Você está aqui: Página Inicial > Saúde > 2016 > 02 > Mutirão combate o mosquito Aedes aegypti em Belém

Saúde

Mutirão combate o mosquito Aedes aegypti em Belém

Sudam

Diretores e servidores da autarquia vinculada ao Ministério da Integração Nacional distribuíram panfletos e visitaram escolas e empresas da cidade
por Portal Brasil publicado: 25/02/2016 19h53 última modificação: 03/03/2016 08h56
Foto: Sudam A força-tarefa foi convocada pelo grupo de trabalho criado pela instituição para desenvolver ações de conscientização e combate ao Aedes aegypti

A força-tarefa foi convocada pelo grupo de trabalho criado pela instituição para desenvolver ações de conscientização e combate ao Aedes aegypti

Um mutirão de combate ao mosquito Aedes aegypti percorreu as ruas de Belém na última terça-feira (23). A força-tarefa envolveu diretores e servidores da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), que realizaram ações de conscientização e de combate ao mosquito, vetor de transmissão da dengue, chikungunya e zika.

A programação incluiu panfletagem nas ruas e visitas a residências, escolas e empresas nas proximidades da Sudam. Dividido em quatro frentes de trabalho, o grupo levou cartazes e orientou moradores sobre as formas de prevenção e combate. Focos do mosquito foram identificados em vários pontos da região, alguns em estágio avançado de reprodução, em uma borracharia, em um lava-jato e em bueiros.

Os agentes de endemias da Secretaria Municipal de Saúde que acompanharam a ação aplicaram larvicidas nos locais e explicaram os procedimentos a serem adotados para evitar o surgimento de novos criadouros.

A ação foi bem recebida pela população, que ouviu atentamente as equipes de trabalho e reconheceu a importância de intensificar o combate. "É preciso o envolvimento de todos. As pessoas precisam ainda se conscientizar mais", opinou o comerciante Dayan Amorim.

O superintendente Paulo Roberto Correia, que participou do mutirão, destacou a importância da atividade. "É um dia simbólico, mas muito importante para cada um de nós, pois representa uma oportunidade de ajudar a evitar a contaminação dos nossos vizinhos, amigos e familiares", comentou.

A força-tarefa contou com o apoio de instituições como a Secretaria Estadual de Saúde, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e Instituto Evandro Chagas. Um estande de informações foi montado na entrada do órgão para receber as pessoas interessadas em saber mais sobre o Aedes aegypti e as doenças transmitidas pelo mosquito. 

Fonte:  Ministério da Integração

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil CC BY ND 3.0 Brasil

Assunto(s): Saúde, Doença animal

Missão Transplante

Últimos vídeos

Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
A parceria entre instituições públicas e privadas para a produção de medicamentos garante que o SUS tenha uma atuação mais ampla na prevenção e no combate a doenças, como febre amarela, HIV e leucemia
Parcerias podem oferecer remédios mais baratos a toda população
Atualmente, dos quase 43 mil postos espalhados pelo País, cerca de 16 mil já estão conectados à plataforma DigiSUS
Informatização de todas as unidades básicas é uma das principais metas do Ministério da Saúde
Público-alvo da nova campanha de vacinação, que segue até 22 de setembro, compreende 47 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos
Campanha vai imunizar 47 milhões de crianças e adolescentes

Últimas imagens

Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Nos locais onde há Centros de Apoio Psicossocial (CAPS), iniciativa do SUS, risco de suicídio reduz em até 14%
Arquivo/Agência Brasil
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Recursos permitem custeio de procedimentos de atenção básica e de Média e Alta Complexidade
Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Levetiracetam também será incorporado para tratar de pacientes com epilepsia mioclônica juvenil
Arquivo/Ministério da Saúde

Governo digital