segundo Chioro, pesquisas do ministério mostram que 75% da população aprova o Programa Mais Médicos - o índice de aprovação entre a população beneficiada é maior, de 90%.

Fonte: 

Câmara dos Deputados

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Mais de 196 milhões de consultas foram realizadas nas unidades básicas de saúde em 2016
Neste ano o Ministério da Saúde pretende ampliar esses serviços a partir de mudanças que estão sendo formuladas
Prontuário eletrônico dos pacientes do SUS deve ser implantado em todo país até final de 2018
Ministro da Saúde apresenta balanço da economia feita desde que assumiu a pasta
Farmácia Popular vai receber mais R$ 80 milhões por ano para a compra de medicamento
Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas são beneficiadas por mês com a iniciativa
Neste ano o Ministério da Saúde pretende ampliar esses serviços a partir de mudanças que estão sendo formuladas
Mais de 196 milhões de consultas foram realizadas nas unidades básicas de saúde em 2016
Ministro da Saúde apresenta balanço da economia feita desde que assumiu a pasta
Prontuário eletrônico dos pacientes do SUS deve ser implantado em todo país até final de 2018
Atualmente, cerca de 10 milhões de pessoas são beneficiadas por mês com a iniciativa
Farmácia Popular vai receber mais R$ 80 milhões por ano para a compra de medicamento

Últimas imagens

Para essa faixa etária orientação é esquema com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses
Para essa faixa etária orientação é esquema com três doses, com intervalo de zero, dois e seis meses
Foto: Rodrigo Nunes/MS
Medida foi possível após realocação dos R$ 100 milhões destinados à Rede Própria do Farmácia Popular
Medida foi possível após realocação dos R$ 100 milhões destinados à Rede Própria do Farmácia Popular
Arquivo/Ministério da Saúde
Homens têm mais diabetes, colesterol elevado, obesidade e pressão alta
Homens têm mais diabetes, colesterol elevado, obesidade e pressão alta
Olival Santos/Governo de Alagoas
Programa ainda conscientiza os pais sobre a importância da participação no acompanhamento da gravidez
Programa ainda conscientiza os pais sobre a importância da participação no acompanhamento da gravidez
Divulgação/Prefeitura de Itanhaém (SP)

Governo digital