Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2014 > 09 > Aprovadas diretrizes para diagnóstico do câncer de cólon e reto

Saúde

Aprovadas diretrizes para diagnóstico do câncer de cólon e reto

Procedimentos

Câncer é tratável e, na maioria dos casos, curável, ao ser detectado precocemente. Orientações incluem critérios de tratamento
por Portal Brasil publicado: 29/09/2014 08h30 última modificação: 29/09/2014 08h30

Considerando a necessidade de se atualizarem os parâmetros sobre o câncer de cólon e reto no Brasil, o Ministério da Saúde aprovou as Diretrizes Diagnósticas e Terapêuticas - Carcinoma Colorretal, para pacientes com a doença.

O câncer colorretal abrange tumores que acometem um segmento do intestino grosso (o cólon) e o reto. É tratável e, na maioria dos casos, curável, ao ser detectado precocemente, quando ainda não se espalhou para outros órgãos. Grande parte desses tumores se inicia a partir de pólipos, lesões benignas que podem crescer na parede interna do intestino grosso. Uma maneira de prevenir o aparecimento dos tumores seria a detecção e a remoção dos pólipos antes de eles se tornarem malignos.

A aprovação das diretrizes diagnósticas e terapêuticas foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (29) e o documento está disponível no site da pasta.

As diretrizes contêm os critérios de diagnóstico, tratamento e mecanismos de regulação, controle e avaliação. Elas são de caráter nacional e devem ser utilizadas pelas Secretarias de Saúde dos estados e das cidades na regulação do acesso assistencial, autorização, registro e ressarcimento dos procedimentos correspondentes.

Fonte:
Portal Brasil, com informações da Imprensa Nacional e do Instituto Nacional de Câncer

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes

Últimas imagens

Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Arquivo/Agência Brasil
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Arquivo/Ministério da Saúde

Governo digital