Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2016 > 02 > Governo mobiliza comunidades indígenas contra o Aedes aegypti

Saúde

Governo mobiliza comunidades indígenas contra o Aedes aegypti

Eletrobras

Material informativo do Ministério da Saúde conscientiza os indígenas sobre a importância do combate ao mosquito
por Portal Brasil publicado: 23/02/2016 12h35 última modificação: 25/02/2016 15h55

O povo Kayapó, na bacia do rio Xingu, Pará, com mais de 15 mil indígenas, foi orientado no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e outras doenças. A ação de conscientização foi promovida pelo Ministério de Minas e Energia com apoio de entidades e empresas do setor energético-mineral. Funcionários da Eletrobras distribuíram material informativo do Ministério da Saúde para conscientizar os indígenas sobre a importância do combate ao mosquito.

A visita incentivou o Instituto Kabu, que representa os Kayapó do Oeste, a divulgar nas aldeias um vídeo em mebengokre (a língua kayapó) sobre o combate ao mosquito. A mobilização contra o mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika está mais adiantada nas localidades visitadas pelos servidores da estatal.

“Eles já estão se mobilizando para traduzir todas as informações para o mebengokre”, conta Pedro Villela Capanema Garcia, do Departamento de Responsabilidade Social e Projetos com a Sociedade da Eletrobras. De acordo com Garcia, os indígenas e o Instituto Kabu traduzirão também a campanha de rádio para a Língua dos Kayapó.

“O rádio é fundamental na região. Os índios se comunicam por ele para qualquer coisa. Vai ser muito importante para a campanha que o conteúdo seja traduzido e transmitido pelo rádio”, afirma Pedro, que ficou impressionado com a disposição dos Kayapós em participar da campanha. “Eles descobriram, na Secretaria Especial de Saúde Indígena, na cidade de Tucumã, que fica bem distante, um vídeo que mostra como combater o mosquito, o trouxeram e exibiram num laptop.”

No lado leste, a Associação Floresta Protegida (AFP), parceira da Eletrobras na região, começará a mobilização nas próximas semanas. A região abrange 30 aldeias, com cerca de 4,5 mil indígenas.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério de Minas e Energia

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Missão Transplante

Últimos vídeos

Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Medicamentos biológicos são produtos inovadores para o tratamento de doenças crônicas, como câncer, diabetes, artrite reumatoide e esclerose múltipla
Fábrica de medicamentos biológicos é inaugurada no DF
Recursos serão distribuídos entre 48 hospitais das cinco regiões
Governo libera R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o País
Consumo de medicamentos de cada estado e município, proximidade da data de vencimento e outras perguntas serão respondidas com a criação de uma base que integra as informações dos sistemas de estados e municípios ao sistema nacional
Base integra informações dos sistemas de medicamentos dos estados e municípios

Últimas imagens

Soro
Divulgação/Prefeitura de Campo Verde (MT)
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
País vai tratar 657 mil pessoas a partir de 2018. Pacientes com quadros mais grave da doença terão prioridade
Foto: Rodrigo Nunes/Ministério da Saúde

Governo digital