Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2016 > 01 > Com campanha na TV, governo intensifica mobilização contra o Aedes aegypti

Saúde

Com campanha na TV, governo intensifica mobilização contra o Aedes aegypti

Mobilização

O objetivo é sensibilizar a sociedade para eliminar todos os focos do mosquito que transmite os vírus da dengue, chikungunya e zika
por Portal Brasil publicado: 31/01/2016 11h14 última modificação: 05/02/2016 17h12

Após dar início a uma campanha de mobilizações contra o mosquito Aedes aegypti, que transmite os vírus da dengue, chikungunya e zika, o governo federal intensificará, nas próximas semanas, o diálogo com diferentes setores da sociedade civil sobre o combate ao inseto. O objetivo é sensibilizar lideranças para que se envolvam no que a presidenta Dilma Rousseff tem chamado de “guerra” para eliminar todos os focos do mosquito.

O governo está preocupado com o aumento do número de casos de microcefalia, má-formação no cérebro de recém-nascidos e que tem relação com o vírus zika. Na última quarta-feira (27), foram confirmados o nascimento de 270 crianças com microcefalia no País e a existência de mais de 3.400 casos suspeitos. Na última semana, teve início um calendário de limpeza de órgãos públicos, que terão periodicamente o Dia da Faxina, para eliminar criadouros do mosquito. Além disso, 220 mil militares vão visitar casas e orientar moradores em 356 cidades no próximo dia 13.

O Palácio do Planalto acredita que a principal estratégia é conscientizar a população, e que se as pessoas não colaborarem, o trabalho do governo vai ficar ainda mais difícil. A presidenta afirmou, na sexta-feira (29), que “não pode faltar dinheiro” e que “não haverá contingenciamento” de recursos para o combate, "que é uma questão de saúde pública".

A intenção é que a presidenta Dilma converse com representantes de igrejas, líderes de comunidades e empresários e peça auxílio no combate ao mosquito, além de continuar o contato com governadores e prefeitos. Segundo a presidenta, a mobilização servirá para “evidenciar” que todos têm de participar: “do soldado, passando pelo cientista, da pessoa que limpa uma rua, a dona de casa”.

Durante a reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, na quinta-feira (28), Dilma disse que precisaria da participação da sociedade para uma “batalha” que, segundo ela, será de médio prazo. “Peço aos senhores e às senhoras que mobilizem seus funcionários, seus companheiros de sindicato, os fiéis de sua igreja, os colegas de trabalho e de escolas, a família e os vizinhos”, disse aos conselheiros, dentre eles empresários e sindicalistas.

O governo também pretende utilizar os cinco minutos gratuitos de inserção diária do Ministério da Educação nas emissoras de televisão para mobilizar os telespectadores e ouvintes. A partir de março, vai veicular uma campanha publicitária no rádio e na TV. A orientação é de que seja utilizado o tema “Zika Zero”, que já se tornou hashtag nas redes sociais, e que os materiais tenham a frase: “Um mosquito não é mais forte que um País inteiro”.

Donos de emissoras de rádio e TV também poderão ser procurados pela presidenta. Quem tem participado das discussões avalia que uma campanha integrada envolvendo a programação dos canais teria mais impacto do que apenas uma propaganda no intervalo comercial.

Ação nas escolas

Na próxima quinta-feira (4), o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, dará início a uma mobilização nas escolas para envolver 40 milhões de estudantes do Ensino Básico, das redes pública e privada, e mais de sete milhões de universitários. Por meio das instituições de Ensino Superior, dos secretários de educação Estaduais e municipais, a campanha é fazer com que as crianças espalhem a conscientização.

A ideia é de que o aluno leve uma carta com cuidados para evitar a proliferação do mosquito e passe a mensagem para a família, ajudando na mobilização e cobrando os próprios pais caso encontre eventual criadouro. Além de panfletos, cartilhas e cartazes, materiais didáticos também estão sendo elaborados para os professores. O auge da campanha será nas próximas semanas, após o Carnaval.

Fonte: Portal Brasil, com informações da Agência Brasil

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Programa diminui o número de cirurgias no joelho
Programa do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO), no Rio de Janeiro, acompanha pacientes e reduz o número de procedimentos cirúrgicos
Ministério da Saúde lança campanha de prevenção à Aids durante o Carnaval
Capital de tradição carnavalesca, Salvador será o palco do lançamento. Serão distribuídos 77 milhões de preservativos
Ministério da Saúde habilita serviços ambulatoriais para processo transexualizador
Nove centros médicos públicos já estão habilitados a atender quem não se identifica com o gênero de nascimento. Desde 2008, o SUS já realizou mais de 300 cirurgias de mudança de sexo
Programa do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO), no Rio de Janeiro, acompanha pacientes e reduz o número de procedimentos cirúrgicos
Programa diminui o número de cirurgias no joelho
Capital de tradição carnavalesca, Salvador será o palco do lançamento. Serão distribuídos 77 milhões de preservativos
Ministério da Saúde lança campanha de prevenção à Aids durante o Carnaval
Nove centros médicos públicos já estão habilitados a atender quem não se identifica com o gênero de nascimento. Desde 2008, o SUS já realizou mais de 300 cirurgias de mudança de sexo
Ministério da Saúde habilita serviços ambulatoriais para processo transexualizador

Últimas imagens

Todas as instituições que prestam serviço assistencial podem preencher o formulário e participar da seleção
Todas as instituições que prestam serviço assistencial podem preencher o formulário e participar da seleção
Divulgação/EBC
A Posic também trabalha a conscientização dos usuários sobre a importância das normas de segurança
A Posic também trabalha a conscientização dos usuários sobre a importância das normas de segurança
Divulgação/EBC
O surto de febre amarela atinge 42 municípios do estado, que têm casos confirmados.
O surto de febre amarela atinge 42 municípios do estado, que têm casos confirmados.
Divulgação/Ministério da Saúde
Resoluções determinam ainda que as empresas recolham os estoques existentes do mercado
Resoluções determinam ainda que as empresas recolham os estoques existentes do mercado
Divulgação/Anvisa
Cada estado recebeu valor baseado na estimativa da população a ser vacinada
Cada estado recebeu valor baseado na estimativa da população a ser vacinada
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital