Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2015 > 12 > Aplicativo facilita pesquisa sobre custos na saúde suplementar

Saúde

Aplicativo facilita pesquisa sobre custos na saúde suplementar

Planos de saúde

Ferramenta da ANS permite obter informações a respeito de procedimentos realizados por médicos, laboratórios, clínicas e hospitais conveniados
por Portal Brasil publicado: 02/12/2015 17h15 última modificação: 19/01/2016 18h21

A Agência Nacional de Saúde (ANS) lançou nesta quarta-feira (2) um aplicativo que vai facilitar o acesso a informações referentes aos planos de saúde disponíveis no País. A ferramenta, batizada de "D-TISS", permite obter informações a respeito de procedimentos realizados por médicos, laboratórios, clínicas e hospitais conveniados, além de visualizar gastos com despesas assistenciais nos hospitais de todo o Brasil, com separações por unidade federativa, por sexo do beneficiário e por porte da operadora.

A D-TISS pode ser acessada a partir de duas áreas no site da ANS: Espaço de Qualidade e Dados do Setor. Segundo a diretora de Desenvolvimento Setorial da ANS, Martha Oliveira, a ferramenta permitirá a padronização de todas as trocas de informações e dos procedimentos em saúde suplementar. O lançamento do novo aplicativo da ANS faz parte de uma série de medidas em prol da transparência das informações da saúde suplementar.

Em fase de testes, a D-TISS está sendo disponibilizada em versão beta com um conjunto de informações relativas a operadoras selecionadas, a partir da qualidade e consistência dos dados assistenciais e financeiros, e 57 procedimentos de cobertura obrigatória pelo rol da ANS. Gradativamente, serão incluídos no sistema os dados de mais operadoras e novos procedimentos.

Em relação à visão financeira, a D-TISS permite o acesso aos valores da despesa mínima, média e máxima dos procedimentos, com a possibilidade de geração de um box-plot – gráfico produzido a partir dos dados disponíveis no sistema informação. Os filtros por Estado, faixa etária, sexo, porte da operadora e competência também poderão ser utilizados.

Para a ANS, a apresentação de informações de indicadores nacionais e internacionais relacionados aos procedimentos busca integrar os dados de utilização dos serviços de saúde com uma base técnico-cientifica que apoie a tomada de decisão de todos os agentes, propiciando uma visão ampla do setor e compartilhamento de conhecimentos sobre a área.

Padrão TISS

Troca de Informações de Saúde Suplementar (TISS) é o padrão obrigatório para as trocas eletrônicas de dados de atenção à saúde dos beneficiários de planos entre prestadores, operadoras e a ANS. Com a TISS, é possível padronizar as ações administrativas, subsidiar as ações de avaliação e acompanhamento econômico, financeiro e assistencial das operadoras de planos privados de assistência à saúde e compor o Registro Eletrônico de Saúde. 

A D-TISS é um desdobramento do Padrão TISS, com informações apresentadas em um formato de fácil acesso e manipulação, disponível para o público em geral. 

"A gente vem reorganizando o setor há quase uma década. Antes, cada hospital ou agente de saúde passava para a operadora a guia de forma diferenciada, sem padrão e sem que as comunicações sobre os procedimentos falassem entre si. Com a implantação do TISS (que acabou gerando o sistema D-TISS), ao longo dos últimos de 8 anos, passamos a receber, a partir do ano passado, todos os dados padronizados", salientou Martha.

A base de dados da D-TISS conta também com indicadores internacionais de países que integram a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), formada por mais de 30 nações, incluindo o Brasil.

"Essa é a primeira vez que planos de saúde, prestadores de serviços e consumidores têm acesso aos dados epidemiológicos e financeiros de forma detalhada em uma única área. A D-TISS é uma importante ferramenta de acesso a informações e mais um incentivo da ANS em prol da transparência de dados do setor, beneficiando a pesquisa sobre os procedimentos realizados na saúde suplementar”, concluiu Martha.

Fonte: ANS

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Expectativa é que o remédio, considerado mais seguro e de ação rápida, esteja disponível já em 2018
Insulina análoga será ofertada no tratamento de crianças com diabetes
Os recursos são destinados para custeio e melhoria do atendimento do Samu em municípios de todas as regiões
Samu recebe reforço federal de R$ 33 milhões
Campanha do Outubro Rosa conscientiza sobre o câncer de mama. Pacientes do Rio de Janeiro contam como encontraram apoio no SUS
Quase 58 mil casos de câncer de mama foram diagnosticados no Brasil

Últimas imagens

A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
A cada ano, as vacinas influenza sazonais são modificadas para proteção contra estirpes virais em circulação
Arquivo/Ministério da Saúde
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Com a globalização, vírus do sarampo e rubéola, endêmicos na Europa, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Andre Borges/Agência Brasília
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Vírus do sarampo e rubéola são endêmicos em países europeus e, com a globalização, podem voltar a circular no Brasil
Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Programa conta com 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas
Cícero Oliveira/UFRN

Governo digital